• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Notícias Política

09 de janeiro de 2020

“Sou apenas missionária”, diz suposta líder de invasão

“Sou apenas missionária”, diz suposta líder de invasão

Ela afirma que atua apenas como voluntária, auxiliando as cerca de 100 famílias que vivem no local, através de trabalhos comunitários e religiosos.

Em contato com a reportagem do Jornal O Dia, Elita Ferreira de Souza, apontada como líder da invasão de uma área no loteamento Mirante dos Morros, zona leste da capital, negou categoricamente que esteja à frente do grupo. Ela afirma que atua apenas como voluntária, auxiliando as cerca de 100 famílias que vivem no local, através de trabalhos comunitários e religiosos. 

“Eu sou apenas uma missionária. Eu fazia vigílias a noite lá, fazendo orações e ganhando eles para Jesus. Faço um trabalho de levar a palavra de Deus para os dependentes químicos, tem vários vídeos que compravam isso. Sou apenas uma missionária fazendo a obra, como outros pastores vão lá orar, apaziguar e levar uma palavra”, relatou. 


“Sou apenas missionária”, diz mulher líder de invasão na Zona Leste. (Foto: Reprodução)

Ainda de acordo com Elita, antes da chegada das famílias, o terreno ocupado era completamente tomado pelo lixo e por um matagal. Ela afirma que somente após a limpeza e recuperação do espaço os supostos proprietários apareceram para requerer a posse do imóvel. 

Apesar de negar que está à frente da invasão, Elita Ferreira confirma que as famílias que ocupam os lotes passaram por um cadastramento e contribuíram com taxas em dinheiro, segundo ela, para a contratação de uma retroescavadeira para realizar a limpeza do terreno e retirada do matagal.

“São pessoas de bem que estão lá procurando um pedaço de terra”, ressaltou. Sobre as acusações de estelionato e o pedido de prisão preventiva que consta na ‘Notícia Crime’ protocolada junto à Polícia Civil, Elita Ferreira diz ter tranquilidade. Ela afirma que já procurou um advogado para auxilia-la. “Essa investigação é até boa porque vai mostrar a verdade”, pontua.

PSL e Solidariedade disputam filiação de ex-comandante de Picos

PSL e Solidariedade disputam filiação de ex-comandante de Picos

O Coronel Edwaldo Viana confirmou a pré-candidatura a prefeito de Picos e agora busca um partido para lhe conceder apoio nas eleições.

Após confirmar que pretende disputar a Prefeitura de Picos em 2020, o tenente coronel Edwaldo Viana passou a ser alvo de disputa entre partidos políticos. O militar, que deixou recentemente o comando do 4º Batalhão da Polícia Militar,  tem a sua disposição o PSL para disputar as eleições do próximo mês de outubro.  

“O coronel Edwaldo Viana foi de uma forma drástica foi exonerado do comando. O bom é que o PSL vai ter um candidato forte em Picos. Só depende dele. Vamos ter uma conversa esses dias para que possamos trazer ele para o partido. É uma grande revelação na política de Picos”, declarou.

Luis André acredita que o nome de Edwaldo Viana incomodou as forças políticas do município depois de ganhar destaque na política local. O presidente do PSL relacionou os grupos que pretendem disputar o executivo do município e os responsabilizou pela exoneração do comandante.


O militar tem conversado com líderes de siglas sobre as eleições. (Foto: Reprodução)

“Lá tem o candidato do governo. Do outro lado o candidato do Progressista. E não aceitam uma terceira via. Mas quem decide é o povo de Picos que está atento a todos esses problemas que estão acontecendo na cidade, principalmente com esse ato do governo, do secretário de Segurança e o comando da polícia”, afirmou.

Quem também demonstra interesse na filiação do ex-comandante da PM em Picos é o Solidariedade. A sigla, presidida pelo deputado estadual Evaldo Gomes, também formalizou o convite e aguarda a resposta da parte de Edwaldo Viana. “O convite foi feito. Temos total interesse, mas tudo é conversa”, disse Evaldo Gomes, ao comentar 

a possível chegada do militar aos quadros do Solidariedade. Por ser militar, Edwaldo Viana possui um prazo maior para definir sua filiação partidária, caso realmente vá para a disputa pela prefeitura de Picos no mês de outubro. A filiação pode ser efetivada apenas no período das convenções, previstas para o mês de agosto. 

08 de janeiro de 2020

Rubenita Lessa volta a se reunir com Bolsonaro no Palácio do Planalto

Rubenita Lessa volta a se reunir com Bolsonaro no Palácio do Planalto

A advogada tratou sobre política e apresentou demandas do estado durante o encontro

A advogada Rubenita Lessa voltou a se reunir nessa quarta-feira(08) com o presidente da República, Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, em Brasília. Responsável no Piauí pela implantação e coleta de assinaturas em prol do ‘Aliança pelo Brasil’, novo partido do presidente, a advogada tratou sobre política e apresentou demandas do estado durante o encontro. 

“Na reunião, conversamos muito sobre o Piauí, sobre Teresina, política partidária, minha pré-candidatura em Teresina, dentre outras. Falamos ainda sobre a situação do interior, de cidades pequenas e sem perspectivas como Guaribas. Relatei a gravíssima violação de Direitos Humanos pelo Estado do Piauí, uma vez que 3 pessoas morreram no dia 16 de outubro do ano passado, à procura de água para beber”, contou. 

Rubenita Lessa também afirmou que entregou pessoalmente ao presidente da República um relatório sobre os principais problemas enfrentados pelo Piauí. “Deixei um relatório da situação do precária e do estado de abandono do nosso Piauí e, tenho certeza, que Jair Bolsonaro atentará ainda mais para o nosso povo e ajudará no desenvolvimento real de nossa terra querida”, afirmou. 

Questionada se o fato da maior proximidade com Bolsonaro poderia ser benéfico, do ponto de vista eleitoral, Rubenita, que é pré-candidata a Prefeitura de Teresina,  afirma que o momento é de trabalhar em prol do Piauí. 

“O relacionamento construído ao longo dos anos com o presidente e seu apelo popular são positivos, porém mais importante é representar nosso Piauí como voz daqueles que clamam por desenvolvimento real, efetivo e mais dignidade no Piauí”, declarou a advogada. 

Marina Santos defende que Fundo Eleitoral seja sancionado

Marina Santos defende que Fundo Eleitoral seja sancionado

A proposta, aprovada por deputados e senadores, prevê a destinação de R$ 2 bilhões no Orçamento de 2020 para dar aporte aos partidos nas eleições municipais deste ano.

Exercendo seu primeiro mandato como deputada federal, Marina Santos (SD) avalia positivamente seu primeiro ano legislativo, marcado pela apreciação de diversas pautas polêmicas, como a ampliação dos recursos públicos destinados ao Fundo Eleitoral para financiamento das campanhas dos partidos, proposta aprovada pelo Congresso e na qual ela votou favoravelmente. 

No entendimento da parlamentar, é preciso evitar a participação de empresas privadas no custeio das despesas dos candidatos, sob o risco destas influenciarem o mandato dos políticos. Ela entende que este processo deve subsidiado pelo poder público. “Acho que devemos satisfação à população em geral, por isso que sou favorável ao Fundo Eleitoral como está”, afirma.

A proposta, aprovada por deputados e senadores, prevê a destinação de R$ 2 bilhões no Orçamento de 2020 para dar aporte aos partidos nas eleições municipais deste ano, para isso, precisa ainda ser ratificada pelo presidente Jair Bolsonaro, que apesar de já ter se manifestado contrário ao texto, vem dando sinais de que pode sancionar o projeto.

Por se tratar de um tema polêmico, Marina Santos entende o impasse e a demora quanto à sanção presidencial, mas lembra que muitos parlamentares, inclusive ela, votaram pela aprovação da matéria atendendo a um pedido do próprio governo. “Foi ele (Bolsonaro) quem mandou essa pauta, e isso ficou muito claro no dia da votação, inclusive a orientação do governo era que se votasse pelo sim”, pontua.


“Acho pouco provável, mas não me furto de participar de qualquer desafio”

Em Teresina, o Solidariedade (SD) é um dos partidos da base de Firmino Filho (PSDB) que deseja indicar o vice na chapa majoritária deste grupo político para disputar a prefeitura, um dos nomes cotados para a vaga é o da deputada federal Marina Santos, que desconversou sobre a possibilidade.

A parlamentar avalia ser muito improvável ser a opção do partido para o pleito, dado o exercício do seu primeiro mandato político, porém, ressalta que não declinaria da oportunidade, caso assim determinasse a direção da agremiação, comandada a nível estadual pelo deputado Evaldo Gomes. 

“Se tiver de ser e o partido entrar em consenso que seja eu, serei, mas acho pouco provável, pois estou me desenrolando agora na Câmara, e sair de um projeto onde estou me ambientando e ir para outro, que também seria totalmente novo… Acredito que esse desafio, no momento, não será para mim, mas aceitaria”, declarou a deputada.

Outro partido que também já manifestou desejo pela vaga de vice é o Progressistas (PP). Por conta disso, especula-se que o SD poderia desembarcar da base tucana caso fosse preterido neste processo, hipótese rechaçada por Marina Santos. “Acredito que vamos continuar juntos com Firmino Filho”, finalizou.


Flávio Júnior coloca Republicanos como “caminho natural”

Flávio Júnior coloca Republicanos como “caminho natural”

Filiado há mais de 20 anos na agremiação política o parlamentar diz que problemas internos que o afastaram das decisões partidárias.

Apesar da legislação impedir sua troca de partido, o deputado Flávio Nogueira Júnior considera insustentável a sua permanência no PDT. Filiado há mais de 20 anos na agremiação política, o parlamentar cita, dentre outras coisas, problemas internos que o afastaram das decisões partidárias.

O distanciamento se acirrou quando seu pai, o deputado federal Flávio Nogueira, não seguiu a orientação partidária e votou favorável à reforma da Previdência. Por conta disso, sofreu uma série de punições impostas pela Executiva nacional, dentre as quais, a perda da presidência do diretório do partido no Piauí, atualmente comandado por uma comissão provisória.



“Ajudei e contribui com a criação de diretórios e comissões provisórias, mas nas eleições deste ano eu nem sequer fui ouvido em nada, nem fazendo parte da nova comissão provisória estadual me perguntaram. Então as pessoas que seguem a gente irão migrar conosco para o partido que formos”, disse Nogueira Júnior.

Uma das opções é o Republicanos (PR), que através do seu mandatário estadual, deputado Gessivaldo Isaías, considera praticamente certo a chegada dos dois parlamentares pedetistas aos quadros do partido, alternativa confirmada por Flávio Nogueira Júnior. “É o caminho natural”, avaliou.

07 de janeiro de 2020

Edwaldo Viana recebe convite do PSL para pré-candidatura em Picos

Edwaldo Viana recebe convite do PSL para pré-candidatura em Picos

O coronel foi exonerado depois de se envolver em polêmica que defendeu morte de criminosos

O coronel Edwaldo Viana, exonerado nesta terça-feira (7) do comando do 4º Batalhão da Polícia Militar de Picos, tem a sua disposição o PSL para disputar a prefeitura de Picos nas eleições municipais deste ano. A intenção é do presidente estadual da sigla Luis André.


Leia também

Comandante do 4º BPM é exonerado após defender morte de bandido 


“O coronel Edwaldo Viana foi de uma forma drástica foi exonerado do comando. O bom é que o PSL vai ter um candidato forte em Picos. Só depende dele. Vamos ter uma conversa esses dias para que possamos trazer ele para o partido. É uma grande revelação na política de Picos”, declarou.

Luis André declara que a filiação de Edwaldo Viana só depende dele mesmo (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Luis André acredita que o nome de Edwaldo Viana incomodou as forças políticas do município depois de ganhar destaque na política local. O presidente do PSL relacionou os grupos que pretendem disputar o executivo do município e os responsabilizou pela exoneração do comandante.

“Lá tem o candidato do governo. Do outro lado o candidato do Progressista. E não aceitam uma terceira via. Mas quem decide é o povo de Picos que está atento a todos esses problemas que estão acontecendo na cidade, principalmente com esse ato do governo, do secretário de Segurança e o comando da polícia”, afirmou.

A troca no comando do Batalhão de Picos aconteceu depois que o coronel Edwaldo Viana apareceu em vídeos que circularam nas redes sociais defendendo a morte de criminosos. Em novo vídeo que explica sua saída, o coronel afirma que sua exoneração não foi motivada pela polêmica, mas por forças políticas que aproveitaram o caso para exigir ao governador sua saída da cidade.

Novas filiações

Luis André disse que o partido segue conversando com vários vereadores e suplentes para a formação da chapa que disputará as eleições de outubro. A presença do vice-presidente nacional do PSL Antônio Rueda em Teresina, no próximo sábado (11), deve impulsionar as filiações ao partido.

“Estamos conversando com vereadores e intensificamos essas conversas em 2020. Muita novidade vai acontecer, inclusive com filiação de suplentes de vereadores. O nosso vice-presidente Rueda vai estar em Teresina e vai conversar com todos esses nomes e vem muita novidade por aí”, finalizou. 

Convocação de militares da reserva tem acelerado aposentadorias

Convocação de militares da reserva tem acelerado aposentadorias

Fábio Abreu diz que o retorno dos policiais não causa aumento de gastos.

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) aprovou, ainda no ano passado, um projeto de lei autorizando a convocação de militares estaduais da reserva de volta para ativa, o que tem acelerado o processo de aposentadoria de muitos policiais, é o que afirma Fábio Abreu (PL), secretário estadual de Segurança Pública


Leia também:

Isso porque ao retornar às atividades, o policial recebe uma gratificação adicional à sua aposentadoria, a ser custeado pelo órgão solicitante. A possibilidade de incremento nos rendimentos tem atraído não apenas os militares da reserva, mas também os da ativa. 

Fábio Abreu diz que o retorno dos policiais não causa aumento de gastos. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

“Praticamente todos aqueles que estavam voluntários para retornar já foram chamados, o que estamos observando é que a maioria está fazendo essa solicitação de reserva para imediatamente solicitar o retorno. Vamos acompanhar esse processo”, disse o secretário. 

Apesar disso, Abreu ressalta que nem todos os reservistas estão aptos ao retorno, haja vista uma série de critérios para isso, “Não temos uma estimativa de quantos já voltaram, mas a maioria dos policiais que têm idade, de acordo com as normas, está voltando para a ativa”, pontuou.

O secretário assegura que a medida não compromete a realização de concursos, pois não gera despesas ao estado uma vez que a gratificação desses agentes será paga, como já mencionado, pelos órgãos solicitantes de onde farão a segurança patrimonial, como do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), por exemplo.

“Consequência disso é que estaremos devolvendo policiais da ativa para as unidades realmente necessárias, ou seja, para a necessidade fim do policial que é o policiamento ostensivo, seja de viatura, de moto ou nas modalidades existentes na Polícia Militar e também da Polícia Civil”, finaliza o secretário.

Wilson Brandão impõe condições para retornar ao secretariado

Wilson Brandão impõe condições para retornar ao secretariado

O deputado já ocupou e mantém o controle da Secretaria de Estado da Mineração.

O deputado estadual Wilson Brandão (Progressistas) anunciou que o seu retorno para o comando da Secretaria de Mineração vai depender, entre outros fatores, de um incremento orçamentário na pasta


Leia também:

Segundo ele, o assunto deve ser tratado diretamente com o governador Wellington Dias (PT). Após cerca de quatro meses à frente da pasta, Brandão retornou ao legislativo no último mês de setembro para participar das discussões a respeito das novas operações e da Lei Orçamentária Anual de 2020. 

Wilson Brandão impõe condições para retornar ao secretariado. (Foto: Arquivo O Dia)

“Nós precisamos ter uma secretaria mais estruturada, uma secretaria que possa realmente prestar serviços ao Piauí. Nós temos hoje bilhões de reais sendo investido no Piauí, no norte e sul do estado, em novas linhas de transmissão e parques solares, e precisamos de uma secretaria bem estruturada para tal”, apontou Wilson Brandão. 

Nos próximos dias, a expectativa é que as conversas entre Wilson Brandão e o governador Wellington Dias avancem, possibilitando o retorno do parlamentar ao secretariado estadual. O regresso beneficiaria de forma direta a suplente Elisangela Moura (PC do B),  que poderá ser convocada mais uma vez pela Assembleia Legislativa. 

Antes suplente, Bessah se torna hoje deputado titular na Alepi

Antes suplente, Bessah se torna hoje deputado titular na Alepi

Ele ocupará a cadeira deixada pelo deputado Fernando Monteiro, que faleceu no final do ano passado.

Exercendo atualmente mandato de deputado na condição de suplente, Bessah (Progressistas) será empossado como titular nesta terça-feira (7) às 10h, no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa do PiauíEle ocupará a cadeira deixada pelo deputado Fernando Monteiro, que faleceu no final do ano passado. 


Leia também:

Bessah se torna hoje deputado titular na Alepi. (Foto: Thiago Amaral/Alepi)

Bessah passará a desfrutar de toda estrutura parlamentar assegurada aos deputados estaduais efetivos, como direito a gabinete próprio bem como a indicação de cargos legislativos, uma das principais queixas dos suplentes ao assumirem o mandato na Casa.

Com a respectiva posse a ordem na lista de suplentes também será alterada. Warton Lacerda (PT), antes na segunda suplência, passa a ocupar a primeira. Além disso, Belê Medeiros (Progressistas) deve ser convocada como quinta suplente, ampliando para seis a quantidade de deputados da bancada do seu partido em Plenário. 

João Madison não crê que eleições atrapalhem legislativo

João Madison não crê que eleições atrapalhem legislativo

Na Assembleia, ao menos três deputados estaduais devem sair como candidatos nas eleições municipais deste ano

As eleições municipais de 2020 devem impactar diretamente as atividades parlamentares, tanto nas Câmaras de Vereadores, onde muitos titulares tentaram a reeleição, como na própria Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), onde muitos deputados participam ativamente no apoio às suas bases


Leia também:

Apesar disso, o deputado João Madison (MDB) não acredita que haverá prejuízo na apreciação de determinadas pautas importantes na Alepi, que retorna às atividades no próximo mês após o recesso parlamentar. Para ele, é possível conciliar a função legislativa com os compromissos eleitorais

João Madison não crê que eleições atrapalhem legislativo. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

“Esse ano nós sabemos que é um ano eleitoral, então sempre trava um pouco, porque os deputados viajam para dar assistência às suas bases, mas queremos continuar trabalhando e também termos, em pelo menos dois dias, as votações naquela Casa, pois é importante para aprovarmos os projetos”, avalia o deputado. 

Em 2019, por exemplo, a Assembleia discutiu e aprovou várias pautas, algumas bastantes polêmicas, como as autorizações aos pedidos de empréstimos do governador Wellington Dias (PT) e a reforma da Previdência. Na Alepi, ao menos três titulares devem se afastar do mandato para disputar as eleições. Os deputados Fábio Novo (PT) e Georgiano Neto (PSD) são hoje pré-candidatos à Prefeitura de Teresina, enquanto Dr. Hélio (PL) deve disputar a Prefeitura de Parnaíba.

06 de janeiro de 2020

Elisangela e João de Deus devem retornar ao legislativo em 2020

Elisangela e João de Deus devem retornar ao legislativo em 2020

A Assembleia Legislativa deve sofrer mudanças em sua composição logo no começo do ano de 2020.

Nesta terça-feira (7), até então, primeiro suplente B.Sá (Progressistas) deve ser efetivado, na vaga que era ocupada por Fernando Monteiro, possibilitando o retorno da suplente Belê Medeiros(Progressistas) ao parlamento estadual, que deve ocorrer na retomada dos trabalhos, em fevereiro. 


Elissangela Moura (PC do B) vai ocupar a quarta suplência na Assembleia Legislativa do Piauí 

Agora, a lista de espera dos suplentes é encabeçada por Elisangela Moura (PC do B) e João de Deus (PT), que passam a ocupar a quarta e quinta suplência, respectivamente. A expectativa é que os dois também assumam cadeiras no legislativo estadual com o retorno de titulares para o secretariado. Nos bastidores, a informação é que Pablo Santos (MDB), Wilson Brandão (Progressistas) e Fábio Xavier (PL) são os mais cotados para compor a equipe do governador Wellington Dias em 2020.


Já João de Deus (PT) ocupar a quinta suplência no legislativo estadual

Paulo Martins (PT), Liziê Coelho (MDB) e Jovê Oliveira (PTB), próximos nomes da lista de suplentes, também sonham com a convocação para o legislativo estadual ainda em 2020. Para manter a esperança, eles se apegam no histórico do governador Wellington Dias, que na legislatura passada, após a engenharia política de montagem do secretariado, chegou a viabilizar a convocação de 14 suplentes para a Assembleia Legislativa. 

Gessivaldo Isaías quer disputar a vice-presidência da Alepi

Gessivaldo Isaías quer disputar a vice-presidência da Alepi

O deputado pretende viabilizar a indicação através do bloco parlamentar formado por Republicanos, Cidadania, PL , PSD e PDT.

O deputado estadual Gessivaldo Isaías (Republicanos) admitiu que possui interesse em ocupar a vice-presidência da Assembleia Legislativa do Piauí, cargo que ficou vago após o falecimento do deputado Fernando Monteiro (PRTB), no final do ano passado. 

Gessivaldo pretende viabilizar a indicação através do bloco parlamentar ‘Republicanos-Cidadania-PL- PSD e PDT’, que possui seis parlamentares na atual legislatura, aparecendo como uma das maiores bancadas da casa. 

Gessivaldo Isaías quer disputar a vice-presidência da Alepi. (Foto: Arquivo O Dia)

Apesar de confirmar que possui interesse em ocupar a vaga, o parlamentar prega cautela e diz que ainda pretende ter conversas com o presidente da Assembleia, Themístocles Filho (MDB), e com os deputados que fazem parte do seu bloco partidário: Fábio Xavier(PL), Carlos Augusto(PL), Dr. Hélio(PL), Oliveira Neto (Cidadania) e Georgiano (PSD).

 “Ainda não lancei uma précandidatura oficialmente, porque, realmente, preciso conversar com o presidente, até porque eu fui um dos que fiz campanha efetivamente para ele ser reeleito presidente. A Assembleia é feita de acordos. Querendo ou não, é uma eleição para uma vacância e precisa ser feita de forma democrática. O momento é de ouvir as opiniões”, disse. 

Ainda de acordo com Gessivaldo, por contar com seis deputados, o bloco partidário que ele faz parte possui força suficiente para pleitear a vaga, que também é alvo disputas entre Progressistas e PT, que possuem as duas maiores bancadas do legislativo estadual.

 Apesar do cenário de evidente disputa, ele diz que ainda acredita na possibilidade de um consenso entre as bancadas. “Acho que o consenso é o melhor pra casa”, avaliou.

“Nossa meta é eleger 50 prefeitos em 2020”, anuncia Assis Carvalho

“Nossa meta é eleger 50 prefeitos em 2020”, anuncia Assis Carvalho

Ele ressalta que a meta de eleger 50 prefeitos é viável e deve ser alcançada sem grandes dificuldades.

O Partido dos Trabalhadores quer alcançar a meta de 50 prefeitos na eleição municipal do próximo mês de outubro. De acordo com o presidente estadual da sigla, deputado federal Assis Carvalho, com a chegada de 2020, as estratégias para o fortalecimento à nível estadual já começam a ser implementadas. Ele ressalta que a meta de eleger 50 prefeitos é viável e deve ser alcançada sem grandes dificuldades. 

“Nossa meta é eleger 50 prefeitos em 2020. Vamos concluir esse planejamento até o final do mês, para, efetivamente, iniciarmos o trabalho. Atualmente, temos 36 prefeitos, então, essa meta de eleger 50 prefeitos está dentro um trabalho possível”, disse Assis Carvalho. 

“Nossa meta é eleger 50 prefeitos em 2020”, anuncia Assis Carvalho. (Foto: Arquivo O Dia)

Ainda de acordo com o presidente estadual, o Partido dos Trabalhadores vai atuar em 2020 para retomar o protagonismo no cenário político em todo o país. “Esse fortalecimento vai representar o resgate do nosso legado e da nossa história nos últimos anos, além de ajudar a combater um projeto que está botando a soberania nacional em ameaça”, afirmou. 

Teresina 

Sobre a disputa eleitoral em Teresina, onde o PT defende a pré-candidatura de Fábio Novo, Assis Carvalho avalia que a sigla não terá grandes dificuldades para consolidar apoios importantes, como o do governador Wellington Dias. “O partido está muito unido e eu não tenho dúvidas do apoio do governador”, declarou Assis. 

Codevasf anuncia recursos de R$ 130 milhões para municípios

Codevasf anuncia recursos de R$ 130 milhões para municípios

As ações serão voltadas a abastecimento de água, pavimentação e reforma de mercados de produtores rurais.

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) deve investir R$ 130 milhões no Piauí. Ao todo, a estimativa da empresa pública federal é executar 180 novos convênios em cerca de 160 municípios piauienses, celebrados no final do ano passado. 

As ações serão voltadas a abastecimento de água, pavimentação, reforma de mercados de produtores e construção de espaços multieventos para fortalecimento de atividades produtivas. 

Além dos convênios, outros R$ 95 milhões já foram aplicados diretamente pela Codevasf na aquisição de patrulhas agrícolas, intervenções de infraestrutura e abastecimento de água, por exemplo. 

“As propostas de contribuição para o desenvolvimento regional, os valores recebidos e a confiança do Governo Federal e dos parlamentares só refletem a confiança depositada na Codevasf de que a população certamente será agraciada com o que, de fato, foi investido”, afirma Inaldo Guerra, superintendente da 7ª Superintendência Regional da Codevasf. 

Ao longo de um período de 19 anos de atuação na Bacia do Rio Parnaíba, a Codevasf já celebrou e executou mais de 1.200 convênios, totalizando investimentos na ordem de R$ 1 bilhão. As ações promovem o desenvolvimento de municípios e beneficiam mais de dois milhões de pessoas, o que representa quase metade da população residente na região.

04 de janeiro de 2020

Expectativa de boa votação pode afastar aliados da base

Expectativa de boa votação pode afastar aliados da base

Com o fim das coligações proporcionais, as chapas formadas nos partidos de menor porte criam resistência contra alguns nomes, que são considerados fortes na disputa.

A expectativa de ter uma votação expressiva nas eleições municipais do próximo mês de outubro é um dos fatores que dificulta as articulações em busca de reeleição de alguns membros da base aliada do prefeito Firmino Filho (PSDB). Com o fim das coligações proporcionais, as chapas formadas nos partidos de menor porte criam resistência contra alguns nomes, que são considerados fortes na disputa.

Para barrar os candidatos considerados mais fortes, os partidos pequenos passaram a estabelecer o chamado teto de votos. A maior parte, utiliza como parâmetro uma votação entre 2 mil e 3 mil votos, o que deixa de fora nomes tradicionais, que, por outro lado, não conseguem viabilizar reeleição em partidos com chapas consideradas mais fortes.

Um dos casos mais emblemáticos até o momento é o do vereador Caio Bucar, que atualmente comanda a Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano- Eturb. De saída do PRTB, ele tem encontrado resistência de siglas da base aliada do Palácio da Cidade e, de acordo com informações de bastidores, não descarta migrar para a oposição para conseguir viabilizar sua reeleição.

Nas eleições de 2016, Bucar obteve 5.955 votos. Ele é apontado como um dos nomes fortes para a disputa em 2020, podendo ultrapassar a marca de 7 mil votos. Por ter uma reeleição encaminhada, o vereador é vetado em, praticamente, todos os partidos da base aliada de Firmino, inclusive no PSDB.

Outro aliado de Firmino que pode migrar para a oposição por conta de dificuldades de ser aceito em uma chapa é o suplente de vereador Marquinho Monteiro. Apesar de não ter alcançado a titularidade do mandato, em 2016 ele alcançou a marca de 5.019 votos e também é considerado um forte nome para a disputa.

03 de janeiro de 2020

Novo não deve ter candidato a prefeito de Teresina neste ano

Novo não deve ter candidato a prefeito de Teresina neste ano

O presidente do partido explica que um nome já tinha sido aprovado, mas por questão de foro íntimo, desistiu.

O Partido Novo não deve ter candidatura própria na disputa pela Prefeitura de Teresina nas eleições do próximo mês de outubro. O médico Leonardo Luz, único aprovado em todas as etapas do processo seletivo realizado pela sigla, acabou desistindo de entrar na disputa, por questões particulares. 

A informação foi confirmada pelo coordenador estadual do Novo, Wallace Miranda, que diz que um novo processo seletivo para a escolha de um candidato majoritário não é descartado, apesar de ser uma possibilidade extremamente remota. Segundo ele, o foco do partido passa a ser a formação de uma chapa proporcional

O presidente do partido explica que um nome já tinha sido aprovado, mas por questão de foro íntimo, desistiu. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

“Oito pessoas participaram, duas passaram para a segunda fase, e apenas uma passou para a terceira fase. Infelizmente, essa pessoa que passou para a terceira fase, por foro íntimo, acabou desistindo. Então, se a eleição fosse hoje, a gente não teria ninguém. Pode ser que aconteça um novo processo seletivo, mas não temos como garantir isso. Hoje não temos nenhuma perspectiva. A princípio, devemos ficar sem candidato a prefeito”, explicou Wallace Miranda.

Atualmente, os membros do Partido Novo também participam do processo seletivo para a formação de uma chapa proporcional, que irá disputar cadeiras na Câmara Municipal de Teresina. De acordo com o coordenador da sigla, o objetivo é eleger dois vereadores para a próxima legislatura.

 “O processo seletivo para candidatos a vereador vai até o dia primeiro de março. As inscrições podem ser feitas pelo site do partido”, disse.   

02 de janeiro de 2020

Regina Sousa se reúne com lideranças indígenas nesta sexta(3)

Regina Sousa se reúne com lideranças indígenas nesta sexta(3)

objetivo é discutir a compra pelo Governo do Estado de uma área para as mais de 300 famílias de índios tabajaras

A vice-governadora Regina Sousa e o presidente do Instituto de Terras do Piauí (Interpi), Chico Lucas, participam, nesta sexta-feira (3), de reunião com lideranças indígenas de Piripiri. O objetivo é discutir a compra pelo Governo do Estado de uma área para as mais de 300 famílias de índios tabajaras que há anos reivindicam terras para morar e trabalhar. O encontro será às 9h, na casa do cacique Vitor, na comunidade Canto da Várzea, na zona rural do município.

Regina Sousa informa que no mês de outubro de 2019 esteve em Piripiri, na casa do cacique José Guilherme, conversando com lideranças indígenas e ficou acertado que eles iriam procurar uma área para abrigar as famílias que vivem na zona urbana do município e na localidade Canto da Várzea. “ Índio não gosta de viver na zona urbana e como a cidade cresceu, eles acabaram ficando na zona urbana”, diz a vice-governadora. Ela acrescenta que o governo vai resolver a situação deles, comprando terras para acomodá-los, como já resolveu a dos índios que moram nos municípios de Queimada Nova, no sul do estado, e de Lagoa do São Francisco, na região norte.

A vice-governadora revela que os índios já encontraram uma área e que na reunião de sexta-feira, eles vão repassar informações sobre a terra que eles escolheram para acomodar as famílias que vivem na zona urbana e também na comunidade Canto da Várzea.

Regina Sousa informa que dono da área estará na reunião e que após o encontro irão conhecer a área escolhida pelas lideranças indígenas. A compra das terras será feita pelo Interpi e, por isso, o presidente o órgão, Chico Lucas, vai conversar com as lideranças e o dono da área que está à venda. “Nessa reunião, se Deus quiser, vamos resolver a situação das terras para as famílias indígenas”, disse a vice-governadora.

“Juiz de garantias dá celeridade aos processos”, defende Margarete

“Juiz de garantias dá celeridade aos processos”, defende Margarete

Margarete Coelho concluiu que o posicionamento contrário do ministro da Justiça Sérgio Moro ao juiz de garantias gerou desconfiança das pessoas

A deputada federal Margarete Coelho (Progressista), que presidiu o grupo de trabalho que analisou o pacote anticrime na Câmara Federal, voltou a defender as medidas aprovadas pelo Congresso Nacional. Ela afirmou que essa é a primeira que um pacote tão abrangente tratou sobre s temáticas.

Um dos pontos polêmicos da proposta aprovada é o juiz de garantias. Contudo, Margarete Coelho acredita que os processos possam ganhar mais agilidade com esse novo formato de atuação do judiciário.

“Quando se tem um juiz coordenando os trabalhos, mas é outro juiz que vai julgar, teremos menos nulidade. A parte do inquérito é muito sensível porque é onde a prova é feita. Vamos ganhar celeridade no processo”, defende. “É um desconforto inicial. Quando se falou em audiência de custódia também foi o mesmo desconforto, assim como quando falamos em Processo Judicial Eletrônico”, disse.

Deputada Margarete Coelho em entrevista ao O Dia News (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

A deputada explicou que nas cidades pequenas do interior dos estados que tiverem apenas um juiz por comarca, pode haver um revezamento do magistrado com outras comarcas. Por exemplo, se em sua comarca de origem o juiz atua como juiz de instrução, em outra ele será o juiz de garantias.

Outra possibilidade é a criação de Centrais Regionais de Inquéritos, modelo já utilizado há 40 anos no estado de São Paulo com o Departamento de Inquérito Policial e em Teresina com a Central de Inquérito Policial.

Margarete Coelho concluiu que o posicionamento contrário do ministro da Justiça Sérgio Moro ao juiz de garantias gerou desconfiança das pessoas. “A Lava Jato, que todos diziam que estava sendo atacada com isso, trabalha com juiz de garantia depois que o Sergio Moro saiu. Tem uma juíza que faz o inquérito e tem um juiz que instrui e julga. O ministro Sérgio Moro puxou muito pra ele. Ele passou a entende que era um ataque a Lava Jato”, finalizou. 

01 de janeiro de 2020

31 de dezembro de 2019

Wellington Dias pede investigação contra fake news da ceia de Natal

Wellington Dias pede investigação contra fake news da ceia de Natal

O político se manifestou através de mensagem nas suas páginas nas redes sociais e em nota à imprensa

Um post circulou na internet informando que a ceia de Natal da família do governador Wellington Dias (PT) teria chegado a R$ 145 mil. O governador negou a informação, classificou a postagem de fake news e pediu uma investigação para identificar de onde partiu a montagem.

O político se manifestou através de mensagem nas suas páginas nas redes sociais e em nota à imprensa. No Twitter, ele escreveu: “Infelizmente estão divulgando mais uma fake News sobre mim e minha família. É uma publicação irresponsável. Lamento muito o ódio que isso pode causar. Somente pessoas doentes agem assim. Fico triste com os que acreditam na força da mentira”.

Foto publicada pelo governador da ceia de Natal (Foto: Divulgação)

Já em nota à imprensa, o chefe do executivo estadual explicou que passou o Natal em cerimônia simples preparada pela família. Wellington Dias autorizou sua assessoria jurídica pedir investigação.

“O governador determinou ainda que uma investigação seja aberta contra os responsáveis pela publicação e propagação da mentira. Ele frisou ainda que sua assessoria jurídica irá acionar judicialmente os envolvidos no caso”, disse o comunicado oficial do Palácio de Karnak.

No início de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro promulgou a lei que prevê pena de dois a oito anos de prisão para quem divulgar notícias falsas com objetivo eleitoral contra candidatos em períodos eleitorais. 

TFD: governo disponibilizou 3 mil passagens aéreas para pacientes

TFD: governo disponibilizou 3 mil passagens aéreas para pacientes

O serviço é oferecido a quem precisa de atendimento médico pelo SUS em outros municípios e Estados

A Secretaria de Estado da Saúde disponibilizou, de maio a dezembro de 2019, 3 mil passagens aéreas para pacientes e acompanhantes por meio do programa de Tratamento Fora de Domicílio (TDF). O serviço é oferecido a quem precisa de atendimento médico pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em outro município ou estado quando ele é inexistente no local de origem do paciente.

A Sesapi explica que no caso das passagens aéreas para o deslocamento do paciente, o TFD também custeia a passagem do acompanhante. Em casos que o paciente vai para o transplante, são compradas passagens para o paciente, acompanhante, doador e acompanhante para o doador.

A solicitação do pedido de TFD é feita por meio da Secretaria da Saúde e submetida à apreciação dos auditores-reguladores da Coordenação Estadual do TFD. As solicitações de referenciamento interestadual nas áreas de alta complexidade hospitalar, nas especialidades de Cardiologia, Cirurgia Bariátrica, Epilepsia, Neurocirurgia, Oncologia e Ortopedia cujos procedimentos não são realizados pela rede SUS do estado, são encaminhados ao componente estadual da Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade, por meio de formulário próprio.

Para se inscrever no programa de Tratamento Fora do Domicílio, o paciente precisa de laudo médico e exames que comprovem a patologia, além da apresentação de documentos pessoais, cartão do SUS e documentos específicos em casos oncológicos. Os acompanhantes precisam ser maiores de 18 anos, apresentar documentos pessoais e cartão do SUS.

O serviço ganhou um cadastro dos pacientes em sistema TFD Digital em que já foram cadastrados 3.180 processos. Além disso, este ano foi dada maior celeridade aos processos auditados para melhorar o fluxo para o setor financeiro da Sesapi.

Atraso: projeto quer proibir corte de serviços com menos de 60 dias

Atraso: projeto quer proibir corte de serviços com menos de 60 dias

A proposta de Henrique Pires será analisada pelas comissões técnicas da Casa em 2020.

O deputado estadual Henrique Pires apresentou na última sessão plenária de 2019, um projeto de lei que dispõe sobre a proibição do corte no fornecimento de energia elétrica e de água com menos de 60 dias de atraso no pagamento. A matéria será analisada pelas comissões técnicas da Casa em 2020.

A proposta estabelece que, quando a fatura estiver atrasada em 30 dias, as empresas deverão enviar ao consumidor, correspondência com o aviso da possibilidade de corte no fornecimento após novo atraso por período equivalente.

Conforme a proposta, as empresas que não observarem esses prazos ficarão sujeitas à devolução em dobro aos consumidores do valor das faturas em atraso, sem prejuízo de outras sanções administrativas previstas em lei.

(Foto: Assis Fernandes/ODIA)

O projeto de lei estabelece ainda que o corte dos serviços somente poderá ser realizado na presença do consumidor ou de seu representante legalmente habilitado. Para quitar o débito, o consumidor ficará sujeito a multa máxima de 2% ao mês.

O autor explica que o objetivo da proposta é estabelecer regras mais razoáveis para garantir aos consumidores a continuidade da prestação dos serviços essenciais, que são públicos, exercidos em nome do Estado. “É um desrespeito a realização de cortes no fornecimento de serviços essenciais aos consumidores inadimplentes, justamente em momentos de maior dificuldade na vida desses cidadãos”, entende.

30 de dezembro de 2019

Margarete Coelho defende instituição do Juiz de Garantias

Margarete Coelho defende instituição do Juiz de Garantias

A deputada afirma que quando a população entender do que se trata, vai concordar com a medida sancionada

A deputada federal Marga­rete Coelho (Progressistas) saiu em defesa da instituição do chamado juiz de garantias, um dos pontos mais polêmi­cos entre os que fazem parte do chamado Pacote Anticri­me, sancionada na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro. A piauiense, que coordenou o grupo de traba­lho que discutiu as mudanças no código penal, avalia que a sociedade ainda precisa en­tender melhor qual será a fun­ção do novo instituto.

“Quando as pessoas enten­derem do que se trata, vão en­tender a grandiosidade desse instituto. Nós já temos mani­festações de quatro ministros do Supremo, favoravelmente. Também já temos a manifes­tação de grandes juristas, que já estão publicando artigos fa­zendo análises. A crítica mais recorrente, que é a questão de falta de estrutura no poder judiciário, ela não justifica a não adoção de um instituto tão salutar para a cidadania e para o processo civilizatório como é o juiz de garantias”, destacou.

 A deputada piauiense presidiu no Congresso o grupo de trabalho sobre o pacote anticrime (Foto: Elias Fontinele)

Margarete Coelho também avaliou positivamente a trami­tação das medidas do Pacote Anticrime no Congresso Na­cional. De acordo com ela, a participação de magistrados, juristas e da sociedade civil possibilitou um maior apro­fundamento das discussões, o que, para ela, foi um fator determinante para equilibrar interesses e alcançar avanços.

“Eu acho que foram muito grandes os avanços. No final das contas, ficou um pacote extremamente garantista, fi­cou um pacote que fortalece a Constituição e endurece o sistema de persecução penal”, avaliou Margarete.

Vetos

O presidente da Repúbli­ca Jair Bolsonaro sancionou o chamado pacote Anticrime com 25 vetos ao texto aprova­do pelo Congresso Nacional. Entre os pontos rejeitados, es­tão a triplicação da pena quan­do o crime for cometido ou divulgado em quaisquer mo­dalidades das redes sociais da rede mundial de computado­res; a coleta de DNA apenas nos casos de crime doloso pra­ticado contra a vida, liberdade sexual e crime sexual contra vulnerável; e a limitação da prova de captação ambiental somente para a defesa.

Para Margarete Coelho, que coordenou o grupo de tra­balho que discutiu o pacote Anticrime, ainda é cedo para avaliar a postura do Congresso em relação aos vetos. Caso os vetos sejam rejeitados por 257 deputados e 41 senadores, os trechos voltam a ser incorpo­rados à lei publicada.

“Com relação ao compor­tamento do Congresso, me­diante aos vetos, ainda não há como fazer uma prospecção. Isso precisa ser analisado pela consultoria, pelos parlamenta­res e pelas bancadas”, disse.

 “Bem proveitoso”, diz Margarete sobre primeiro ano no Congresso Nacional

Ao analisar o seu primeiro ano no Congresso Nacional, a deputada federal Marga­rete Coelho (Progressistas) disse estar satisfeita por ter conseguido alcançar espaços estratégicos, em comissões e no grupo de trabalho que discutiu o pacote Anticrime. A parlamentar avalia que, apesar de estreante, teve um bom desempenho como congressistas em 2019.

“Eu acho que foi um pri­meiro ano de mandato bem proveitoso. Consegui ocu­par um espaço privilegiado na Câmara, fazendo parte de 10 comissões e mais de 20 frentes parlamentares, presi­di um dos trabalhos mais im­portantes da casa em 2019, que foi o pacote Anticrime, uma responsabilidade muito grande para uma novata que nem eu”, destacou.

Margarete Coelho tam­bém afirmou que pretende manter o ritmo de trabalho ao longo de 2020. “Eu acho que eu consegui realmen­te dar uma efetividade ao meu mandato nesse primei­ro ano e espero continuar no mesmo ritmo em 2020”, disse.

29 de dezembro de 2019

"Vamos trabalhar para filiar", diz Luis André sobre grupo do Patriota

De acordo com Luís André, as conversas com o grupo já estão bem adiantadas, mas a definição deve acontecer somente em 2020

O presidente estadual do PSL, vereador Luis André, confirmou que está mantendo o diálogo com os vereadores e suplentes que atualmente fazem parte do Patriota. O grupo, composto por Gustavo de Carvalho, Neto do Angelim, Valdemir Virgino, Pedro Fernandes, Nilson Cavalcante e Zé Filho, pretende seguir unido para outra sigla para disputar as eleições do próximo ano.

De acordo com Luís André, as conversas com o grupo já estão bem adiantadas, mas a definição deve acontecer somente em 2020. “Vamos trabalhar para filiar. Estamos conversando com vários vereadores e suplentes. É o momento de construção da chapa. Durante o recesso, vamos intensificar as conversas. O nosso intuito é dobrar a bancada, sair de dois vereadores para quatro”, explicou.

O prefeito Firmino Filho deve ter um papel determinante na articulação que pode levar o grupo do Patriota aos quadros do PSL. Como todos os membros do grupo fazem parte da base, a ideia é que o chefe do executivo atue como uma espécie de avalista da formação de uma chapa proporcional competitiva.

Além do grupo do ligado ao Patriota, o PSL também trabalha para atrair outras lideranças ligadas ao prefeito Firmino Filho. O presidente estadual da sigla confirmou que mantém conversas com a suplente Luciana Sebim, que deve deixar em breve o PSDB.

“O PSL vai ser um partido protagonista nas eleições, quem sabe, com a segunda maior bancada da Câmara Municipal, a partir de 2021”, destacou.

28 de dezembro de 2019

Silvio Mendes admite chance de candidatura ano que vem

Silvio Mendes admite chance de candidatura ano que vem

A declaração foi dada em resposta a uma fala recen­te do ex-senador João Vicente Claudino (PTB), que levantou a possibilidade de uma dobradinha entre os dois na disputa eleitoral de 2020.

O ex-prefeito Silvio Men­des (Sem partido) admitiu a possibilidade de disputar a Prefeitura de Teresina nas eleições municipais do próxi­mo ano. A declaração foi dada em resposta a uma fala recen­te do ex-senador João Vicente Claudino (PTB), que levantou a possibilidade de uma dobradinha entre os dois na disputa eleitoral de 2020.

Apesar de garantir que não trata a eventual disputa como uma obsessão pessoal, o ex-prefeito, pela primeira vez, deixou claro que se coloca a disposição para representar seu grupo político.

O ex-prefeito sempre é convidado para retornar ao PSDB. Ele reconhece que há divergências com Firmino, mas diz analisar o cenário. Foto: Elias Fontenele.

“A cidade me deu a maior lição da minha vida que foi cuidar dela. Fizemos todo es­forço pela dedicação de uma equipe que cuidou bem da cidade. Essa é a lembrança que ficou. Começa a ter esses movimentos, essas manifes­tações. Agora tem essa mani­festação do João Vicente. Ele não falou comigo. Não com­binou e sequer conversamos. Ele provocou a pensar nisso", disse Silvio Mendes.

Apesar de demonstrar dis­posição, o ex-prefeito quer ouvir familiares e amigos antes de decidir sobre o seu futuro político. Além disso, ele também pretende conver­sar com o prefeito Firmino Filho(PSDB), para acertar detalhes.

"Conversamos sempre. Sou amigo do Firmino embora te­nha algumas queixas dele. É bom que tenha. Não podemos concordar com tudo. Falo para ele que não vou atraves­sar nem usar outros cami­nhos, preciso pensar em mim. Vou pensar no que é melhor. Tem que ouvir a minha famí­lia também", destacou.

Filiação

Atualmente sem filiação partidária, Silvio Mendes tem sido convidado cons­tantemente para retornar aos quadros do PSDB. O presidente estadual da sigla, Luciano Nunes, é um dos maiores entusiastas de uma candidatura do ex-prefeito em 2020.

STF concede habeas corpus a prefeito preso por corrupção

STF concede habeas corpus a prefeito preso por corrupção

Na decisão, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli determinou que o Tribunal de Justiça do Piauí substitua a prisão preventiva do paciente pelas ‘medidas cautelares diversas, que julgar pertinentes’.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deferiu um pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do ex-prefeito de Sebastião Leal, José Jeconias Soares de Araújo, preso na operação Bacuri, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no começo do mês.

Na decisão, o presidente do STF, ministro Dias Toffoli determinou que o Tribunal de Justiça do Piauí substitua a prisão preventiva do paciente pelas ‘medidas cautelares diversas, que julgar pertinentes’.

Na decisão, o ministro também determina que o caso deve ser reavaliado pela relatora, ministra Rosa Weber, após a conclusão do recesso. “Findo o recesso, remetam-se aos autos à ilustre Ministra Relatora para a sua competente reapreciação”, apontou.

O Caso

O ex-prefeito de Sebastião Leal, José Jeconias, teve a prisão preventiva decretada no dia 11 de dezembro, após a operação Bacuri, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Ele é um dos investigados na operação que prendeu o prefeito de Bertolínia, Luciano Fonseca, a esposa e mais sete pessoas. José Jeconias é suspeito de organização criminosa, corrupção ativa, desvio de recursos públicos, crimes licitatórios e lavagem de dinheiro.

27 de dezembro de 2019

Progressistas espera eleger maior bancada na Câmara de Teresina

Progressistas espera eleger maior bancada na Câmara de Teresina

Vereador Aluísio Sampaio aposta na atuação de Ciro Nogueira e mudanças nas regras eleitorais para crescimento do partido em Teresina

O Progressistas pode terminar as eleições municipais do próximo ano como o partido que elegeu o maior número de vereadores para a Câmara Municipal de Teresina. A aposta é do presidente do diretório municipal da sigla,  vereador Aluísio Sampaio.

“Nosso partido é a segunda maior bancada a nível nacional. É o maior partido do Piauí. A gente espera que possamos crescer em Teresina. Estamos nos preparando para eleger a maior bancada de vereadores da Câmara Municipal. Esperamos concluir o processo eleitoral com esse partido grande”, prega o parlamentar.

A expectativa de Aluísio Sampaio se baseia na mudança na regra eleitoral que acabou com as coligações proporcionais e entrará em vigor pela primeira vez nas eleições municipais de 2020. O novo modelo tende a concentrar os candidatos em partidos maiores para disputa de vaga no legislativo.

“O Progressistas tem feito o papel de casa de crescer o partido. Vereadores de mandato vão acabar naturalmente procurando partidos grandes para concorrer a Câmara. O Progressistas como o maior partido do Piauí acaba atraindo pessoas”, pontuou.

A atuação do senador Ciro Nogueira e do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) também é outra aposta do vereador Aluísio Sampaio. Ele justifica que as pretensões dos dois políticos para 2022 serão traçadas com base nas eleições municipais do próximo ano. O vereador cita a possibilidade de Ciro Nogueira afastar-se do senado federal para atuar no pleito.

Vereador Aluísio Sampaio aposta na atuação de Ciro Nogueira e mudanças nas regras eleitorais para crescimento do partido em Teresina (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Novas filiações

A filiação de novos nomes ao Progressistas para 2019, afirma Aluísio Sampaio, passa por pontos como a afinidade com o Palácio da Cidade. “No nosso grupo nós temos nossas diretrizes. Por exemplo, somos da base do prefeito e o candidato que vier tem que ter essa afinidade”, avisa.

O Progressistas busca filiar nomes que atualmente integram o Patriota. O presidente do diretório municipal do partido não ver empecilhos para as filiações. “Tivemos uma conversa com o grupo do Patriota. Algum deles estão bem encaminhados. Já votaram no Senador (Ciro Nogueira), tem alguns que os deputados que eles acompanharam estão hoje no partido. A evolução vai acontecer de forma natural”, finalizou. 

Amigos e familiares prestam última homenagem a Fernando Monteiro

Amigos e familiares prestam última homenagem a Fernando Monteiro

Corpo do deputado seguiu em traslado para a Assembleia Legislativa, onde está sendo velado no Salão Francisca Trindade.

Durante toda a manhã desta sexta-feira (27), amigos e familiares prestam suas últimas homenagens ao deputado estadual Fernando Monteiro (PRTB), que faleceu ontem (26) em razão de complicações em um quadro de câncer hepático. Em tratamento contra a doença desde abril, Monteiro estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, desde outubro.

O velório acontece no Salão Francisco Trindade, na Assembleia Legislativa (Alepi) com a presença de lideranças políticas do Estado e do Município, correligionários e também de admiradores. Nas homenagens, muitos relembram a trajetória política de Fernando Monteiro e enaltecem os serviços prestados ao Piauí ao longo de todos os anos em que atuou no Legislativo Estadual.


Deputado Fernando Monteiro - Foto: O Dia

“ O Fernando foi um parlamentar que teve uma presença muito grande aqui em Teresina e no interior do Estado, Ele era um deputado servidor e muito trabalhador. E além de ser um deputado prestativo, ele era carnavalesco, era um boêmio. O Carnaval de Teresina deve muito a ele. Portanto, ele é um homem muito ativista e um legado dele, além do trabalho como político, como produtor cultural, ele também deixa a imagem de uma propositiva, positiva, de alto astral”, disse o deputado federa Átila Lita (PSB), com quem Fernando Monteiro trabalhou em campanhas eleitorais a prefeito de Teresina.

O deputado Themístocles Filho (MDB), presidente da Alepi, também destacou que as recordações deixadas por Fernando Monteiro são de um homem ativo, atuante politicamente e extremamente prestativo e alegre. Themístocles decretou luto oficial de três dias no Legislativo em razão do falecimento do deputado, que era o decano e vice-presidente da Casa.


Themístocles Filho - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Sucessão

Segundo Themístocles Filho, a vaga deixada pelo deputado Fernando Monteiro será preenchida pelo deputado B. Sá, que deverá tomar posse definitivamente em janeiro. Quanto à primeira vice-presidência da Assembleia, Themístocles disse que ainda é cedo demais para pensar no assunto e que terão tempo para discutir isso mais profundamente depois.

PT deve ouvir outros partidos, mas admite conversas avançadas com PCdoB

PT deve ouvir outros partidos, mas admite conversas avançadas com PCdoB

“Temos que fazer o que a política manda, que é a arte de conversar, dialogar e estreitar relações para tentar ganhar musculatura com os partidos políticos”, disse Fábio Novo.

Em plena pré-campanha pela Prefeitura de Teresina, o Partido dos Trabalhadores (PT) vem tentando não apenas viabilizar o nome do seu pré-candidato, deputado Fábio Novo, mas também estreitar sua relação com outras siglas, principalmente as que integram a base aliada do governador Wellington Dias (PT). 


Leia também: Fábio Novo mantém pré-candidatura e crê que PT estará forte em 2020 


“Temos que fazer o que a política manda, que é a arte de conversar, dialogar e estreitar relações para tentar ganhar musculatura com os partidos políticos”, disse o pré-candidato petista. Ele reconhece que no processo de negociações pela composição da chapa majoritária petista na condição de vice, o PCdoB é quem tem tomado a dianteira.


O pré-candidato a prefeito também quer conversar com o PTB - Foto: Elias Fontinele/O Dia

“Temos conversado com o PCdoB, onde temos avançado nas negociações e vamos procurar outras siglas também para que possamos dialogar no sentido de apresentar um nome na perspectiva de se fazer uma frente, onde possamos apresentar uma proposta nova para a cidade”, afirmou Fábio Novo. 

Apesar disso, Novo ressalta não haver qualquer definição quanto ao pleito. Ele inclusive cita o PTB, do ex-jogador João Vicente Claudino, como uma outra opção para a vaga de vice. “Merecem todo nosso respeito e consideração. Com certeza vamos abrir um diálogo com eles”, concluiu.

Previdência de militares seguirá parâmetros da proposta nacional

Previdência de militares seguirá parâmetros da proposta nacional

Os militares foram retirados do projeto original atendendo a uma solicitação do deputado Carlos Augusto (PL), ex-comandante geral da Polícia Militar do Estado.

Apesar da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) já ter aprovado mudanças na Previdência estadual, os militares ficaram de fora da proposta e não foram afetados pelas novas regras. Apesar disso, um texto específico à categoria deve ser encaminhado ao parlamento no próximo ano.


Leia também: Governo entrega à Alepi projeto de Reforma da Previdência 


Superintendente de Gestão e Previdência Complementar do PiauíPrev, Marcos Steiner explica que os militares foram retirados do projeto original atendendo a uma solicitação do deputado Carlos Augusto (PL), ex-comandante geral da Polícia Militar do Estado, mas ressalta que o regimento para esta categoria será o mesmo adotado a nível nacional.

“Havia uma cobrança de alíquota diferente, igual para todos os servidores, mas como o presidente Bolsonaro chamou para o governo federal a legislação relacionada a militar e lá estabeleceu as alíquotas, nos retiramos porque enfim, prevalece o que diz a Constituição”, afirma Steiner.


Steiner explica que o Piauí vai cumprir deliberações aprovadas - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Já sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, a reforma previdenciária para os militares federais traz modificações diferentes em relação às que foram promulgadas aos civis. Segundo o secretário de Segurança Pública do Piauí, Capitão Fábio Abreu (PL), a ideia é que o modelo seja replicado no estado.

“Ficou acordado que o governo do Estado irá cumprir todas as deliberações finalizadas no Congresso Nacional. O que for referente aos militares estará atrelado a essa reforma nacional, ligada aos militares federais, e os estaduais vamos fazer essa composição [...] o compromisso do governador é cumprir, fielmente, o resultado encaminhado para a sanção do presidente”, enfatizou o secretário.

26 de dezembro de 2019

Mourão posta foto com Freitas Neto ao lamentar morte de Monteiro

Mourão posta foto com Freitas Neto ao lamentar morte de Monteiro

O deputado estadual piauiense era correligionário do vice-presidente no PRTB. Post foi apagado após seguidores apontarem que era a pessoa errada na foto.

O vice-presidente do Brasil, general Hamilton Mourão, cometeu um equívoco nesta quinta-feira (26) ao se pronunciar sobre a morte do deputado estadual Fernando Monteiro, que era seu correligionário no PRTB. Mourão publicou uma foto em que aparece ao lado do ex-governador Freitas Neto, se referindo a ele como sendo o deputado Monteiro. Na legenda, o vice-presidente escreveu: "nesse momento de dor da esposa, filhos e amigos com o passamento de Fernando Monteiro, lamento a perda do líder do meu partido, PRTB, no Piauí, um cidadão a serviço de seu estado como deputado, vereador e secretário de Governo.


Mourão se equivoca e posta foto com Freitas Neto ao lamentar morte de Fernando Monteiro - Foto: Reprodução/Twitter

Nos comentários da postagem, alguns seguidores chegaram a dar os pêsames e manifestar solidariedade a Fernando Monteiro. No entanto, outros, que perceberam o equívoco de Mourão, alertaram para o fato de a pessoa na foto não ser o parlamentar e sim o ex-governador do Piauí. Alguns sugeriram que o vice-presidente atualizasse seus contatos no Twitter para saber quem era quem e outros mencionaram a trajetória de Freitas Neto para lembrar a Mourão que ele havia se referido à pessoa errada.

O vice-presidente apagou a postagem minutos depois, mas a publicação já tinha 30 compartilhamentos, 27 comentários e 390 curtidas.

Governo decreta luto oficial pela morte de Fernando Monteiro

Governo decreta luto oficial pela morte de Fernando Monteiro

Em respeito e homenagem ao vice-presidente e decano da Alepi, a bandeira do Piauí ficará erguida a meio-mastro. Executivo manifestou pesar a amigos e familiares.

O Governo do Estado do Piauí decretou luto oficial de três dias em razão do falecimento do deputado estadual Fernando Monteiro (PRTB), vice-presidente e decano da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). Em respeito e homenagem ao parlamentar, a bandeira do Piauí também ficará a maio-mastro.


Leia também: Lideranças políticas lamentam o falecimento do deputado Fernando Monteiro 


Por meio de nota, o Poder Executivo manifestou pesar pelo falecimento do deputado e destacou a carreira política e os serviços prestados em favor do Estado do Piauí ao longo de sua vida pública. 


Fernando Monteiro faleceu nesta quinta (26) aos 67 anos - Foto: Jailson Soares/O Dia

“O Governo do Estado destaca a contribuição de Fernando como parlamentar, gestor e cidadão ao desenvolvimento do Piauí. Monteiro também era um grande incentivador da cultura e do esporte piauiense. Durante muito tempo, foi um dos principais apoiadores do Carnaval de Teresina, à frente da escola de samba Ziriguidum, da qual foi presidente por vários anos”, diz a nota.

Alepi também decreta luto de três dias

A  Assembleia Legislativa do Piauí também se pronunciou sobre o falecimento do deputado Fernando Monteiro. A Alepi, por meio de seu presidente, o deputado estadual Themístocles Filho (MDB) também decretou luto oficial de três dias. Em fala à imprensa, o parlamentar destacou a trajetória política de Monteiro e se solidarizou com familiares e amigos.

“O trabalho dele em favor do Piauí o credenciou a ter vários mandatos na Alepi. Era um deputado atuante, prestativo, amigo dos grupos políticos que estavam ao seu lado e procurou ajudar o Piauí, a trabalhar em favor do nosso estado. Ele deixa uma lacuna imensa no poder legislativo”, disse Themístocles.

O velório de Fernando Monteiro acontece nesta sexta-feira no salão Francisca Trindade, na Alepi.

Lideranças lamentam o falecimento do deputado Fernando Monteiro

Lideranças lamentam o falecimento do deputado Fernando Monteiro

Por meio das redes sociais, deputados e senadores manifestaram pesar e destacaram a atuação de Fernando Monteiro em prol do Piauí.

Após a confirmação da morte do deputado Fernando Monteiro (PRTB), vice-presidente e decano da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), uma série de lideranças políticas do Estado e aqui de Teresina lamentaram o ocorrido e manifestaram pesar à família e amigos do parlamentar.


O deputado Fernando Monteiro era decano da Alepi e faleceu aos 67 anos - Foto: O Dia

Por meio das redes sociais, o senador Elmano Férrer (PODEMOS) disse que recebeu com muito pesar a notícia do falecimento de Monteiro e destacou o quão importante foi o trabalho realizado por ele pelo Piauí. “Deixo minhas solidariedades aos familiares e amigos. Peço que Deus abençoe a família e conforte a todos, dando-lhes força nesse momento de dor”, publicou o senador.

A deputada Teresa Britto (PV) também se manifestou. Em sua conta no Instagram, a parlamentar publicou uma foto de Fernando Monteiro, lembrando sua relação profissional e de amizade com o deputado. Teresa disse que também recebeu com muita tristeza a notícia do falecimento de Monteiro. 

“Um homem que tem um grande histórico de luta e de serviço prestado ao nosso Estado. Que Deus, em sua infinita bondade, possa recebe-lo em um bom lugar e confortar todos os amigos e familiares neste momento de imensa dor”, disse.

A Prefeitura de Teresina também emitiu nota de pesar pelo falecimento de Fernando Monteiro. Em seu perfil oficial no Twitter, a PMT destacou o importante papel desempenhado pelo deputado no fomento e incentivo ao carnaval de rua na Capital, bem como relembrou a carreira política dele no Município. “Foi vereador de 1982 a 1986, quando se elegeu deputado. Foi um entusiasta no carnaval de rua, com a escola de samba Ziriguidum. Deixa um legado importante de amor à sua cidade natal”, diz o perfil.

O líder do governo na Alepi, deputado Francisco Limma (PT), também lamentou a morte de Fernando Monteiro. Assim como os demais, ele destacou a importante atuação do parlamentar em prol do Piauí e manifestou solidariedade aos amigos e familiares. “Quero manifestar meu profundo respeito pelo grande homem que foi e pela sua atuação em prol do povo piauiense. Que Deus o receba de braços abertos no céu. Toda a solidariedade para os amigos e familiares, pela irreparável perda”, postou Limma.

Outro que também destacou o trabalho de Fernando Monteiro e tristeza pelo seu falecimento foi o senador Ciro Nogueira (PROGRESSISTAS). Em seu Instagram, ele se referiu a Monteiro como “uma das figuras mais trabalhadoras e atuantes” com quem teve “a sorte de trabalhar”. “Fernando vai fazer falta. Junto-me aos que se solidarizam com a família do Fernando neste momento de luto e de dor. No meu coração também há saudades e tristeza neste de uma perda inestimável para o Piauí”, publicou Ciro.

25 de dezembro de 2019

STF determina que governo repasse R$ 600 mil à Defensoria Pública

STF determina que governo repasse R$ 600 mil à Defensoria Pública

Repasse é referente à parcela de crédito suplementar autorizado para dezembro. Ação foi motiva no Supremo pela Associação dos Defensores Públicos.

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o Governo do Piauí repasse cerca de R$ 600 mil à Defensoria Pública do Estado referentes à parcela de crédito suplementar autorizado anteriormente para dezembro. 


Leia também:

Associação critica orçamento proposto para a Defensoria Pública 

Poderes cobram mais recursos e Defensoria pode atrasar 13º salário 


A decisão atende à ação movida pela Associação Piauiense dos Defensores Públicos (Apidepi) junto ao Supremo, alegando que sem esses valores, a instituição estaria impossibilitada de arcar com as despesas do ano, especialmente considerando o atual momento de pagamento do 13º salário dos defensores.

A decisão liminar foi proferida na última segunda-feira (23). Além do repasse referente a dezembro, a Apidepi também reivindica o repasse do montante dos créditos suplementares relativos aos meses de fevereiro a novembro deste ano, o que totaliza mais de R$ 6 milhões.


Decisão foi proferida pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli - Foto: Agência Brasil

Os repasses foram retidos pelo Estado sob o argumento de que o Tribunal de Contas (TCE-PI) notificou a administração estadual para que adotasse “medidas necessárias à recomposição de seu equilíbrio fiscal, vedando-se, sobretudo, qualquer aumento no comprometimento da receita corrente líquida com despesas de pessoal”. 

No entanto, a presidente da Apidepi, Ludmilla Paes Landim, destacou que a retenção é indevida e viola preceitos constitucionais da autonomia financeira e orçamentária da Defensoria Pública. “Isso acaba comprometendo a continuidade da prestação de serviços à população carente do Piauí”, pontuou a defensora.

O próprio STF reforçou esse entendimento. Em sua decisão, o ministro Dias Toffoli destacou que a retenção pelo governo do Estado dos recursos destinados à Defensoria Pública é prática indevida e viola o artigo 169 da Constituição Federal.

"Os recursos correspondentes às dotações orçamentárias, compreendidos os créditos suplementares e especiais, destinados aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública, ser-lhes-ão entregues até o dia 20 de cada mês, em duodécimos, na forma da lei complementar", finaliza Toffoli.