• Novo app Jornal O Dia
  • ITNET
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Bolsonaro leva bronca de médicos e fica sem TV

O presidente deve evitar falar para que não provoque acúmulo de gases na região do abdômen e atrapalhe o processo de cicatrização

02/02/2019 11:52h - Atualizado em 02/02/2019 11:59h


O presidente Jair Bolsonaro está internado após cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal e retirada de bolsa de colostomia (Foto: Divulgação/Presidência da República)

O presidente Jair Bolsonaro levou uma bronca da equipe médica do hospital Albert Einstein por ter feito uma reunião por videoconferência com o ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, nesta sexta-feira (1°).

A conversa com o general durou cerca de dez minutos. Foram tratados temas sobre a Venezuela a violência no Ceará, entre outros monitoramentos diários.

Segundo assessores, a recomendação é que o presidente evite falar, o que pode provocar o acúmulo de gases na região do abdômen e atrapalhar o processo de cicatrização.

O presidente também foi desaconselhado a assistir televisão e acompanhou apenas parte da eleição das mesas diretoras da Câmara e Senado nesta sexta.

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi reeleito em primeiro turno com 334 votos e ocupará a presidência da Casa pela terceira vez. Já no Senado a sessão foi suspensa após um embate de mais de cinco horas e a eleição retomada na manhã deste sábado.

Seguindo orientação médica, Bolsonaro não telefonou para cumprimentar Maia pelo resultado.

No Twitter, o presidente desejou ao deputado "sucesso e sabedoria", para que os anseios da população brasileira prevaleçam no parlamento.

De acordo com assessores, o cumprimento ao novo presidente do Senado deve ser feito da mesma forma.

Na manhã deste sábado (2) o presidente passou por avaliação médica e está acompanhado pela mulher, Michelle, e pelo filho Carlos, que passou a noite no hospital. Bolsonaro segue fazendo fisioterapia e exercícios.

Por orientação médica, o presidente não deve assistir ao jogo do seu time Palmeiras contra o Corinthians no final da tarde.

Na segunda (28), o presidente foi submetido a uma cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal e retirada de uma bolsa de colostomia, num processo que durou sete horas.

Foi a terceira operação à qual foi submetido desde que foi alvo de uma facada, em setembro de 2018, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário