Aluísio Sampaio solicita união de órgãos para a despoluição de rios de THE

O parlamentar ressalta que a capital atualmente possui 46 pontos de drenagens, mais conhecidas como galerias pluviais. “Esses pontos eram para ter exclusivamente águas da chuva, mas existe contaminação e esgoto", diz.

08/04/2019 07:03h

Compartilhar no

O vereador Aluísio Sampaio (Progressistas) chamou a atenção para a prevenção contra a poluição dos rios de Teresina, Parnaíba e Poti. Segundo o parlamentar, é necessário que os órgãos fiscalizadores juntamente com a população possam trabalhar juntos para melhorar as condições do esgotamento na capital.

Para o vereador, existe a possibilidade real de despoluição dos rios, já que o maior problema é o escoamento de esgotos. “Teresina até pouco tempo atrás tinha 17% de rede de esgoto e a realidade atualmente está diferente, já atingindo 30% de rede. O serviço antigamente não tinha muita qualidade e não havia investimentos na área. Em pouco tempo, já foi realizado e modernizado a revisão nas 34 elevatórias e hoje são acompanhadas de forma remotas e com geradores”, afirma.

Antigamente as elevatórias não possuíam geradores, e quando faltava energia, os esgotos sem nenhum tratamento eram jogados diretamente nos rios. O parlamentar ressalta que a capital atualmente possui 46 pontos de drenagens, mais conhecidas como galerias pluviais. “Esses pontos eram para ter exclusivamente águas da chuva, mas existe contaminação e esgoto. A zona Leste há muito tempo tem rede de esgoto, mas ainda têm ligações clandestinas na rede pluvial. Pois alguns empreendimentos e habitações ainda não fizeram ligação no esgoto e este é o maior problema”, pontua.


O vereador lembra a legislação e pede atuação conjunta entre poder público e iniciativa privada - Foto: Elias Fontinele/O Dia

O vereador afirma que existe uma Lei Municipal 4.310/2012 que foi aprovada pela Câmara Municipal, mas ainda precisa ser regulamentada. Ela dispõe dos serviços públicos de esgotamento e estabelece regras de política tarifaria. “Essa Lei prevê que o proprietário ou possuidor de construção de prédios e estabelecimento possa pagar uma multa que vai de R$ 1500 até R$ 1 milhão aos empreendimentos que estão dentro da cobertura de rede de esgoto e não fizeram a sua ligação regulamentada”, comenta.

Para Aluísio Sampaio é necessário de forma urgente fazer uma integração entre a Agência Municipal de Regulação de Públicos de Teresina (ARSETE), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a empresa Águas de Teresina. “Atualmente existem condições e avanços para que se possa haver essas informações, inclusive quando assumi a secretaria, a primeira coisa que fiz foi ir para o Ministério Público Federal, pois existe um inquérito na Polícia Federal, já que os crimes ambientais cometidos em rios é de instância federal. Por isso, que a questão da água é de grande importância para nós, pois o mundo todo se preocupa com água potável e nós temos dois rios que abastecem a nossa cidade, por isso precisamos fazer algo por eles para que as gerações futuras utilizem dessas águas”, ressalta.

Compartilhar no
Por: João Magalhães - Jornal O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário