Derrota de Mão Santa na Câmara estremece relação entre vereadores e Fábio Barros

A derrota emblemática, somente a líder do prefeito na casa, Neta Castelo Branco (DEM), votou com Mão Santa, mostra o desgaste do Secretário de Governo

22/10/2021 09:55h - Atualizado em 22/10/2021 10:16h

Compartilhar no

A Câmara Municipal de Parnaíba impôs uma dura derrota ao Prefeito Mão Santa em sessão realizada na última quarta (20). O legislativo parnaibano derrubou um veto do prefeito ao projeto de lei do vereador Taylon Andrades (PROS), que instituía a obrigatoriedade da oferta do ensino bilíngue, contemplando a Língua Brasileira de Sinais-LIBRAS, nas escolas da cidade. A derrota emblemática, somente a líder do prefeito na casa, Neta Castelo Branco (DEM), votou com Mão Santa, mostra o desgaste do Secretário de Governo, Fábio Barros junto aos parlamentares. O blogueiro que se tornou secretário de governo nesta gestão de Mão Santa, sofre muita resistência entre os parlamentares pela falta de comunicação, até mesmo o vice-prefeito, Beto Telles, também estaria rompido com Barros. 

Curiosamente o ensino bilíngue, vetado pelo prefeito, é uma das maiores bandeiras do governo Bolsonaro, líder referencial de Mão Santa e Fábio Barros, bolsonarista convicto. A primeira-dama Michele Bolsonaro chegou até a discursar em Libras na posse de Bolsonaro como presidente da República. O argumento da líder do prefeito Neta Castelo é que já existiria uma lei federal que legisla sobre a mesma matéria e não necessitaria de uma lei municipal. Argumento refutado pela assessoria jurídica da Câmara de Paranaíba e pelos vereadores. 

A crise instalada no legislativo não é o primeiro atrito do secretário com aliados de Mão Santa, em maio Fábio Barros esteve próximo da exoneração após entrar em rota de colisão com o vice-prefeito de Parnaíba, Beto Teles. Barros teria feito nomeações em nome do vice-prefeito, porém sem a ciência do próprio Beto Teles, o secretário nomeou seus próprios aliados políticos e teria “enganado” o vice-prefeito. Nos corredores da Câmara o Barros é criticado por vários parlamentares por dificultar o acesso dos vereadores ao primeiro escalão da prefeitura. A derrubada do veto foi tratada entre os parlamentares como um recado ao Prefeito da insatisfação dos vereadores. Em agosto vários parlamentares criticaram publicamente Fábio Barros pela falta de diálogo com a Câmara.


Fábio Barros ao lado de Mão Santa : FOTO: ASCOM Prefeitura de Parnaíba

 

Defensor da Cloroquina

Blogueiro e radialista em Parnaíba, Barros foi um ferrenho defensor da utilização da hidroxicloroquina, medicamento sem eficácia comprovada, durante o início da pandemia. O secretário porém mudou de posicionamento com a chegada da vacinação. O secretário foi contra as medidas de isolamento social durante o pico dos casos no município e criticou o governo estadual pelas medidas tomadas. Até o momento a cidade de Parnaíba registrou 16378 casos de Covid-19, 446 pessoas morreram por complicações do vírus no município. A Associação Médica Brasileira e outras entidades o setor pediram o banimento da utilização da hidroxicloroquina e outros medicamentos sem eficácia comprovada no Brasil. 

Fábio Barros e a Secretaria de Governo de Parnaíba foram procurados pelo jornal ODIA, porém até o momento da publicação o gestor não respondeu aos questionamentos feitos. O espaço continua à disposição para os devidos esclarecimentos.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário