• Campanha Mobieduca
  • Teresina shopping
  • HEMOPI - Junho vermelho
  • ITNET
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att

Notícias Política

01 de junho de 2019

PSL inaugura nova sede estadual em Teresina visando crescimento

PSL inaugura nova sede estadual em Teresina visando crescimento

O evento reuniu várias lideranças políticas locais de diversas outras siglas

O PSL inaugurou neste sábado (1) a nova sede do seu diretório estadual em Teresina. O evento reuniu várias lideranças políticas locais de diversas outras agremiações, além da deputada federal Joice Hasselmann  (PSL), líder do Governo Federal no Congresso Nacional, que aproveitou o momento para pedir empenho do governador Wellington Dias (PT) na aprovação da Reforma da Previdência e falou sobre a sigla no estado.

(Foto: Divulgação)

"Estou cheia de expectativa. Não posso falar do que vai acontecer, mas posso falar da minha esperança. Espero que o PSL aqui seja um divisor de águas, que chegue para fazer a diferença e para ajudar a endireitar essa região. Precisamos trazer o nosso Nordeste mais para a direita", declarou a parlamentar.

O vereador Luís André, presidente do PSL no Piauí, pontou a alegria e importância do novo espaço físico do partido. “Você não sabe o esforço que toda militância e a executiva do partido fizeram, para que que tivéssemos toda essa festa. Não só para todos os correligionários e pessoas que querem fazer o PSL no Piauí, no interior e na capital, ter uma sede própria”, declarou.

À frente da sigla, o parlamentar da capital destacou que com a nova sede, ficará mais fácil e ágil a formação de comissões provisórias do partido nas cidades do interior do estado. Além de expansão da legenda, o PSL almeja sua consolidação política em Teresina, visando não apenas as eleições municipais de 2020, mas também o pleito de 2022.  

(Foto: Divulgação

“A missão do partido no interior é fazer dez prefeitos, 20% da bancada dos prefeitos do Piauí. Na maioria das capitais do país iremos lançar candidatura própria, inclusive em Teresina, é bom deixar claro que teremos um candidato a prefeito”, afirmou o pesselista.

A intenção do partido é manter a aliança político-administrativa com o prefeito Firmino Filho (PSDB), que tentará a eleição do seu sucessor, pelo menos até a definião de um nome para disputa ao Palácio da Cidade, o que, de acordo com o vereador, só deve acontecer no próximo ano. “Não podemos falar agora porque o momento é de diálogo”, ressaltou.

Recado

Ao assumir recentemente o controle do PSL no Piauí, Luís André chegou a ter sua presidência contestada por alguns integrantes da sigla. Ele reforçou a união entre os correligionários. “As pessoas que querem ajudar irão ficar no partido, mas as que querem atrapalhar, que procurem o seu rumo”, finalizou.

Em Teresina, Joice Hasselmann propõe uma trégua a Wellington Dias

Em Teresina, Joice Hasselmann propõe uma trégua a Wellington Dias

Deputada ressaltou sua oposição ao petista, mas cobrou empenho do governador pela aprovação da Reforma da Previdência

Líder do governo Bolsonaro no Congresso Nacional, a deputada Joice Hasselmann (PSL) afirmou a imprensa neste sábado (1), durante a inauguração da nova sede estadual do seu partido em Teresina , que está disposta a dar uma trégua nos embates políticos com o governador Wellington Dias (PT), desde que ele se empenhe pela aprovação da Reforma da Previdência.

(Foto: Divulgação)

“Digo uma coisa, se ele quer ajudar o país, comece a trabalhar pela Previdência, vamos esquecer um pouco, só até sua aprovação, as questões político-ideológicas. Ele que bote a bancada dele para ajudar a votar a Previdência [...] Ainda que seja de um partido antagônico ao meu, espero que haja um pouco de responsabilidade não é comigo não, é com o povo do Piauí”, disse a deputada.

Apesar de eleita por São Paulo em 2018, Hasselmann mantém fortes relações com o estado do Piauí. Ela é casada com o neurocirurgião piauiense Daniel França, e se notabilizou na internet com críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT), e por consequência ao governo W. Dias, a quem se refere como “índio”.

“A situação do Índio não está fácil e a do povo menos ainda. Espero que o povo escolha melhor o seu representante nas próximas eleições. Não concordo em absolutamente nada em relação ao que o Índio faz, ao cuidado que ele tem com o povo, porque não tem”, enfatizou a pesselista.  

A líder bolsonarista tem feito uma série de viagens pelas capitais da região Nordeste para defender e viabilizar a aprovação das mudanças no sistema previdenciário brasileiro. 

“É fundamental olhar para o futuro”, afirma Firmino em Convenção PSDB

“É fundamental olhar para o futuro”, afirma Firmino em Convenção PSDB

Representando o PSDB do Piauí declarou apoio ao novo presidente nacional da sigla, o ex-ministro Bruno Araújo

Ao discursar nessa sexta-feira (31) durante a Convenção Nacional do PSDB, realizada em Brasília, o prefeito de Teresina Firmino Filho defendeu que a sigla precisa fazer mais do que uma autocrítica. Para Firmino, o momento exige que o PSDB reflita sobre os erros do passado e olhe para o futuro.

“É importante que o PSDB possa refletir sobre a história, do nosso partido e do nosso Brasil. Fizemos muito nesse país. O país Pós-88 tem assinatura do PSDB na sua construção. É importante olhar para o passado, não apenas lembrando o que de bom fizemos, mas também refletindo sobre os nossos erros para que possamos avançar. Não basta cultuar a história, não basta fazer autocrítica daquilo que passou, é fundamental olhar para o futuro” afirmou Firmino em seu discurso.

O prefeito de Teresina participou da convenção em Brasília e agora compõe a executiva da sigla (Foto: Divulgação)

Representando o PSDB do Piauí, Firmino também declarou apoio ao novo presidente nacional da sigla, o ex-ministro Bruno Araújo. “Desejamos que o nosso novo presidente seja abençoado nessa nova missão de colocar o PSDB em sintonia com o futuro e com os nossos valores. O PSDB do Piauí está presente e se coloca à disposição”, disse o prefeito de Teresina.

Além de Firmino Filho, participaram da Convenção Nacional o presidente estadual do PSDB, Luciano Nunes; o deputado estadual, Marden Menezes; O ex-governador e diretor do Sebrae-PI, Freitas Neto; além de lideranças que compõe o partido no interior do estado.

Átila Lira admite possibilidade de trocar PSB pelo Democratas

Átila Lira admite possibilidade de trocar PSB pelo Democratas

O Deputado federal nunca escondeu a insatisfação com a sigla e pode deixar a legenda para ingressar nos quadros do DEM

Destoando do posicionamento do PSB no Congresso Nacional em relação ao governo federal, o deputado Átila Lira (PSB) nunca escondeu a insatisfação com a sigla e admitiu, em entrevista a imprensa local nesta sexta-feira (31), que pode deixar a legenda e ingressar nos quadros do Democratas (DEM).

“É uma possibilidade [...] Eu tenho uma ligação hoje muito grande com o DEM, com o Heráclito e com o Rodrigo Maia. É um partido que me alinha, do ponto de vista de pensamento”, declarou o parlamentar, que inclusive esteve na convenção nacional do Democratas, que aconteceu na última quinta-feira (30) em Brasília.

O parlamentar diz que tem um pensamento que combina com o DEM, além de ter amigos na sigla (Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Átila, que coordena a bancada federal piauiense, aguarda o aval da Justiça Eleitoral para oficializar a troca partidária sem prejuízos ao mandato, o que só deve acontecer no próximo ano, quando abre a janela para mudanças de legenda. Ele assegura que a possível ida ao Democratas, que faz oposição ao governador Wellington Dias (PT), não prejudicará sua relação com o Executivo estadual.

“Não vou me integrar a questão de ser governo estadual, eu o ajudo. Não sou homem que vou atrás de participar de governo, sou coordenador de bancada e deputado federal, e vou ajudar, com os demais parlamentares, o governo do Estado.”, reforçou o deputado.

Entretanto, Átila fez questão de ressaltar que, nas eleições municipais de 2020 estará no mesmo palanque do prefeito Firmino Filho (PSDB), que tentará eleger seu sucessor. Na questão política municipal nós temos uma ligação muito grande com o Firmino”, finalizou.

Novo vai iniciar processo para escolher candidato à Prefeitura

Novo vai iniciar processo para escolher candidato à Prefeitura

O partido inova ao realizar um processo seletivo para analisar os pré-candidatos ao Executivo

A direção estadual do Partido Novo vai iniciar nos próximos dias o processo seletivo para os interessados em disputar a Prefeitura de Teresina nas próximas eleições municipais. A sigla já atingiu a meta de 150 filiações em Teresina, exigência da direção nacional para o lançamento de candidaturas majoritárias.

“Nesse processo seletivo a gente quer avaliar se a pessoa tem capacidade de governar a nossa cidade. Não é obrigado ter posses ou ser rico, como muita gente acredita, mas a pessoa tem que ter capacidade de angariar recursos para sua campanha, através de doação, porque não utilizamos dinheiro público. O partido é mantido por seus filiados e doadores”, explica o coordenador estadual do Novo, Wallace Miranda.

O partido é mantido por seus filiados e doadores”, explica o coordenador estadual do Novo, Wallace Miranda (Foto: Elias Fontinele)

Os membros do Partido Novo também vivenciam a expectativa da abertura de processos seletivos para os interessados em disputar as eleições no interior do estado. “No interior ainda depende do número de filiados. Sem filiados, não tem como financiar, e sem condição financeira o partido não entra em uma campanha”, pontua Wallace Miranda.

As inscrições para o processo seletivo podem ser realizadas através do site oficial do Partido Novo, a partir do próximo dia 15 de junho. A sigla também deve iniciar no próximo mês de outubro um processo seletivo para os interessados em disputar vagas na Câmara Municipal de Teresina. 


31 de maio de 2019

Abertura de crédito especial no orçamento é aprovada na CMT

Abertura de crédito especial no orçamento é aprovada na CMT

O Legislativo atendeu a um pedido da Prefeitura de Teresina. Montante será destinado à FMS e à Semcop.

Atendendo a um requerimento da Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), a Câmara de Vereadores da capital (CMT) autorizou, nesta quinta-feira (30), a abertura de crédito especial ao orçamento vigente no valor de R$ 1,08 milhão. O montante será destinado para a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e para a Secretaria Municipal de Concessões e Parcerias (Semcop). 

A vereadora Graça Amorim, líder do prefeito na CMT, destacou a importância da liberação dos recursos, que irão beneficiar a recém-inaugurada Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Satélite, zona Leste da cidade, que será contemplada com um total de R$ 400 mil, realocados do orçamento já previsto para a FMS.

“Ela foi recentemente inaugurada e logo após isso teve que receber parte dos serviços do hospital do Dirceu, que está em reforma. Parte dos seus serviços tiveram que ser removidos para a UPA do Satélite”, explicou a parlamentar.


Câmara Municipal de Teresina - Foto: Poliana Oliveira/O Dia

Já o líder da oposição no legislativo municipal, Edilberto Borges (PT), o Dudu, não poupou críticas a solicitação de crédito especial enviado à Casa prefeito Firmino Filho (PSDB). Isso porque a PMT destinará R$ 685 mil à Semcop elaborar um estudo para viabilidade para a construção de uma usina de energia fotovoltaica.

“Nós gastamos muito e mal. Porque não pegamos esses R$ 685 mil e destinamos, por exemplo, para a contratação de neurologista e de ortopedista, que estão faltando? Eu só posso dizer que a Prefeitura, mais uma vez, se utiliza do instrumento de remanejamento de verba, tirando de uma área essencial que é a saúde, e jogando de outra que ninguém sabe o que é”, disparou o petista.

No caso da Semcop, a suplementação se dará por meio da anulação parcial de dotações orçamentárias da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro/Norte.

Firmino Filho vai participar da executiva nacional do PSDB

Firmino Filho vai participar da executiva nacional do PSDB

O prefeito de Teresina informou que não tem interesse em ocupar cargo de chefia no diretório nacional da sigla, mas pode fazer parte da executiva tucana.

O prefeito Firmino Filho deve ser eleito como um dos membros da nova executiva nacional do PSDB durante a convenção da sigla, que acontece nesta sexta-feira (31), em Brasília. Firmino, que já fez parte da direção do PSDB em outras oportunidades, tem o aval de grandes lideranças do partido, como o governador de São Paulo, João Dória e o ex-ministro da Saúde, José Serra. 

O prefeito de Teresina confirmou que o seu nome está colocado para compor a nova executiva, mas descarta assumir a tesouraria nacional do partido, como chegou a ser especulado nos últimos dias.  “Já estivemos presentes em três edições da executiva nacional e, eventualmente, deveremos fazer parte da nova executiva. Não gostaria de assumir um cargo com mais responsabilidade, basicamente porque isso exigiria mais tempo em Brasília, além de outras responsabilidades adicionais”, explicou. 


Foto: Jailson Soares/O Dia

Firmino também defendeu o processo de reposicionamento político e ideológico que o PSDB vem passando nos últimos anos. De acordo com ele, o partido precisa estar adaptado à nova conjuntura, para voltar a ser protagonista na política nacional. 

“Depois de todas as experiências que o PSDB teve na história recente, o partido está, de alguma forma, se reposicionando, com novas lideranças, um posicionamento político ao centro, com compromisso com a democracia e políticas sociais, mas também com um compromisso com uma economia mais liberal, e menos estatizante”, pontuou. 

A expectativa é que o ex-ministro das Cidades e ex-deputado federal, Bruno Araújo, seja eleito nesta sexta-feira como o novo presidente nacional do PSDB.

Deputados e entidades discutem déficit do Mais Médicos no Piauí

Deputados e entidades discutem déficit do Mais Médicos no Piauí

Quadro é considerado preocupante, principalmente após a desistência dos selecionados no novo edital.

A Comissão de Educação, Cultura e Saúde da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) realizou na manhã desta quinta (30), uma audiência pública para discutir a situação do Programa Mais Médicos nos municípios piauienses. Segundo Henrique Pires (MDB), propositor do encontro que reuniu entidades ligadas a área da Saúde, o quadro é preocupante, principalmente com a desistência dos selecionados no novo edital.

De acordo com o deputado, o problema foi agravado com a saída dos profissionais cubanos do programa. “A situação da saúde em vários municípios piauienses é gravíssima e a ausência de médicos de atendimentos básico faz muita falta. Tem pacientes sendo transferido para Teresina com problemas que poderiam ser resolvidos lá, por um médico de atenção básica”, disse o deputado.

Para o representante do Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi), José Almeida, a única forma de atrair esses profissionais para as cidades do interior é com concurso público e estruturando as unidades de saúde e hospitais. “O médico que trabalha no interior tem que levar material próprio para atender os pacientes. A única forma de fixar um médico no interior é se tivermos um Plano de Cargos e Carreiras, como tem um juiz e um promotor”, disse.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

O representante do Conselho Regional de Medicina (CRM PI), Walace Miranda, ratificou a questão da falta de estrutura como um dos motivos para o grande índice de abandono no Mais Médicos. O problema é o médico sair de Teresina para atender e não ter estrutura, com os aparelhos quebrados, sem insumos para trabalhar, sem medicamentos, sem até lençol e comida. O médico é mais uma vítima, assim como os pacientes”, pontuou.

O coordenador de Atenção à Saúde da Secretaria de Saúde, Hérlon Guimarães, disse que o Programa Mais Médicos precisa ter um cadastro de reserva visando a substituição imediata dos profissionais que pedirem o seu desligamento do programa. Segundo ele, atualmente, ocorre uma demora de até 90 dias para que essa substituição seja efetivada, prejudicando o atendimento dos pacientes.

A audiência foi comandada pela presidente da comissão, deputada Teresa Britto (PV), e contou com a presença de outros parlamentares, como Cícero Magalhães (PT). Lucy (Progressistas) e Franzé Silva

Merlong assume Secretária de Administração no próximo dia 10

Merlong assume Secretária de Administração no próximo dia 10

O futuro gestor da Seadprev já definiu o combate ao déficit previdenciário como o principal desafio à frente da pasta.

O deputado federal Merlong Solano (PT) já tem data marcada para assumir o comando da Secretaria de Administração e Previdência (Seadprev). A posse acontece no próximo dia 10 de junho, data definida em reunião realizada com o governador Wellington Dias.  O atual secretário da pasta, Ricardo Pontes, ocupará o cargo de presidente da Fundação Piauí Previdência.

O futuro gestor da Seadprev já definiu o combate ao déficit previdenciário como o principal desafio à frente da pasta. "O déficit previdenciário consumiu R$ 1,2 bilhão do orçamento estadual em 2018. É um gargalo imenso, para o qual precisamos encontrar uma solução, que não depende exclusivamente do Estado. Por isso, estamos buscando diálogo com os demais governadores e com o governo federal", pontuou Merlong. 

A reforma administrativa aprovada no último mês de março também deu maiores atribuições à SeadPrev, que passou a concentrar os processos de licitação do governo do Estado. A pasta ainda é responsável pela gestão dos servidores público estaduais, ativos e inativos. 


Foto: Jailson Soares/O Dia

Câmara 

Em seus últimos dias na Câmara Federal, Merlong Solano colhe assinaturas para apresentar Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visa garantir aos estados produtores de energia eólica e solar 30% do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre energia elétrica produzida a partir dessas duas fontes. 

O parlamentar conseguiu reunir mais de 100 assinaturas a favor da medida e espera ter as 171 necessárias antes de deixar a Câmara. “O Piauí está entre os maiores produtores de energia limpa do Brasil, ocupando o terceiro lugar na produção de energia solar e o quinto lugar na produção de energia eólica. É justo que isso se materialize em mais riqueza, em mais recursos para o povo piauiense”, destacou.

Governo diz que pedidos de aposentadoria vão tramitar normalmente

Governo diz que pedidos de aposentadoria vão tramitar normalmente

Mais de 600 processos estão relacionados à ação que corre no Supremo sobre mudança de regime.

O presidente da Fundação Piauí Previdência, Marcos Steiner, garantiu que todos os processos de aposentadoria dos servidores públicos estaduais vão continuar tramitando normalmente na Procuradoria Geral do Estado (PGE), apesar do governo aguardar o resultado Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF Nº 573), que tramita no STF, e trata da possibilidade de mudança no regime previdenciário.  A decisão foi tomada nessa quinta-feira (30), após uma reunião entre o governador Wellington Dias e representantes da PGE.

De acordo com Marcos Steiner, são aproximadamente 600 pedidos de aposentadoria impetrados por servidores que ingressaram no estado sem concurso público e que já possuem os requisitos necessários. “Na discussão que tivemos, eles vão sim poder se aposentar pelo regime próprio, sem nenhum problema. A gente chegou à conclusão que enquanto não tiver uma decisão do STF, não podia se dar um passo à frente, e essas pessoas também não poderiam ficar aguardando a decisão do STF. Todos esses processos, em torno de 600,  de um montante de aproximadamente 1500, vão ser  analisados. Estando dentro da lei, para aposentadoria, serão aposentados pelo Estado”, explicou. 


O superintendente diz que os servidores não podem esperar o entendimento do STF - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Para o presidente da Fundação Piauí Previdência, a tramitação dos pedidos de aposentadoria não chegou a ser suspensa pelo governo do Estado. “Na verdade, não havia processos parados. Eles haviam tramitado até um ponto, e estavam aguardando uma decisão da PGE”, explicou. 

Ainda de acordo com Marcos Steiner, o governo precisa ter cautela e aguardar um posicionamento definitivo do STF sobre a possiblidade de mudança no regime previdenciário dos servidores que ingressaram sem concurso. De acordo com ele, também é preciso levar em consideração o déficit previdenciário do Piauí. 

“A situação é complexa, então precisamos ter uma responsabilidade diante disso. Eu não estou tratando só da vida dos servidores, mas de 3 milhões de piauienses. O déficit previdenciário atinge os servidores, mas também atinge todos os piauienses”, pontuou. 

30 de maio de 2019

Evaldo Gomes confirma retorno à base aliada de Wellington Dias

Evaldo Gomes confirma retorno à base aliada de Wellington Dias

De acordo com parlamentar, o convite para retornar à base partiu do próprio governador.

O deputado estadual Evaldo Gomes (SD) confirmou o retorno do seu grupo político à base aliada do governador Wellington Dias (PT). A definição aconteceu na tarde dessa quinta-feira (30) após uma reunião no Palácio de Karnak. De acordo com parlamentar, o convite para retornar à base partiu do próprio governador. 


O deputado saiu da base governista no ano passado, durante as convenções partidárias para as eleições de 2018. (Foto: Divulgação)

“Eu não sou um desconhecido, já participei do governo e fui vice-líder. Por uma questão de divergências pontuais, em termos de estratégia eleitoral, tive que sair da base. O convite para retornar partiu do governador, acho que isso prova que ele é uma pessoa sem mágoas, desprovida de ódio, e ao mesmo tempo humilde. Também prova que ele gosta da nossa atuação e tem respeito. então, isso pesa muito na hora da gente tomar uma decisão”, afirmou Evaldo. 

Questionado se o Solidariedade vai pleitear algum espaço na administração estadual, Evaldo Gomes não descartou a possibilidade, mas disse que as conversas nesse sentido ainda não aconteceram. “Essa questão não é prioridade. Pode ser que a gente ocupe algum cargo no governo no estado, mas isso não foi a prioridade da conversa”, destacou. 

Evaldo Gomes também diz que não acredita em dificuldades por fazer parte da base de Wellington Dias (PT), no governo do estado, e de Firmino Filho (PSDB), na Prefeitura de Teresina. Segundo ele, outros partidos estão na mesma situação e conseguem manter o bom relacionamento. “PTB, PDT, e PC do B estão na base do governador Wellington Dias e também dão sustentação ao prefeito Firmino Filho. então, é possível sim diferenciar”, avaliou. 

Deputados e entidades da saúde discutem déficit do Mais Médicos no Piauí

Deputados e entidades da saúde discutem déficit do Mais Médicos no Piauí

De acordo com Henrique Pires, o problema foi agravado com a saída dos profissionais cubanos do programa.

A Comissão de Educação, Cultura e Saúde da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) realizou na manhã desta quinta-feira (30) uma audiência pública para discutir a situação do programa Mais Médicos nos municípios piauienses. Segundo Henrique Pires (MDB), propositor do encontro que reuniu entidades ligadas à área da saúde, o quadro é preocupante, por conta das desistência de vários dos médicos selecionados no último edital.

De acordo com Henrique Pires, o problema foi agravado com a saída dos profissionais cubanos do programa. “A situação da saúde em vários municípios piauienses é gravíssima, faltando até médicos para atendimentos básicos. Tem pacientes sendo transferidos para Teresina com problemas que poderiam ser resolvidos lá, por um médico de atenção básica”, pondera o deputado.

Audiência pública aconteceu na manhã desta quinta-feira, na Assembleia Legislativa do Piauí (Foto: Assis Fernandes / O DIA)

Para o representante do Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi), José Almeida, a única forma de atrair esses profissionais para as cidades do interior é com concurso público e estruturando as unidades de saúde e hospitais. “O médico que trabalha no interior tem que levar material próprio para atender os pacientes. A única forma de fixar um médico no interior é se tivermos um Plano de Cargos e Carreiras, como tem um juiz e um promotor”, disse.

O representante do Conselho Regional de Medicina (CRM-PI), Walace Miranda, apontou a falta de estrutura como um dos motivos para o grande índice de abandono no Mais Médicos. "O problema é o médico sair de Teresina para atender e não ter estrutura, com os aparelhos quebrados, sem insumos para trabalhar, sem medicamentos, sem até lençol e comida. O médico é mais uma vítima, assim como os pacientes”, pontuou.

Saída dos médicos cubanos do programa do Governo Federal, que foi bastante comemorada pelo CRM-PI, deixou muitos municípios sem qualquer assistência básica (Foto: Assis Fernandes / O DIA)

O coordenador de Atenção à Saúde da Secretaria de Saúde, Hérlon Guimarães, sugeriu que o programa Mais Médicos tenha um cadastro de reserva, visando a substituição imediata dos profissionais que pedirem o seu desligamento do programa. Segundo ele, atualmente ocorre uma demora de até 90 dias para que essa substituição seja efetivada, prejudicando o atendimento dos pacientes.

A audiência foi comandada pela presidente da comissão, deputada Teresa Britto (PV), e contou com a presença de outros parlamentares, como Cícero Magalhães (PT). Lucy Soares (Progressistas) e Franzé Silva (PT).

Alepi não criará dificuldade para governo contrair empréstimos

Alepi não criará dificuldade para governo contrair empréstimos

O Governo também aguarda o Programa Emergencial Financeiro, anunciado pelo ministro Paulo Guedes, que deve ser enviado ao Congresso nos próximos dias.

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) deve receber nos próximos dias um projeto, de autoria do Executivo, para alongamento da dívida estadual. Além disso, o governo estuda a obtenção de novos empréstimos, que também precisa da autorização do parlamento estadual, o que, segundo o deputado João Madison (MDB), deve ser aprovado facilmente pelos seus pares.

“Todo dinheiro para o Estado é bom. Para ter uma ideia, vamos precisar de R$ 450 milhões para recuperar as estradas que estão deterioradas pelas chuvas, então é importante que esse dinheiro venha. A Assembleia fará sua parte, que é dar autorização, mas que realmente o governo federal libere, não fique só nesse ‘vai não vai’, queremos que o governo libere esse dinheiro, pois no que depender da Assembleia não terá dificuldade nenhuma”, enfatizou o emedebista.

A intenção é ampliar o prazo para quitação dos valores investidos nos últimos anos, uma maneira de compensar as altas taxas de juros cobradas nestes contratos. O governador Wellington Dias (PT) também aguarda o Programa Emergencial Financeiro, anunciado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que deve ser enviado ao Congresso Nacional nos próximos dias.

Vale destacar que Wellington Dias conta hoje com o apoio da ampla maioria dos deputados, tanto em plenário como nas comissões ´técnicas da Alepi, o que reforça a facilidade para aprovação de matérias do interesse do governo.

Francisco Limma, líder do governo minimiza a criticas de Lucy

Francisco Limma, líder do governo minimiza a criticas de Lucy

Para Limma, a postura contundente de Lucy não é motivada por questões políticas.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Francisco Limma (PT), minimizou as críticas da deputada estadual Lucy Soares , que comparou os hospitais do interior do estado a ‘matadouros’. Para Limma, a postura contundente de Lucy não é motivada por questões políticas, apesar dela ser esposa do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), apontado como provável candidato ao governo do Estado em 2022.

“Acredito que não. Acho que era o momento mais emocional, pela situação. Quem não convive no dia a dia com a realidade termina às vezes se chocando com a realidade que a gente vê. Às vezes as pessoas se emocionam e externam seus sentimentos de uma maneira que não gostariam”, avaliou Limma. 

Lucy Soares chegou a afirmar que o governo do Estado deveria adotar como espelho o modelo de saúde da prefeitura de Teresina. Para o líder do governo na Alepi, os problemas encontrados no interior do estado também se repetem na capital. 

“Vá aos corredores do HUT, ou de qualquer hospital de Teresina, para você vê o que encontra lá. Em qualquer hospital, até nos privados, quem já esteve com algum amigo ou algum ente familiar, sabe que você encontra coisas que não gostaria de ver”, pontuou Limma. 

Lucy volta a criticar situação dos hospitais: “Fiquei chocada”

Lucy volta a criticar situação dos hospitais: “Fiquei chocada”

Apesar da postura crítica ao comentar a situação dos hospitais, Lucy Soares garante que não faz parte do bloco de oposição

A deputada estadual Lucy Soares (Progressistas) subiu o tom e fez duras críticas à gestão da saúde pública do Piauí. A parlamentar voltou a comparar os hospitais do interior a matadouros, ao comentar a situação identificada pela comissão de saúde da Assembleia Legislativa durante as visitas realizadas aos hospitais Tibério Nunes, em Floriano e Justino Luz, em Picos, na região sul do estado. 

“No Hospital Tibério Nunes, a situação é precária, faltam medicamentos, há problemas no pagamento dos profissionais de saúde e dos contratados, as pessoas estão alojadas no corredor. A outra situação é a do hospital de Picos. Confesso que fiquei chocada e meu pronunciamento foi forte demais, no momento que comparei a situação dos hospitais com matadouro, mas esse foi o meu sentimento ao ver pessoas no corredor, jogadas no galpão sem estrutura, sem janelas, e com gatos e ratos presentes no ambiente”, afirmou. 

Lucy e os demais deputados que compõem a comissão de saúde da Assembleia cobram explicações do governador Wellington Dias (PT) e do secretário de Saúde, Florentino Neto. “Quero convidar o governador e o secretário para nos acompanhar nessas visitas, para conhecer de perto a realidade da nossa saúde”, pontuou a deputada.

Apesar da postura crítica ao comentar a situação dos hospitais, Lucy Soares garante que não faz parte do bloco de oposição. “Não sou oposição, só estou cumprindo com meu papel de deputada, que é fiscalizar o trabalho do papel executivo”, explicou.