Bolsonaro acerta filiação ao PL, aliado de Wellington, partido entra em crise no Piauí

Grande aliado do PT no Piauí, o PL deve passar por uma verdadeira devassa no Piauí e pode perder seus deputados estaduais e federais

09/11/2021 08:12h - Atualizado em 09/11/2021 08:22h

Compartilhar no

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, confirmou a interlocutores na última segunda (08) que está praticamente acertada a sua filiação ao Partido Liberal. Sem partido desde que deixou o PSL, o presidente busca uma sigla de centro para viabilizar sua candidatura a reeleição em 2022. A ida de Bolsonaro para o PL cria uma situação desconfortável para o Governador do Estado, Wellington Dias. Grande aliado do PT no Piauí, o PL deve passar por uma verdadeira devassa no Estado e pode perder seus deputados estaduais e federais. O caminho dos membros do PL pode ser o Republicanos, outra legenda de centro.

Após deixar o PSL em 2019, Bolsonaro ainda tentou criar um partido, o Aliança pelo Brasil, porém sem a mobilização necessária em todos os estados, desistiu. Nesta segunda o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, afirmou ao site Poder360 que a filiação de Bolsonaro está  acertada.

“Hoje ele [Bolsonaro] me informou que falou com o Ciro [Nogueira, do PP], falou com os outros partidos. Ele tem que se entender com todos, nós temos que nos entender para que todos sejam atendidos, porque política é isso. Hoje o PP tem a presidência da Câmara. Amanhã vamos querer essa presidência. Tem a reeleição do Arthur, vamos apoiar e depois de nós vem o PRB [Republicanos]. Todos têm que crescer, todos têm que ter essa vantagem, não pode ficar para trás. Se temos um grupo, temos que estar unidos. Mas ele [Bolsonaro] falou comigo que falou com Ciro hoje, Ciro entendeu, vamos tocar para frente o assunto e vamos ver quando vamos fazer a filiação”, revelou o dirigente partidário.

FOTO:  Isac Nóbrega/PR

Crise no Piauí

A ida de Bolsonaro para o PL inviabiliza completamente a manutenção da sigla na base de apoio de Wellington Dias, o presidente do PT, Francisco Limma, já revelou que ficaria muito difícil um entendimento entre os partidos , uma vez que o PT é o maior opositor a Bolsonaro em âmbito nacional. Apesar de o presidente Valdemar Costa Neto autorizar uma aliança com o PT no Piauí, a crise está instalada.

O deputado Fábio Abreu cobrou agilidade na resolução do impasse para que os parlamentares decidam o seu caminho de forma mais rápida.

“Pra nós seria importante que o Partido Liberal não fosse a opção número um do presidente, que nós tenhamos esse resultado mais rápido possível para que possamos continuar os nossos trabalhos e projetos para a nossa composição, para federal principalmente, e estadual”, afirmou Fábio Abreu. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário