Coligação de Zé Filho diz que Eduardo Campos enriquecia debate político

Wilson Martins, que é do mesmo partido, cancelou gravação do programa.

13/08/2014 12:41h - Atualizado em 13/08/2014 14:43h

Compartilhar no

A coligação O Piauí no Coração informou, através de nota, que todas as atividades de campanha, incluindo a do governador Zé Filho, Silvio Mendes e Wilson Martins estarão suspensas por todo o resto do dia de hoje e todo o dia de amanhã.


A coligação acredita que Campos enriqueceu o debate político nacional e se consolidava como um digno representante do povo brasileiro e do povo nordestino. "A sua morte prematura deixa o país em estado de choque e nos leva a uma reflexão sobre sua missão como homem público, interrompida abruptamente", diz a nota.

Marcelo Castro, candidato à reeleição para deputado federal pelo PMDB também se pronunciou. "Uma perda inestimável para a política do nosso país. Meus sentimentos, neste momento de dor. Fica o nosso pedido para que Deus conforte seus familiares e amigos", disse.

Atualizada às 14h20

Os partidos e políticos do Piauí começam a enviar notas destacando Eduardo Campos como um nome de grande expressão no país. O ex-governador do Estado, Wilson Martins, cancelou todos os compromissos e marcou entrevista coletiva em sua casa, às 15h. "Eu via em Eduardo o sopro de transformação que o Brasil tanto precisa", declarou.

Foto: Ricardo Nogueira/AFP

O presidente do Pros no Piauí, José Amauri também lamentou a morte do candidato. "O economista que viveu ao lado de figuras emblemáticas da política nacional deixou como legado sua grande contribuição enquanto presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), ministro da Ciência e Tecnologia e governador do estado de Pernambuco", disse, em nota.

Além de Eduardo Campos, morreram no acidente aéreo o fotógrafo Alexandre da Silva, os assessores Carlos Augusto Leal Filho e Pedro Valadares Neto, os pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins e o cinegrafista Marcelo Lira.

Atualizada às 14h

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, que foi colega de faculdade de Eduardo Campos no curso de Economia da Universidade Federal de Pernambuco e era seu amigo pessoal, enviou nota de pesar pela morte do candidato à presidência. "O Brasil perde um grande homem público, que ainda tinha muito a contribuir com o país”, diz a nota. Firmino viaja neste instante para São Paulo.

Foto: Assis Fernandes/ODIA

Confira na íntegra:

O Prefeito Municipal de Teresina, Firmino Filho, externa seu profundo pesar pela tragédia que tirou a vida do Ex-Governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos.

Eduardo Campos foi colega de faculdade do Prefeito Firmino Filho no curso de Economia da Universidade Federal de Pernambuco e era seu amigo pessoal.

O Prefeito estende seu sentimento de pesar à família de Eduardo Campos e aos integrantes do PSB, ressaltando que o Brasil perde um grande homem público, que ainda tinha muito a contribuir com o país.”

Atualizada às 13h27

O candidato à presidência da República, Eduardo Campos (PSB) morreu em acidente de avião em Santos. Mais seis pessoas estavam à bordo, incluindo assessores de campanha e o piloto. A aeronave caiu sobre sobrado em Santos, no bairro Boqueirão, vindo do Rio de Janeiro. A vice de Campos, Marina Silva, não acompanhava o candidato. Ela está em São Paulo.

Fotos: Jailson Soares/ODIA

Segundo a FAB, a aeronave, um Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, caiu por volta das 10 horas. Quando se preparava para o pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. "Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave", diz a nota. Ao todo, três imóveis foram atingidos. 

O candidato ao Senado no Piauí, Wilson Martins, do mesmo partido de Eduardo Campos, grava o programa eleitoral quando soube da notícia. Muito abalado, ele foi para casa e só vai se pronunciar à tarde. Segundo a assessoria de Wilson, Eduardo não era apenas aliado político, mas havia relação de amizade entre os dois.

Eduardo Campos veio ao Piauí duas vezes este ano: em abril, quando ainda era pré-candidato, e em junho, quando fechou a convenção que homologou os nomes de Zé Filho (PMDB) como candidato ao governo, Silvio Mendes (PSDB) a vice e Wilson Martins ao Senado.

Trajetória de Campos

Eduardo Henrique Accioly Campos era casado e tinha cinco filhos. Ele teve uma carreira de sucesso na política pernambucana, chegou a ser ministro e tentava a Presidência da República. Formou-se em economia pela Universidade Federal de Pernambuco em 1985.

Neto do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes, ainda na universidade ele começou a militância política, como presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Em 1986, participou ativamente da campanha que elegeu para o Governo de Pernambuco o seu avô.


Ele entrou no PSB em 1990 - onde permaneceu até sua morte - quando foi eleito deputado estadual. Quatro anos depois, chegou ao Congresso Nacional, mas não chegou a assumir, ficando no Estado nos cargos de Secretário da Fazenda entre 1995 e 1998.

Ainda em 1998, voltou a vencer a disputa para Câmara, sendo o mais votado do Estado (173 mil votos). Em 2002, fez campanha para o então candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva. No Congresso, Eduardo Campos destacou-se como articulador do Governo Lula. No ano seguinte, tomou posse como ministro de Ciência e Tecnologia..

Em 2005, Eduardo Campos assumiu a presidência nacional do PSB, onde permanecia até o acidente desta quarta-feira (13). Em 2006, numa disputa acirrada, venceu a eleição para o Governo de Pernambuco. Em 2010, disputou a reeleição e obteve a vitória no primeiro turno com mais de 82% dos votos válidos.


Compartilhar no
Edição: Nayara Felizardo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário