• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Notícias Política

28 de fevereiro de 2020

Coronel Edvaldo Viana descarta PSDB e sinaliza acerto com PSD

Coronel Edvaldo Viana descarta PSDB e sinaliza acerto com PSD

O nome do militar é cotado como um dos principais para disputar a Prefeitura de Picos nas eleições municipais.

Cotado como um dos principais nomes para disputar a Prefeitura de Picos nas eleições municipais deste ano, o ex-comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, Coronel Edvaldo Viana, descartou, nesta quinta-feira (27), uma possível filiação ao PSDB.

Segundo o militar, o impasse para o acerto se deu a “imprevistos” com as lideranças locais tucanas, que tentaram inviabilizar sua pré-candidatura majoritária, mesmo esta sendo articulada e avalizada pelo ex-deputado Luciano Nunes, presidente estadual do partido.

“Disseram para mim que não teriam pré-candidato, então fiquei animado, pois iríamos todos juntos. Ao vir para Teresina, anunciaram em Picos que teriam pré-candidato, ou seja, falta de caráter”, disparou Viana em entrevista ao Jornal O Dia.


A briga dele com tucanos locais inviabilizou sua ida ao partido - Foto: O Dia

Embora partidos como o Progressistas (PP) e Solidariedade (SD) tenham manifestado o desejo de ter o ex-comandante em seus quadros, o mesmo sinalizou um provável acerto com o PSD.  “Acho que não irei mais para o PSDB, mas vou conversar com o deputado Júlio César, para vermos a viabilidade disso”, disse.

Edvaldo Viana foi exonerado do comando militar da região de Picos após uma declaração sua, afirmando que bandidos iam “descer nas cordas” caso reagisse à atuação da polícia, viralizar nas redes sociais. Após o episódio, o coronel tirou licença das funções militares mas ganhou ampla força política no município. 

Governador Wellington Dias prega maturidade na disputa eleitoral

Governador Wellington Dias prega maturidade na disputa eleitoral

O governador defendeu equilíbrio para tratar dos assuntos e disse que quem decide é o povo, cabendo aos partidos se organizarem

Ao participar do lançamento oficial da Campanha da Fraternidade 2020, o governador Wellington Dias (PT) evitou polemizar e preferiu não responder às declarações do prefeito Firmino Filho (PSDB) sobre os candidatos da base do Karnak que irão disputar o comando do executivo municipal. 

"Vamos trabalhar com maturidade e harmonia. Quem tem que avaliar é o povo. O Palácio do Karnak trabalha com empenho na pauta do nosso povo", disse Wellington. 

Sobre a Campanha da Fraternidade 2020, que traz como tema “Fraternidade e Vida: dom e compromisso”, o governador ressaltou que a temática é muito importante neste momento que o país vive. 


O governador participou do lançamento da Campanha da Fraternidade 2020 - Foto: Jailson Soares/O Dia

“A Campanha da Fraternidade, atualizada como sempre, traz uma temática muito necessária no Brasil, visto que voltamos a ter um problema social grave: cresce o número de pessoas, infelizmente, na linha da pobreza, uma coisa que o Brasil estava superando e está de volta. Nesse sentido, encaminhei, e a Assembleia Legislativa aprovou, um programa específico para lidar de uma forma segura e também como marco legal para trabalhar com pessoas em situação de rua”, afirmou Dias.

O governador mencionou ainda o desafio da saúde, por conta do coronavírus, e também a questão da política de paz. “Além do desafio, que já é gigante, de cuidar da própria saúde, agora com a disseminação do coronavírus, ou seja, a necessidade de termos uma posição de muito esforço coletivo, a união de cientistas do mundo inteiro na busca de uma alternativa”, completou.

Firmino diz que gestão de Dr. Pessoa lhe causa medo

Firmino diz que gestão de Dr. Pessoa lhe causa medo

O prefeito afirmou que respeita o adversário, mas ele não demonstra capacidade administrativa para gerir a cidade.

O prefeito Firmino Filho (PSDB) segue endurecendo o tom em relação aos seus opositores em Teresina. Nesta quinta-feira (27), em entrevista concedida durante o lançamento da Campanha da Fraternidade de 2020, o gestor direcionou suas críticas ao ex-deputado Dr. Pessoa, que deve disputar o Palácio da Cidade nas eleições municipais deste ano pelo MDB.


Leia também: Firmino Filho diz que candidato do PSDB terá perfil técnico 


Apesar de reiterar o respeito pelo emedebista, reconhecer seu crescimento político e empatia deste entre boa parcela do eleitorado teresinense, Firmino faz ressalvas pontuais quanto a capacidade administrativa do pré-candidato. "Ele (Dr. Pessoa) tem que demonstrar muita coisa ainda para ser um candidato a prefeito em que as pessoas venham a acreditar (...) não me sinto confortável em vê-lo como gestor, me causa muito medo. Esse é o sentimento que tenho”, disse.

Somado a isso, Firmino também questionou a aproximação de Dr. Pessoa ao governador Wellington Dias (PT), a quem acusa de liderar um complô para derrotar o grupo tucano na capital piauiense. Segundo o prefeito, as muitas pré-candidaturas de oposição que hoje se apresentam fazem parte de uma “estratégia” articulada pelo petista. 


O prefeito eleva o tom contra adversários e se diz surpreso com alianças na oposição - Foto: Rômulo Piauilino

“Todas elas fazem parte de uma estratégia, do Palácio de Karnak, para derrotar o PSDB na cidade de Teresina. Até estranho porque o Dr. Pessoa está dentro dessa estratégia, visto que no passado ele era profundamente de oposição ao governador”, disparou Firmino.

Fica quem quer

Além das declarações fortes aos seus adversários, Firmino voltou a rechaçar supostos insatisfeitos em sua base aliada. O prefeito afirmou que não tem intenção de formar “blocão” de partidos, mas reiterou o desejo de ter ao seu lado pessoas comprometidas com o modelo de gestão do PSDB. “Não estamos querendo criar um Titanic, quem quiser estar conosco vai estar. Quem acreditar no nosso candidato e nas nossas propostas vai estar. Quem não quiser, vá para a oposição”, finalizou. 

27 de fevereiro de 2020

Incra aguarda liberação de crédito para construção de mil casas no PI

Incra aguarda liberação de crédito para construção de mil casas no PI

A expectativa do Incra é ampliar sua política de regularização fundiária e titulação definitiva de assentamentos no estado

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) planeja construir mais de mil casas em assentamentos no Piauí, além da reforma de outras três mil residências. Segundo Tiago Vasconcelos, superintendente regional do órgão no estado, a previsão é que os recursos para a ação sejam disponibilizados ainda em março.

“Estamos aguardando liberação de crédito para, quem sabe, construir mais de mil unidades habitacionais e reformar quase três mil habitações. É muita coisa para um órgão que estava praticamente não prestigiado no Piauí”, afirmou o superintendente em entrevista ao Jornal O Dia, sem revelar o orçamento total previsto para realização deste empreendimento.

Além disso, a expectativa do Incra é ampliar sua política de regularização fundiária e titulação definitiva de assentamentos no estado. Para isso, não descarta o trabalho em parceria com o Governo do Estado, através da assinatura de convênios com o Instituto de Terras do Piauí (INTERPI).


O superintendente do órgão no estado tenta destravar os recursos para as obras - Foto: O Dia

“Isso mostra que o Governo Federal não tem essa questão política como impedimento, pois na verdade o objetivo é beneficiar pequeno, médios e grandes agricultores. Lógico que o Governo Federal quer que seja sabido no estado que os recursos foram investimento pela União”, explicou Vasconcelos.

Tiago Vasconcelos chegou à superintendência regional do Incra no final do ano passado. Naquela oportunidade, havia cerca de R$ 16 milhões em caixa para investimentos voltados ao fomento a agricultura familiar desses assentamentos. “Como estávamos no final do ano, não conseguimos aplicar todo esse crédito disponibilizado. Aplicamos R$ 10 milhões e acreditamos, valor esse que deve se repetir para o ano de 2020 ou até mesmo ser ampliado”, finalizou.

“A imagem do PT diante das massas precisa ser resgatada”

“A imagem do PT diante das massas precisa ser resgatada”

O ex-deputado Antônio José Medeiros avalia que houve uma melhora na imagem da sigla frente à opinião pública.

Um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) no Piauí, o ex-deputado Antônio José Medeiros afirmou ao Jornal O Dia a necessidade da agremiação retomar sua credibilidade entre os brasileiros, sobretudo nas camadas mais populares, tendo em vista as próximas disputas eleitorais.

“O PT tem raízes, mas é claro que você disputa hoje o voto de massas, e a imagem do PT diante das massas está precisando ser resgatada”, avaliou o petista, que visualiza uma melhora na avaliação da sigla frente à opinião pública, principalmente devido a posição contrária ao governo do presidente Jair Bolsonaro.


“A imagem do PT diante das massas precisa ser resgatada”, diz o ex-deputado - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Para Medeiros, essa polarização política em âmbito nacional pode prejudicar o desempenho do partido nas eleições municipais, em especial nas capitais e grandes cidades, como em São Paulo, maior colégio eleitoral do país onde ainda observa um cenário adverso à legenda.

Por outro lado, o petista vê interferência e impacto desse debate em determinadas especificidades regionais e locais. “Nas capitais e maiores cidades essa polarização entre PT e Bolsonaro terá um peso, mas nas médias e pequenas acredito que esse vai ter tanta importância. No Piauí teremos força e não seremos atingidos negativamente”, finaliza.

Vereador do PSL sinaliza desistir de concorrer à reeleição este ano

Vereador do PSL sinaliza desistir de concorrer à reeleição este ano

A ideia é ter como candidato seu filho, Sérgio Bandeira, que tem pretensão de entrar para a política.

O vereador Ricardo Bandeira (PSL) não deve disputar a reeleição no próximo mês de outubro. A tendência é que o parlamentar permaneça à frente da Secretaria Municipal de Economia Solidária e apoie o filho, Sérgio Bandeira, na disputa pelo legislativo municipal. De acordo com Ricardo Bandeira, a decisão deve ser consolidada durante o mês de março, após conversas com o prefeito Firmino Filho (PSDB).


Leia também: Walter Rei das Motos anuncia saída do PSL: “Iria servir de laranja” 


“A ideia é ter [como candidato] o Sérgio, que é meu filho mais velho. Ele gosta muito de política e tem a pretensão de disputar a eleição desse ano. É um desejo dele. Estamos conversando com o prefeito Firmino Filho. Agora, no mês março, vamos tomar uma decisão. Eu acredito que ele [Sérgio Bandeira] vai disputar a eleição e eu fico na secretaria. Depende de Deus, primeiro, depois do prefeito, e depois da nossa vontade”, explicou Ricardo Bandeira.


O parlamentar deve continuar no comando da Secretaria de Economia Solidária - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Ricardo Bandeira revelou ainda que a tendência é que o Sérgio Bandeira deixe o Podemos e faça parte da chapa proporcional do PSL, sigla presidida pelo vereador Luís André.

A permanência de Ricardo Bandeira no comando da Secretaria Municipal de Economia Solidária beneficia diretamente a suplente Teresinha Medeiros, que não precisará mais deixar a Câmara Municipal no mês de abril, prazo estabelecido pela legislação para o retorno ao legislativo de parlamentares que ocupam cargos no poder executivo.

26 de fevereiro de 2020

Vereador Venâncio Cardoso diz que sai do PP ‘sem fechar portas’

Vereador Venâncio Cardoso diz que sai do PP ‘sem fechar portas’

Ele deve confirmar filiação ao PSDB com a abertura da próxima janela partidária. Secretário da Semdec, ele diz ter se identificado com o modelo de gestão de Firmino.

O vereador licenciado e secretário da Semdec (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo), Venâncio Cardoso, confirmou à reportagem de O Dia que deixará o Progressistas para se filiar ao PSDB quando abrir a janela partidária para as próximas eleições municipais. Afirmando se identificar com o modelo de gestão de Firmino Filho, ele diz, no entanto, que deixa o PP “sem fechar nenhuma porta”.

A relação de Venâncio com o seu atual partido, o Progressistas, deu um estremecida desde a última eleição para presidente da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). É que o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, pediu na ocasião que o vereador buscasse apoio de sua mãe, a deputada Flora Isabel (PT), para o deputado Hélio Isaías, candidato do PP. No entanto, Venâncio alegou que Flora já havia declarado apoio ao deputado Themístocles Filho (MDB), posicionamento esse que causou desarado junto às lideranças.


Vereador Venâncio Cardoso diz que sai do Progressistas ‘sem fechar portas’ - Foto: Assis Fernandes/O Dia

“Saímos do PP por dois motivos: o primeiro porque me identifico com o modelo de gestão do prefeito [Firmino Filho] e do PSDB, e porque estou com vontade de fato de seguir junto com ele no partido. Mas é importante frisar que a gente sai do Progressistas não fechando portas. Saio sem deixar nenhum trauma, mas com ânimo e força total pra eleger de seis a sete vereadores do PSDB”, afirma Venâncio Cardoso.

Anúncio do pré-candidato deve ser feito em 10 dias

Em conversa com O Dia, o vereador Venâncio Cardoso comentou ainda a respeito do anúncio pelo prefeito Firmino Filho do nome que deverá sucedê-lo no pleito ao Palácio da Cidade este ano. As indefinições ainda persistem, mas segundo o parlamentar e secretário da Semdec, não deve demorar mais de dez dias para que o prefeito sua escolha.

“Temos nomes como o professor Charles [Silveira], o ex-prefeito Sílvio Mendes.... Não tenho uma aposta ainda, andei todos esses dias de Carnaval com o prefeito pela cidade, mas ele não disse quem era o candidato, mas de já, afirmamos que quem for escolhido por ele vai ser abraçado e vamos percorrer Teresina com tudo para elegê-lo”, finaliza Venâncio Cardoso.

Governo atende 21 mil pessoas por mês com remédios excepcionais

Governo atende 21 mil pessoas por mês com remédios excepcionais

A farmácia registrou, em 2019, um total de 315.061 atendimentos, o que representou um crescimento de 18,39% em relação ao mesmo período de 2018.

O governo estadual, por meio da Diretoria da Assistência Farmacêutica, a Farmácia do Povo – Medicamentos Especializados, entrega 215 tipos de medicamentos especializados por mês. A farmácia registrou, em 2019, um total de 315.061 atendimentos, o que representou um crescimento de 18,39% em relação ao mesmo período de 2018.

Esse dado é um marco nos atendimentos realizados pela unidade farmacêutica à assistência terapêutica de mais de 80 patologias, que demandam medicamentos especializados e/ou de alto custo.

Atualmente, a Assistência Farmacêutica conta com 21 unidades de atendimentos, distribuídas tanto na capital como no interior do estado. Um total de 21 mil pessoas são atendidas por mês. Segundo o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, ao todo, 215 medicamentos especializados estão disponíveis mensalmente aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). 

“A farmácia foi preparada para oferecer um atendimento humanizado e, além do da entrega de medicamentos, temos os consultórios e todo um atendimento multidisciplinar para garantir aos usuários do SUS um acolhimento adequado e igualitário”, diz o gestor.

O trabalho conjunto entre a equipe técnica da farmácia e a Sesapi, a incorporação de novas linhas de tratamento, o melhor acesso às informações, mais pontos de distribuição foram fatores que impulsionaram o crescimento no número de atendimentos, explica a diretora-geral Wanda Avelino, elencando outras motivações para esse salto no número de atendidos.


Governo atende 21 mil pessoas por mês com remédios excepcionais. Reprodução

“A Farmácia do Povo teve uma atuação mais presente na vida da população. A mudança do prédio, o acesso mais facilitado, a elaboração do guia de atendimento, tudo isso leva mais informação ao usuário. Quando ela chega de forma correta, há um aumento na prestação do serviço. Esse aumento também é por conta da incorporação de medicamentos pelo Ministério da Saúde, assim como a ampliação dos atendimentos no interior, que facilita a entrega da medicação e também a chegar, para essa população do interior, o conhecimento da existência da Farmácia de Medicamentos Especializados”, comenta a gestora.

O governador Wellington Dias destaca o avanço desse equipamento de saúde. “Essa rede, hoje, está presente em 11 regiões do estado, tem um quadro qualificado, que será cada vez mais qualificado, não só para a entrega da medicação, mas para fornecer as orientações necessárias ao usuário. Temos uma política, que efetivamente tem um efeito social muito grande e o secretário Florentino com sua equipe trata, cada vez mais, de humanizar para garantir um atendimento de muita qualidade aqui em Teresina, estamos dando um passo a mais nessa direção e vamos estender a outras regiões”, ressaltou o chefe do Executivo estadual.

Ítalo Barros confirma filiaçao ao PSDB para o mês de março

Ítalo Barros confirma filiaçao ao PSDB para o mês de março

O vereador vai aproveitar o período para ingressar no partido de Firmino Filho (PSDB).

O vereador Ítalo Barros (PTC) confirmou que vai se filiar ao PSDB assim que a janela partidária estiver aberta. O prazo para vereadores trocarem de sigla sem correr o risco de perder o mandato vai de 7 de março a 6 de abril. O vereador vai aproveitar o período para ingressar no partido de Firmino Filho (PSDB).

 O parlamentar, que exerce o primeiro mandato, afirma que sua proximidade com a deputada estadual Lucy Soares, primeira-dama da cidade e com quem ele mantem parceria política, foi essencial para ele decidir seu futuro partidário.

“Temos no prefeito Firmino Filho e na deputada Lucy Soares grandes aliados, hoje posso considerá-los amigos pessoais, uma parceria de trabalho que tem levado benefícios às nossas bases, então devemos agendar o dia para o ato de filiação”, pontua o parlamentar, que nega ter preferência por algum nome da base para que seja indicado na disputa pelo Palácio da Cidade.  “O prefeito com certeza conduz bem esse processo e o nome que ele indicar será aceito por nós, por será um nome de quem conhece a cidade e tem capacidade para desenvolver uma boa gestão”, argumenta.

Neste mês de março, além da abertura da janela partidária, o prefeito Firmino Filho (PSDB) já declarou a data como período em que ele vai anunciar o nome do aliado que deve disputar o comando da Prefeitura de Teresina pela sua base de sustentação política.

Nos bastidores, comenta-se que estão na lista o secretário de Educação, Kléber Montezuma, o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Charles da Silveira e o ex-prefeito Silvio Mendes.

Cidadania tenta emplacar o vice na chapa de Firmino Filho

Cidadania tenta emplacar o vice na chapa de Firmino Filho

O presidente regional do partido informa que o nome do jornalista Mário Rogério é indicado pela sigla para a chapa

Os membros do Cidadania 23 ainda acreditam na possibilidade de indicar o candidato a vice na chapa que será apoiada pelo prefeito Firmino Filho para a sucessão municipal.

Apesar do chefe do executivo já ter sinalizado que a vaga na chapa majoritária deverá ser ocupada pelo Progressistas, o presidente do Cidadania, Celso Henrique, diz que as articulações continuam e aponta o nome que o partido tem para apresentar como opção.

“Hoje temos diversas pessoas que são capazes e têm a competência de pleitear uma candidatura a vice. Nós escolhemos o jornalista Mario Rogério, um empresário do setor da comunicação e ex-dirigente sindical, que é uma pessoa que tem uma larga experiência e que muito irá contribuir nessa chapa”, defendeu Celso Henrique.

 Sobre a chapa proporcional, o Cidadania pretende lançar 44 nomes para disputar cadeiras na Câmara Municipal de Teresina nas eleições do próximo mês de outubro. “Nós temos a previsão de lançar candidatos a vereadores em 35 municípios do Piauí, dentre eles Teresina, onde iremos lançar 44 candidatos, com objetivo de eleger dois vereadores”, explicou o presidente estadual da sigla.

A direção do Cidadania deve finalizar a montagem da chapa proporcional no início do mês de março. Entre os nomes cotados para compor a aliança estão o do diretor de desportos da Fundespi, Júnior Macedo; e também o do ex-vereador de Teresina, Olésio Coutinho.

24 de fevereiro de 2020

Margarete Coelho comemora 88 anos do voto feminino no Brasil

Margarete Coelho comemora 88 anos do voto feminino no Brasil

A parlamentar utilizou as redes sociais para ressaltar a importância da data

A deputada federal Margarete Coelho (Progressistas) utilizou as redes sociais para comemorar os 88 anos da instituição do voto feminino no Brasil, completados nesta segunda-feira(24).  Na publicação, em que aparece acompanhada de outras representantes da bancada feminina da Câmara,  Margarete avalia que a conquista de 1932 trouxe reflexos positivos para a sociedade brasileira.

“Hoje na Câmara Federal somos 77 parlamentares, a maior bancada feminina da história, eleitas democraticamente pelo povo e através da conquista feminina pelo direito ao voto há 88 anos atrás. Cada parlamentar com a sua bandeira, sua representatividade, mas consciente do seu papel nessa legislatura tão importante para jogar luz sobre a participação efetiva de outras mulheres. A nossa luta continua pela igualdade dos mesmos direitos e deveres, de estarmos onde quisermos e por pautas que só nós, mulheres, temos legitimidade para compreender”, publicou Margarete.

Margarete Coelho posa ao lado de algumas das mulheres que fazem parte da Câmara dos Deputados(Foto: Divulgação)

Margarete é uma das 77 mulheres que compõem a Câmara dos deputados. Além dela, o Piauí conta com outras três representantes: Iracema Portela(Progressistas), Marina Santos(Solidariedade) e Rejane Dias(PT).

Na Assembleia Legislativa, atualmente cinco mulheres exercem a função de deputada estadual: Lucy Soares (Progressistas), Teresa Britto (PV), Flora Izabel (PT), Belê Medeiros (Progressistas) e Elisângela Moura (PCdoB).

História

A data de 24 de fevereiro de 1932 marca o início do voto feminino no Brasil. A partir dessa data, as mulheres que atendessem a certas condições, como ter trabalho remunerado, teriam direito ao voto. Apenas em 1965, com a edição do Código Eleitoral, acabaram totalmente as diferenças dos direitos eleitorais vinculados ao sexo do eleitor.

"Desafio é fazer arrecadação crescer, sem aumentar carga tributária"

O deputado federal também avaliou o cenário eleitoral de Teresina e confirmou o convite feito para que o empresário Valter Lima ingresse no partido.

O deputado federal Júlio César, que também é presidente regional do PSD, concedeu entrevista exclusiva ao Jornal O DIA. Durante a conversa, ele avaliou os primeiros resultados acerca da Reforma da Previdência, analisou as discussões em torno das reformas Tributária e Administrativa e analisou a articulação do PSD para as eleições de outubro de 2018. 

O parlamentar entende que a reforma Tributária deve aumentar a participação de Estados e Municípios na divisão do bolo tributário, enquanto a reforma Administrativa tem como meta diminuir os gastos com o que chamou de privilégios do funcionalismo público. Júlio César também estipulou a meta de seu partido lança candidatos em 100 municípios do Piauí e eleger, ao menos, 55. O deputado federal também avaliou o cenário eleitoral de Teresina e confirmou o convite feito para que o empresário Valter Lima ingresse no partido. 

A Previdência foi a primeira de uma série de reformas que o governo federal quer ver aprovadas no Congresso Nacional. O equilíbrio das contas públicas e a retomada do crescimento e são os principais argumentos em defesa dessas reformas. Já deu pra sentir algum avanço?

A Previdência foi a primeira. Foi aprovada. Nessa semana em reunião com o secretário do Tesouro Nacional já vimos uma diminuição do percentual de crescimento do déficit da Previdência, é um sinal positivo de que este reforma foi certa. Aí tem a reforma Trabalhista e agora teremos as reformas Administrativa e a Tributária. 

São duas reformas bastante polêmicas. Como o senhor observa as discussões?

Principalmente a tributária é mais polêmica, porque mexe com toda a população brasileira na área da tributação, e mexe também com os entes federados na divisão do bolo, mexe com municípios, com Estados e toda mudança causa resistência. Isso é um principio natural. Embora eles possam ter uma projeção de que as coisas vão melhorar, eles têm a incerteza de que isso vai acontecer. 

Então nós trabalhamos dentro da reforma Tributária e desonerar os mais pobres, desonerar o consumo, tributar mais os ricos, o sistema financeiro, que é o mais lucrativo do mundo, para que dentro de uma divisão ou de uma arrecadação total, não possa aumentar a reforma tributária. Tem que aumentar a eficiência do governo na arrecadação, diminuir a sonegação, aumentar a arrecadação total dos três entes federados e não aumentar a carga tributária. Nossa grande luta é não aumentar a carga tributária. Hoje, por exemplo, no Brasil, é 33% do Produto Interno Bruto. Eu sei que na Europa tem país que chega até em 45%, mas o Brasil não tem capacidade de contribuir acima disso, que já está no limite máximo.

E como o senhor entende que deve ficar?

Nós estamos a trabalhar para não aumentar a carga, aumentar a eficiência, e com isso a arrecadação e dividir melhor com estados e municípios, dando principalmente aos estados e municípios. Porque os problemas e as soluções do povo brasileiro estão nos municípios. E de tudo quanto se arrecada no Brasil, fica apenas com 20%. Nós queremos que chegue pelo menos com 22%. E os estados fiquem com 26¨% e a União com mais de 50%. As soluções estão nos municípios.

Outro assunto é a reforma Administrativa. Quais os assuntos que o senhor entende que devem ser prioridade nessa discussão. Fala-se muito em privilégios para algumas categorias de serviço público. Quais privilégios são esses?

Primeiro temos que acabar privilégio. Em segundo é necessário diminuir o tamanho da máquina, diminuir o custo da máquina. O governo gasta R$ 280 bilhões só com a máquina da Administração Pública, é muito dinheiro. É dinheiro que poderia ser economizado uma parte e destinado ao investimento. O governo no ano passado investiu apenas R$ 49 bilhões. Nós precisamos investir é R$ 200 bilhões por ano. Esses R$ 49 bilhões é porque o governo paga dívida pública, excesso de privilégios na Previdência, no funcionalismo e outras anomalias que existem na gestão da coisa pública brasileira.

Deputado, essas discussões acontecem no âmbito federal. Mas elas afetam estados e municípios. Como esses entes podem contribuir com as decisões lá em Brasília?

Os governadores estão conscientes de que é necessário ter uma reforma. O receio deles é na hora de dividir o bolo, os ricos ficarem com mais e os pobres com menos. Porque, por exemplo, o critério do Fundo de Participação dos Estados brasileiros foi para compensar a renda daqueles mais pobres. O Nordeste, por exemplo, tem 52% do FPE, porque a região é mais pobre. Quando se coloca o Nordeste, o Norte e o Centro- Oeste, que em 1988 era um dos mais pobres, hoje é acima da média nacional, as três regiões tem 85% do FPE, então tem que ter uma preocupação para dar mais privilégios aos mais pobres para ter uma pretensão futura, que é diminuir a diferença entre ricos e pobres no nosso país.

O senhor entende que a discussão dessas reformas, levando em conta que alguns aspectos, são impopulares, pode impactar nas eleições deste ano?

A reforma Tributária nem tanto. A Administrativa, com o funcionalismo público sim, vai ter. Mas a reforma da Previdência, que já foi aprovada, se fosse agora iria ter um impacto ainda maior, assim como a Trabalhista, que já foram aprovadas. Então vamos ver, o grande problema é a guerra federativa que vai ter na discussão da reforma Tributária.

O senhor sempre tem uma atuação muito ligado ao municipalismo. Quais as principais ações desenvolvidas nos últimos meses em relação a essa pauta?

Em relação aos municípios, aprovamos em 17 de dezembro o 1% do FPM do mês de setembro, e os prefeitos já tem esse 1% de dezembro, que é de autoria minha, tem no mês de julho e agora também terão em setembro, o projeto é originário do Senado que eu tive o prazo de ser relator. Devemos aprovar em março em segunda votação, para que seja promulgada essa Emenda e passar a vigência. O único questionamento é saber se o pagamento vai ocorrer este ano, porque é fracionado em quatro anos para se chegar a totalidade do pagamento. Eu entendo que criar imposto tem que ter a anualidade, mas critério de imposto já existente que no caso é o IPI e o Imposto de Renda, eu acho que não. Estou lutando para que passe a viger ainda este ano. 

Como o PSD está se organizando para participar das eleições deste ano, tanto no interior quanto em Teresina?

Estamos preparado com muita articulação, avaliando as lideranças, temos 42 prefeitos, somos o segundo maior partido aqui do Piauí. Temos a pretensão de chegar a 50 prefeitos até o final do prazo de mudança de partido e habilitar nós temos projetados pelos menos 100 candidatos a prefeito, e desses 100 pelo menos 55 serão eleitos.

E em Teresina, o partido mantem candidatura própria?

O Georgiano é candidato. Mas estamos articulando outras lideranças a para vir somar com ele, ou quem sabe, se tiverem melhor desempenho, pode ser o candidato a prefeito. Tem que ser rápida porque o prazo tá chegando, então agora no mês de março deve ser resolvido.

Muito se fala que é com o cenário desenhado em 2020 que as articulações para 2022 começam a ser realizadas. O senhor já planeja algo neste sentido?

É uma questão de futuro. Nossa preocupação atual é com as eleições municipais, e o resultado vai ser uma projeção que teremos no futuro, então é focar em outubro.

O empresário Valter Lima, que desistiu de concorrer a Prefeitura de Teresina e informou que vai deixar o PSL, vai ingressar no PSD?

O convite foi feito pra ele. Depois que ele desistiu, é bom ressaltar que é uma liderança ascendente, um rapaz muito preparado, eu viu ma entrevista dele e ele tem muita desenvoltura. Ele tem muito futuro na política. Já o convidei para ele vir ao PSD, eu sinto que ele vê no nosso partido uma sigla que cresce todo dia. Temos mais de 200 vereadores e meu trabalho com o deputado Georgiano, eleito pela primeira vez com 20 anos e o mais votado da história do Piauí, eu acredito que é uma grande opção para ele. Estamos confiantes de que ele possa decidir vindo ao nosso partido.

Deputado, o senhor comentou que o ex-governador Hugo Napoleão foi convidado pelo PSD e inclusive chegou a ser apresentada a ele a proposta dele ser o candidato a prefeito de Teresina. Como está essas conversas?

Ainda em conversação. Estive com ele em Brasília, no lançamento do livro sobre a história do Juscelino Kubistchek,o Hugo é um cidadão sem mandato, mas tem um prestígio invejável. Então se ele decidir ficaremos felizes. Mas ele tem resistência, da última vez que ele concorreu e não obteve sucesso ele disse que não queria mais concorrer. Mas os indicadores são bons para ele. A perspectiva de crescimento dele é alta, pelo que ele fez, pela confiança que o povo piauiense temem seu nome. Eu acredito que isso pode ser um argumento para que ele passe a concorrer. Vamos ter uma conversa, ele já conversou inclusive com o presidente nacional Gilberto Kassab.

PT e PC do B oficializam aliança após o Carnaval

PT e PC do B oficializam aliança após o Carnaval

. As conversas para efetivação da aliança já estão bem adiantadas e são coordenadas por Zé Carvalho e Mario Ângelo.

O PC do B deve oficializar após o carnaval o apoio à pré-candidatura do secretário de Cultura, deputado Fábio Novo, à Prefeitura de Teresina. As conversas para efetivação da aliança já estão bem adiantadas e são coordenadas por Zé Carvalho e Mario Ângelopresidentes dos diretórios estadual e municipal, respectivamente.

A expectativa é que o anúncio oficial aconteça durante um evento com as principais lideranças da sigla a nível de estado e representantes da chapa proporcional que irá disputar vagas na Câmara Municipal de Teresina nas eleições de outubro.

De acordo com o secretário estadual de Governo, Osmar Júnior, um dos principais líderes dos comunistas no Piauí, a aliança com o PT em Teresina não passa pela formação de chapa majoritária, o que segundo ele deve ser definido futuramente. Ele assegura que o PC do B não impôs nenhuma condição para efetivação da aliança.


PT e PC do B oficializam aliança após o Carnaval. Foto: Elias Fontenele

“O PC do B não estabeleceu como condição para negociação ocupar a vaga de vice. É uma questão que está em aberto . O que nós queremos é que seja composta a chapa mais forte e competitiva”, assegura Osmar.

 Apesar de ainda não ocupar a vaga de vice na chapa que será encabeçada por Fábio Novo, o PC do B terá papel fundamental na formatação do plano de governo do pré- candidato petista. Caberá a  Dalton Macambira, ex-secretário estadual de Meio Ambiente e uma das principais figuras do PC do B, liderar a elaboração do documento que norteará as ações da chapa na disputa pelo Palácio da Cidade.

23 de fevereiro de 2020

Cid Gomes tem alta hospitalar cinco dias após ser baleado

Cid Gomes tem alta hospitalar cinco dias após ser baleado

Senador licenciado avançou com uma retroescavadeira contra grupo que manifestantes

O senador licenciado Cid Gomes recebeu alta médica e deixou o hospital neste domingo (23), após passar cinco dias internado depois de ser baleado durante um motim de policiais militares em Sobral, interior do Ceará. Segundo assessoria de Cid, o senador continuará a reabilitação em sua residência, em Fortaleza, mas não realizará procedimentos para a retirada dos projéteis do corpo.

Cid Gomes foi baleado na quarta-feira (19) em um motim de policiais que reivindicavam aumento salarial. Quando foi atingido, ele tentava furar um bloqueio feito no 3º Batalhão da Polícia Militar do município com uma retroescavadeira. A Polícia Federal investiga o caso.

Imagens do momento do tiroteio contra o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE) mostram que ao menos três pessoas dispararam na direção do político. 

Após ser baleado, Cid foi levado ao Hospital do Coração de Sobral, onde recebeu os primeiros atendimentos médicos. Na quinta-feira, o senador licenciado deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital e foi transferido para uma unidade de saúde de Fortaleza.

Imagens do momento do tiroteio contra o senador mostram que ao menos três pessoas dispararam na direção do político. Dois tiros atingiram o senador quando ele tentou invadir um batalhão da Polícia Militar em Sobral ocupado por policiais amotinados na quarta-feira (19).

No sábado (22), o senador foi submetido a um exame de raio-x que confirmou a existência de dois projéteis alojados, um ao lado da costela e outro no pulmão esquerdo, assim como um fragmento de projétil.

A assessoria de Cid informou que não serão realizados procedimentos para a retirada desses projéteis. Contudo, o senador continuará em reabilitação, realizando fisioterapia respiratória e uso de antibióticos para restabelecimento da função pulmonar.

22 de fevereiro de 2020

PSD admite conversas para compor eleição em Teresina

PSD admite conversas para compor eleição em Teresina

Segundo o presidente do diretório municipal da sigla, Tiago Vasconcelos, há conversas com outros partidos para formação de uma aliança.

Ainda avaliando quem será o candidato nas eleições deste ano para a Prefeitura de Teresina, o PSD trabalha discretamente na composição de vice. Segundo o presidente do diretório municipal da sigla, Tiago Vasconcelos, há conversas com outros partidos para formação de uma aliança.

A preocupação com uma eventual composição visa tanto o fortalecimento de palanque como o tempo de propaganda eleitoral gratuita na televisão e no rádio. “São vários os fatores, como de forma isso poderá acrescentar ao debate propositivo que queremos apresentar para a cidade, por isso temos mantido esse diálogo com discrição”, revelou Vasconcelos.

Thiago Vasconcelos. Foto: Assis Fernandes. . 

Segundo o dirigente, que descartou qualquer especulação sobre a possibilidade de adesão a pré-candidatura de outro partido, o PSD tem conversas com quatro legendas para fazer dupla ao seu pré-candidato na capital. “Essa composição vai se afirmar nas convenções,em agosto. É um diálogo que preferimos manter um pouco mais discreto, diferente de outros”, pontuou.

Somado as negociações em torno da sua majoritária, o PSD também mantém os esforços para completar sua lista de candidatos a vereador se fortalecer na disputa das vagas na Câmara Municipal de Teresina (CMT). “Nosso objetivo é apresentar uma chapa completa para eleger três parlamentares”, finalizou Vasconcelos.

Firmino sobe o tom contra adversários: “Aventureiros”

Firmino sobe o tom contra adversários: “Aventureiros”

O prefeito tem atacado as candidaturas de oposição e faz críticas dirigidas ao Karnak

O prefeito Firmino Filho (PSDB) voltou a criticar e a chamar de ‘laranjas’ os candidatos ligados ao governo do estado que vão disputar as eleições do próximo mês de outubro. O chefe do executivo municipal acredita que o eleitor está com medo das opções que a oposição apresenta para a disputa pelo Palácio da Cidade.

Foto: Assis Fernandes. 

“O que temos é bastante claro. O Palácio de Karnak tem uma estratégia para derrotar nosso grupo político e essa estratégia passa pela colocação de três candidatos. Se é baixaria não sei o que é coisa alta e coisa baixa. É apenas a identificação da estratégia do Palácio de Karnak, que busca nos derrotar. É o sentimento das pessoas que nos procuram. Várias pessoas dizem ter medo do que vai acontecer. Muitas pessoas dizem ter medo do que vai acontecer com a cidade e com muita coisa boa que a prefeitura construiu ao longo do tempo”, disparou Firmino.

Ainda de acordo com Firmino, os pré-candidatos de oposição tentam desestabilizar a atual gestão. "O Palácio de Karnak busca desestabilizar nossa administração, nos derrotar e utiliza a estratégia de colocar três candidatos aliados ao palácio. Três laranjas para nos derrotar. Na linguagem de piratas, corsários e aventureiros é o medo que existe na cidade dessas alternativas postas que fazem a cidade tremer de medo", disse.

As declarações de Firmino Filho tem sido alvo de críticas por parte dos pré-candidatos de oposição. Fábio Abreu (PL) e Fábio Novo (PT) já se manifestaram rebatendo a fala do chefe do executivo municipal.

21 de fevereiro de 2020

Ciro Nogueira será o único piauiense em comissão da reforma Tributária

Ciro Nogueira será o único piauiense em comissão da reforma Tributária

O colegiado será formado por 50 parlamentares e o senador Ciro Nogueira (Progressistas) será o único representante piauiense.

O Congresso Nacional criou, na quarta-feira (19), a comissão especial responsável pela elaboração de um texto para a reforma Tributária. O colegiado será formado por 50 parlamentares e o senador Ciro Nogueira (Progressistas) será o único representante piauiense.

A primeira reunião da comissão está marcada para o dia 3 de março, após o feriado de carnaval. Dentre as discussões que devem ser travadas acerca da matéria, Ciro menciona como prioridade a necessidade da elaboração de mecanismos capazes de simplificar o sistema tributário brasileiro.

“Temos hoje um sistema tributário que causa um custo enorme na arrecadação, consome grande parte do que é arrecadado. É muito complicado para o cidadão que paga e tem que recorrer a profissionais para contribuir com seus tributos”, afirmou o senador.


Ciro Nogueira será o único piauiense em comissão responsável por discutir reforma. Roque de Sá/Agência Senado

Outro ponto destacado pelo senador é a busca por um entendimento pela diminuição dos encargos, sobretudo os que incidem no setor produtivo. “Devemos tentar que se haja uma redução da carga tributária, para valorizarmos quem produz em nosso país. Acredito que esse será o grande foco”, avaliou.

A expectativa é que a comissão consiga elaborar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) consensual entre Câmara, Senado, Governo Federal e secretários estaduais de Fazenda, para ser aprovada ainda neste primeiro semestre de 2020.

Fábio Abreu reage a críticas de Firmino sobre oposição

Fábio Abreu reage a críticas de Firmino sobre oposição

O atual prefeito de Teresina afirmou que a oposição prejudica o progresso de Teresina. Abreu avalia que prefeito está pressionado

O secretário de Segurança Fábio Abreu, pré-candidato do PL à Prefeitura de Teresina, reagiu às declarações recentes do prefeito Firmino Filho (PSDB) sobre as candidaturas de oposição ao Palácio da Cidade. O chefe do executivo municipal chegou a afirmar que a oposição ameaça o progresso de Teresina.

Para Fábio Abreu, as declarações de Firmino foram desrespeitosas e ofensivas, postura que, segundo ele, não deve fazer parte do período eleitoral. “Eu acho estranho. Nunca esperava esse comportamento do prefeito. Tenho acompanhado ele a respeito da questão política, em algumas campanhas, e não o via como uma pessoa que agride adversários. Está fora da linha que normalmente ele tinha implementado e passa a uma situação que é lamentável. O que eu espero e proponho para uma disputa eleitoral é proposta, e não ofensas”, disparou.


O pré-candidato a prefeito pelo PL diz que nunca esperou que o prefeito tivesse um comportamento assim - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Ainda de acordo com Fábio Abreu, o comportamento de Firmino pode ser explicado pelo fato de o Palácio da Cidade enfrentar dificuldades para definir o nome que irá disputar as eleições do próximo mês de outubro.

“O que acontece é uma pressão muito grande que deve estar sofrendo, os candidatos de oposição marcando pontos importantes nas pesquisas e permanecendo com essa pontuação, por mais nomes que são lançados ou balões de ensaios que são feitos, que não tem tido resultado esperado. Acho que isso é que está causando essa mudança de comportamento, de agredir adversários de uma forma tão baixa como vem acontecendo”, avaliou

20 de fevereiro de 2020

Paulo Henrique oficializa pré-candidatura a prefeito de Teresina

Paulo Henrique oficializa pré-candidatura a prefeito de Teresina

Paulo Henrique vem motivado com a votação que considera expressiva das eleições de 2018, quando foi candidato ao Senado

O PSOL anunciou a pré-candidatura de Paulo Henrique a prefeito de Teresina e as articulações para formar chapa na disputa pela Câmara Municipal com a meta de eleger dois vereadores. O partido de esquerda iniciou a pré-campanha batendo forte nos modelos administrativos do PT e PSDB na capital.

Paulo Henrique vem motivado com a votação que considera expressiva das eleições de 2018, quando foi candidato ao Senado pela Rede Sustentabilidade. Foram 28 mil votos em todo o estado e 12 mil em Teresina.

“Fui convidados pelos membros do PSOL para assumir a pré-candidatura a prefeito, porque tivemos um desenvolvimento bom em Teresina quando fomos nas eleições de 2018 candidato ao Senado pela Rede Sustentabilidade. Fizemos uma campanha bonita, limpa, não usamos dinheiros público e somente em Teresina tivemos 12 mil votos”, disse.

Paulo Henrique foi candidato ao Senado nas eleições de 2018 (Foto: Elias Fontinele / O Dia)

O pré-candidato pontua que nesse momento o PSOL está na discussão interna sobre as pré-candidaturas, mas que em breve deve iniciar conversas para compor com outras siglas para a disputa do Palácio da Cidade. Questionado sobre a relação de proximidade com o PT, Paulo Henrique é categórico ao afirmar que o PSOL é oposição no Piauí.

“O PSOL é um partido formado de correntes. Das várias correntes que o partido tem, aqui no Piauí tem quatro. As quatro fazem oposição ao PT. E não poderíamos deixar de ser oposição a prefeitura, porque já são mais de três décadas o mesmo grupo dominando a prefeitura”, criticou.

Como professor da Universidade Estadual do Piauí, Paulo Henrique tem criticado a falta de estrutura da instituição. Quando o assunto é a Educação de Teresina, ele até enaltece os avanços, mas não deixa de apontar os problemas. Em suma, o pré-candidato está com o discurso afinado.

“A população de Teresina vai ter alguns caminhos. Se a população acreditar que o modelo implantado pelo governo do Estado deve servir para a capital, vai votar nos candidatos do governo. Se a população de Teresina acreditar que o modelo implantado pelo PSDB deve se sustentar por mais 20 anos, vai votar nos candidatos da prefeitura. Agora, o PSOL quer romper com esses dois modelos”, finalizou. 

Governador decreta reajuste de gratificação a policiais civis e militares

Governador decreta reajuste de gratificação a policiais civis e militares

O reajuste custará algo em torno de R$ 17 mi anuais aos cofres públicos, sendo R$ 12 mi do Tesouro Estadual e R$ 5 mi do Fundo Nacional de Segurança.

O governador Wellington Dias (PT) assinou, na manhã desta quinta-feira (20), um decreto para reajustar o valor das diárias pagas aos policiais civis e militares do estado durante operações planejadas. A estimativa é que os agentes de segurança escalados para ações durante o feriado de carnaval já sejam contemplados pela nova regra. 


Leia também: PMs e bombeiros reivindicam reposição salarial de quase 20% 


“Isso é muito importante para as atividades das duas polícias e das condições para que essas operações se efetivem. Isso vai melhorar a vida do policial, que terá um aumento de 50% na sua gratificação, e o desempenho da polícia no combate a eventuais crimes que ocorram em nosso estado”, explica o secretário de Governo, Osmar Jr.

Sendo assim, policiais escalados para operações planejadas terão direito a diárias de até R$ 250 por cada seis horas trabalhadas. O secretário estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, também ressalta ainda a previsão de acréscimo aos comandantes de unidades e agentes que atuam em Grupamentos da Polícia Militar (GPM) em municípios do interior. “Já foi acordado com o governador, estamos finalizando só os valores”, reforça.

Segundo avaliação do Governo, o reajuste no benefício dos policiais custará algo em torno de R$ 17 milhões anuais aos cofres públicos, sendo R$ 12 milhões oriundos do Tesouro Estadual e outros R$ 5 milhões dos recursos provenientes do  Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP).

Rooney Lustosa confirma conversas do DEM com o PL de Fábio Abreu

Rooney Lustosa confirma conversas do DEM com o PL de Fábio Abreu

A decisão é partidária, não é uma decisão pessoal minha, e nem de um grupo.

O presidente estadual do Democratas, Rooney Lustosa, confirmou que a sigla vem mantendo diálogo com o PL sobre a possibilidade de apoiar o nome de Fábio Abreu na disputa pela Prefeitura de Teresina, nas eleições do próximo mês de outubro. A decisão final sobre o apoio que a chapa proporcional do DEM deverá ser tomada em conjunto com os filiados e pré-candidatos a vereador. 


“Recebemos o convite para compor com ele e vamos submeter ao partido. A decisão é partidária, não é uma decisão pessoal minha, e nem de um grupo. O objetivo do partido é a questão da eleição dos três vereadores, então a melhor estratégia para fortalecer isso nós vamos seguir”.

Apesar de confirmar o diálogo com o PL e o grupo de Fábio Abreu, Rooney Lustosa ressalta que a tendência ainda é que o DEM marche com o candidato apoiado pelo prefeito Firmino Filho para a sucessão municipal. “A nossa conversa mais adiantada é com o grupo do prefeito, mas isso não nos impede de conversar com os outros partidos que querem compor conosco”, explicou. 

Ainda de acordo com Rooney Lustosa, o Democratas passa por um processo de reestruturação no estado do Piauí, especialmente na capital. Segundo ele, esse é o fator que explica o fato de o partido estar sendo procurado pelos candidatos que estarão na disputa pelo Palácio da Cidade. “O Democratas hoje é um partido em ascensão aqui no estado do Piauí”, pontuou. 

Wellington Dias e presidente da CNM discutem partilha de recursos

Wellington Dias e presidente da CNM discutem partilha de recursos

O chefe do executivo defende que o tema da reforma tributária deve ir adiante, sendo discutido junto com o pacto federativo.

O governador Wellington Dias esteve reunido nesta quarta-feira (19) com o presidente da Confederação Nacional de Municípios, Glademir Aroldi, em Brasília, para tratar a respeito da pauta federativa, conjunto de projetos que tramitam no Congresso Federal e dizem respeito à partilha de recursos entre União, Estados e Municípios. O chefe do executivo defende que o tema da reforma tributária deve ir adiante, sendo discutido junto com o pacto federativo para que haja uma distribuição mais justa.


O governador cumpriu agenda em Brasília e se reuniu com Glademir Aroldi, que preside a Confederação Nacional dos Municípios - Foto: Reprodução

“O tema da reforma tributária tem que ir adiante, mas temos que tratar junto com o tema do Pacto Federativo para que haja uma distribuição mais justa nisso, tem a ver com a distribuição de royalties e participação especial. O ministro (da Economia) Paulo Guedes se comprometeu em agenda com os governadores e com os municípios de descentralizar receitas para estados e municípios voltados a investimentos e à nossa necessidade. São recursos para investimentos e para fazer crescer e destravar a economia, garantir a geração de emprego e renda, que é isso que verdadeiramente dá equilíbrio”, afirmou Wellington Dias.

Aroldi comemorou a parceria com o governador e ressaltou a necessidade de discutir mais a fundo esse tema. “Quero agradecer muito a parceria com o governador Wellington, que tem sido um defensor das causas dos estados e dos municípios brasileiros, entendendo perfeitamente através do seu conhecimento de que esta federação tem um sistema de quatro, mas o modelo que está sendo praticado não está atendendo as necessidades da população brasileira, então precisamos reverter essa lógica, que não atende mais às necessidades e colocar recursos lá na ponta. Temos aí algumas pautas que são extremamente importantes para que isso possa efetivamente sair do discurso e acontecer”, disse.

Themístocles põe fim a “fuxicos” e agenda filiação de Jeová ao MDB

Themístocles põe fim a “fuxicos” e agenda filiação de Jeová ao MDB

Filiação do presidente da Câmara Municipal ao partido deverá acontecer na segunda semana de março.

Diante das investidas do PSDB pela permanência na sigla do chefe do legislativo de Teresina, Jeová Alencar, o MDB decidiu confirmar a data de filiação do parlamentar para a segunda semana de março. “Deverá ser no dia 15”, afirmou o deputado Themístocles Filho, presidente do diretório emedebista da capital.


Leia também: PSDB tenta manter presidente da Câmara Municipal no partido 


Ambos aproveitaram o encontro que tiveram, na manhã desta quarta-feira (19), para pôr fim à especulação de um provável rompimento político. Themístocles classificou isso como “fuxicos” típicos de período eleitoral, enquanto Jeová fez questão de enfatizar o alinhamento com o presidente da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).


O presidente da Câmara vem sendo assediado para permanecer no PSDB - Foto: Assis Fernandes/O Dia

“Somos amigos, e não tenha dúvida de que nosso caminho natural é o MDB. Além de mim, alguns amigos também irão me acompanhar”, assegurou o vereador, que apesar de ainda não integrar oficialmente o partido, tem participado, ao lado de Themístocles, das articulações em torno das eleições municipais.

Recentemente algumas lideranças do PSDB, inclusive o prefeito Firmino Filho, desafeto político de Jeová, manifestaram publicamente o desejo de preservar o parlamentar em seus quadros. Além do gestor, o vereador Edson Melo e o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles da Silveira, também reforçaram o pleito.

Lobão descarta saída e critica desgaste: “não é bom para o partido”

Lobão descarta saída e critica desgaste: “não é bom para o partido”

O parlamentar demonstra que não tem interesse em deixar o partido e diz que sigla precisa se fortalecer.

Mesmo em divergência com o diretório municipal do MDB em Teresina, o vereador Luiz Lobão negou, nesta quarta (19), que exista qualquer articulação para deixar a sigla. “Na Câmara tem vários parlamentares querendo trocar de partido, mas não tenho essa pretensão”, disse.


Leia também: Marcelo Castro diz que é imprudente expulsão de Lobão do MDB 


Sob ameaça de um processo de expulsão, informações de bastidores deram conta de um possível acerto para a acomodação de Lobão em siglas na base aliada do prefeito Firmino Filho (PSDB), o que foi prontamente rechaçado pelo vereador. “Pode até vir a ser, mas hoje meu partido é o MDB”, frisou.


Lobão descarta saída e critica desgaste na sigla: “não é bom para o partido” - Foto: Jailson Soares/O Dia

Apesar da insistência em manter-se no palanque emedebista, Lobão vem sendo desprestigiado por algumas lideranças da sigla, como o deputado estadual João Madison, que questionou a íntima relação do vereador com a atual gestão da capital, ao qual o MDB faz oposição, e o próprio presidente da instância municipal do partido, deputado Themístocles Filho.

Evitando polemizar ainda mais o assunto, Lobão ressalta que este tipo de discussão só prejudica o MDB, que precisa se fortalecer para uma eleição onde não serão permitidas alianças proporcionais. “Esse desgaste não é bom para o partido, pois não ganha nada com isso. Acho que na política temos que somar, e não dividir”, finalizou.

19 de fevereiro de 2020

Ex-presidente do Sinte, João de Deus pede calma a grevistas

Ex-presidente do Sinte, João de Deus pede calma a grevistas

Os professores da rede estadual, em greve desde a semana passada, rejeitam a proposta enviada pelo governo à Assembleia Legislativa.

O deputado estadual João de Deus (PT) defendeu a necessidade de cautela durante as discussões a respeito do reajuste salarial dos professores da rede estadual de ensino. O parlamentar, que já presidiu o sindicato que representa a categoria, avalia que a decisão de deflagrar greve foi precipitada, uma vez que o movimento foi iniciado antes do governo do Estado apresentar uma proposta. 


“Decidiram fazer a greve antes de esgotar o processo de negociação. Acho que a greve é o último cartucho, é o último momento. Primeiro você abre as negociações e dialoga”, argumentou João de Deus, que afirmou que vai tentar ajudar a intermediar o impasse entre professores e governo estadual. “Vamos tentar reabrir as negociações, porque a categoria merece”. 

Os professores da rede estadual, em greve desde a semana passada, rejeitam a proposta enviada pelo governo à Assembleia Legislativa. O texto estabelece que o valor mínimo a ser pago aos professores por 40 horas será de R$ 3.167,17, o que representa um aumento de 4,17%. 

Nesta terça-feira, representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação(Sinte) foram recebidos pelo presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho (MDB) . A categoria promete acompanhar de perto e participar das discussões a respeito da mensagem que trata do reajuste salarial. 


Tráfico: B. Sá defende que Estado utilize aeronaves apreendidas

Tráfico: B. Sá defende que Estado utilize aeronaves apreendidas

Ainda de acordo com o parlamentar, a ideia é que poder legislativo una forças com o executivo para viabilizar a utilização das aeronaves apreendidas.

A Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (18), por unanimidade, um requerimento apresentado pelo deputado B.Sá (Progressistas) que solicita ao Tribunal de Justiça prioridade em relação à tramitação do processo que trata sobre a utilização dos bens apreendidos na operação que culminou com a apreensão de mais de 1 tonelada de cocaína no Piauí, realizada no final do ano passado. 


“Esse requerimento vem reforçar um pedido do estado junto ao Poder Judiciário em que se solicita autorização para utilizar as aeronaves apreendidas nas últimas apreensão de drogas, essa última apreensão de mais de uma tonelada onde essas aeronaves estavam sendo utilizadas para fazer esse transporte. O estado peticionou ao judiciário a fim de que, como prevê o artigo 62 da lei de drogas, pudesse utilizar esses bens apreendidos para combater a criminalidade”. 

Ainda de acordo com o parlamentar, a ideia é que poder legislativo una forças com o executivo para viabilizar a utilização das aeronaves apreendidas. 

“A gente sabe que o poder judiciário tem seus prazos e seus procedimentos, mas a gente vem unir ao pedido do Estado para que o Poder Judiciário possa, o quanto antes, ao avaliar esse processo, autorizar que esses bens, que essas aeronaves apreendidas, sejam encaminhadas para as forças de segurança do Estado a fim de que as forças de segurança estatais se fortaleçam mais ainda para combater a criminalidade”, completou B. Sá.


No senado, Elmano Férrer cobra mais apoio ao agronegócio

No senado, Elmano Férrer cobra mais apoio ao agronegócio

“92% da exportação do Piauí vêm através da produção dos cerrados”, disse o parlamentar.

O senador Elmano Férrer (Podemos) cobrou uma política eficiente de incentivo a produção rural no Piauí, sobretudo na região Sul do estado. O parlamentar declarou que o setor é muito importante para o desenvolvimento econômico do Piauí. “92% da exportação do Piauí vêm através da produção dos cerrados”, disse.


Leia também: Elmano quer resgatar pontos do pacote anticrime de Sérgio Moro 


Segundo o parlamentar, muitos desses produtores chegaram ao estado ainda na década de 1990, após estudos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) atestarem a viabilidade produtiva da região, mas ainda permanecem desassistidos pelo poder público.


O senador citou a regularização fundiária como ponto essencial para o desenvolvimento do setor - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

“Começaram como verdadeiros bandeirantes e transformaram a região num celeiro de produção de soja, milho e algodão, entre outros (...) foram para a região com a certeza de que encontrariam condições mínimas para a produção, ou seja, estradas, energia e, sobretudo, regularização fundiária", afirmou Férrer.

No ano passado, a Assembleia Legislativa (Alepi) aprovou uma nova política de regularização fundiária piauiense. A estimativa é que cerca de 12,5 milhões de hectares, dos mais de 25 milhões de terras devolutas que pertencem ao Estado, sejam regularizadas, medida que deve proporcionar maior segurança jurídica aos produtores rurais.

Firmino Filho diz que cargo de vice-prefeito será do Progressistas

Firmino Filho diz que cargo de vice-prefeito será do Progressistas

O partido terá prioridade para indicar a vaga, mas caso opte por não ocupar o espaço, será ouvida na definição.

O nome do pré-candidato do PSDB pela sucessão do prefeito Firmino Filho só deve acontecer em março, no entanto, o gestor, dá indícios de que a vice na composição majoritária ficará com o Progressistas (PP). A vaga está sendo pleiteada por vários partidos da sua base aliada do Palácio da Cidade.


Leia também: Se Firmino “precisar”, Progressistas pode recuar da indicação de vice


 

“Vamos fazer a escolha do nosso candidato primeiro e, posteriormente faremos a escolha do vice. Os Progressistas serão a prioridade, e qualquer tipo de decisão, em relação ao vice-prefeito, passará por eles”, declarou prefeito em entrevista nesta terça-feira (18).


A fala do prefeito mostra que ele tem em Ciro Nogueira seu principal aliado para manter seu grupo na Prefeitura - Foto: Rômulo Piauilino/Semcom

O Solidariedade (SD) é outra sigla que também manifestou a intenção de indicar a vice e, a se confirmar este cenário de composição entre PSDB e PP, pode se inclinar ao assédio de outra pré-candidatura majoritária e reforçar o palanque da oposição. Apesar disso, Firmino minimiza possíveis dissidências em sua base aliada.

“Vai ficar com conosco quem acredita no nosso modelo de gestão, ninguém vai ficar por interesse menores nem por conta de questões outras (...) Quem tiver compromisso com a cidade vem com a gente, quem não tiver a gente vai continuar respeitando, mas cada um segue seu caminho”, finalizou o gestor.

Piauí apresenta projeto de PPP da Transcerrados a investidores

Piauí apresenta projeto de PPP da Transcerrados a investidores

O governo quer atrair interessados em explorar economicamente a rodovia. O projeto deve ser licitado ainda neste ano.

O governador Wellington Dias apresentou nesta terça-feira (18), em São Paulo, os estudos da PPP da Rodovia Transcerrados para investidores, consultores e empresas interessadas. O evento foi realizado pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência de Parcerias e Concessões do Governo do Piauí (Suparc), na sede da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base (ABID), em São Paulo (SP).


Leia também: Piauí já economizou mais de R$ 21 milhões com parcerias público-privadas 


A intenção do governo estadual é que a PPP deve ser licitada e contratada ainda neste ano, tendo como objetivo promover o desenvolvimento da região do Cerrado, que tem a economia impulsionada pelo cultivo de grãos no Sul do Piauí, já que compreende as rodovias PI-397 e PI-262.

O projeto, de responsabilidade Superintendência de Parcerias e Concessões, é destinado às empresas com interesse em implantar, adequar, operar, manter e explorar a infraestrutura das estradas. “Esses eventos são importantes, principalmente, nessa etapa que precede o processo licitatório para que as empresas possam, conhecendo os projetos, se organizar para participar dos processos licitatórios. Isso funciona como um movimento que atrai competitividade, facilita o diálogo com o Governo e faz com que as empresas tenham interesse e apetite de participar”, explica o governador Wellington Dias.


O chefe do Executivo estadual apresentou os estudos técnicos que baseiam a proposta de PPP - Foto: Reprodução

De acordo com os estudos, o projeto divide quase 332 quilômetros das rodovias em três lotes e a empresa vencedora deve prestar serviços públicos de conservação, recuperação, manutenção, implantação de melhorias e operação desses trechos rodoviários estaduais do Piauí nos próximos 30 anos. Ao longo desse período, a estimativa é que os investimentos somem mais de R$ 920 milhões. As rodovias atravessam a região sul do Estado, em uma área direta de influência sobre 25 municípios do território regional, o que representa 24,56% da área total do Estado.

O projeto prevê ainda melhorias na infraestrutura, com a construção de praças de pedágio, balanças de pesagens e serviço de apoio ao usuário, além de um centro e uma base para controle e apoio operacional. A previsão é que essas obras sejam entregues em dois anos pela concessionária vencedora.

18 de fevereiro de 2020

João de Deus toma posse e PT se torna a maior bancada na Alepi

João de Deus toma posse e PT se torna a maior bancada na Alepi

Essa será a quinta passagem do petista pelo legislativo estadual.

Suplente na coligação governista nas eleições de 2018, João de Deus (PT) assumiu nesta segunda-feira (17) um assento na Assembléia Legislativa do Piauí (Alepi). Ele ocupa a cadeira do deputado Pablo Santos (MDB), titular que deixou o mandato para reassumir a Fundação Hospitalar do Estado (Fepiserh).


Leia também: Francisco Costa assume a liderança do governo na Alepi 


Essa será a quinta passagem do petista pelo legislativo estadual, que se mostrou empolgado em voltar a Casa como parlamentar. “A política é a arte da conversa, da negociação. Enfim, quero estar sendo muito propositivo, apresentando projetos para podermos ajudar a melhorar a vida dos piauienses”, disse.


O partido vai inclusive reivindicar a presidência da CCJ - Foto: Thiago Amaral/Alepi

Com o retorno de João de Deus, o Partido dos Trabalhadores passa a ter a maior bancada na Alepi. Assim, a sigla deve enfatizar seu pleito na nova composição das comissões técnicas da Assembléia, inclusive reivindicando a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O presidente do PT no Piauí, deputado federal Assis Carvalho, comemorou a volta do colega às atividades parlamentares, para ele, um dos melhores quadros da agremiação. “Ele como deputado passa a ter mais mobilidade para visitar as bases e assim animar a militância para discutir o legado do nosso partido”, finaliza.

Assis diz que Firmino recuou em estratégia de comparar gestões

Assis diz que Firmino recuou em estratégia de comparar gestões

O presidente do PT ainda afirma que "estava adorando as comparações, mas eles perceberam que iam perder".

O presidente estadual do PT, deputado federal Assis Carvalho, afirmou que o prefeito Firmino Filho (PSDB) mudou o discurso crítico e passou a evitar comparações entre os modelos administrativos do governo estadual e o Palácio da Cidade. De acordo com Assis, a mudança de comportamento no grupo do prefeito era algo esperado, uma vez que já representava prejuízos políticos. 


Leia também: PT deve ratificar decisão contrária a filiação Marcos Monteiro 


“Acho que o prefeito já recuou quando ele percebeu que estava perdendo tempo com isso [comparações]. É uma coisa sem sentido. Só faria uma coisa dessa quem tem inexperiência política, e eu não posso deixar de reconhecer que o prefeito tem uma boa experiência. Mas toda experiência uma dia erra, e ele errou na estratégia e já mudou o discurso”, avaliou o presidente estadual do PT. 


O deputado avalia que o PT precisa mostrar o que fez de investimentos por Teresina - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Os atritos entre membros e aliados dos governos estadual e municipal têm marcado a pré-campanha dos candidatos que vão disputar o comando do Palácio da Cidade no próximo mês de outubro. Um dos momentos marcantes do embate aconteceu quando o prefeito Firmino Filho desafiou os candidatos da base aliada do governo Wellington Dias a realizarem a comparação entre os dois modelos administrativos. 

“Eu até estava tentando que eles continuassem isso, estava adorando essa comparação, mas eles recuaram, e se eles recuam é porque perceberam que perderiam o debate. Nenhum partido fez por Teresina o que o PT fez”, disparou Assis Carvalho. 

Marcelo Castro diz que é imprudente expulsão de Lobão do MDB

Marcelo Castro diz que é imprudente expulsão de Lobão do MDB

O senador entende que Lobão tem o direito de participar da gestão de Firmino, já que o MDB votou em peso no atual prefeito e inclusive indicou o vice.

Presidente do diretório regional do MDB no Piauí, o senador Marcelo Castro afirmou, nesta segunda-feira (17), não haver motivos para o vereador de Teresina, Luiz Lobão, ser expulso do partido. O dirigente defende a permanência do colega nos quadros da agremiação.


Leia também: Luiz Lobão garante apoio a Dr. Pessoa e rechaça expulsão 


"Acho uma imprudência, um despropósito, uma atitude desconstrutiva, se abrir um processo sobre um fiel membro do partido, com três mandatos, sem ter cometido nenhuma infidelidade", declarou Castro sobre um possível processo de expulsão a ser discutido pela instância municipal da sigla.


O senador faz a defesa pela permanência do vereador no partido - Foto: Jailson Soares/O Dia

O impasse envolvendo Lobão e o MDB se dá pela relação política que mantém ao prefeito Firmino Filho (PSDB). O vereador chegou inclusive a lançar pré-candidatura majoritária, quando o presidente do diretório emedebista da capital, deputado Themístocles Filho, lançou o ex-deputado Dr. Pessoa como nome do partido para a disputa.

Para o senador, no entanto, não há qualquer indício de infidelidade praticado pelo vereador. “Ele votou no Firmino para prefeito da capital. Ele, eu e todos que obedeceram o comando do partido, pois houve uma coligação com o PSDB, onde o vice era candidato e continua sendo do MDB, então todos nós temos direito, legítimo

17 de fevereiro de 2020

Deputada defende permanência de Enzo Samuel no PCdoB

Deputada defende permanência de Enzo Samuel no PCdoB

A manifestação da deputada busca apaziguar os ânimos dentro do partido

O vereador Enzo Samuel tem o apoio da deputada estadual Elisângela Moura (PCdoB) para permanecer no PCdoB. A manifestação da parlamentar em favor de Enzo acontece de forma tímida, mas suficiente para acalmar os ânimos na sigla.

De volta à Assembleia Legislativa desde a semana passada, Elisângela Moura evita falar abertamente sobre qual seu posicionamento sobre a proximidade do vereador com o prefeito Firmino Filho. Ela prefere dizer que o assunto está sendo tratado pela direção do partido. Contudo, afirma que as opiniões de Enzo Samuel devem ser respeitadas.

“O Enzo é um grande vereador. O partido, tanto a direção municipal como a direção estadual, estará cuidando dessa questão mais de perto. O que tenho observado é o trabalho que ele tem feito. Muitas vezes a gente milita no partido, mas as pessoas têm suas opiniões. Acredito que essas opiniões devem ser respeitadas. É uma decisão do partido e será tomado o melhor caminho para nosso vereador”, disse.

Deputada Elisângela Moura em entrevista a O Dia Tv (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

O presidente do diretório estadual do PCdoB, José Carvalho, por outro lado, é mais incisivo no assunto. Para ele, só é possível chegar a uma decisão sobre permanência do vereador no partido após a convenção municipal. Porém, ele antecipa que seguir o candidato de Firmino e querer permanecer no PCdoB é inconsistente.

“O partido é muito exigente na questão da fidelidade com as ideias e posições políticas. Nesse momento há uma divergência que se resolverá no processo da convenção. Temos plena confiança que o partido está unido nessa posição de seguirmos juntos com o projeto político liderado pelo governador Wellington Dias. É uma questão que se resolverá com o tempo. Não há menor possibilidade de marchar com o prefeito Firmino Filho e ficar no PCdoB”, afirmou. 

Professores protestam na Alepi no dia da entrega da proposta de reajuste

Professores protestam na Alepi no dia da entrega da proposta de reajuste

A mensagem do governador ainda não chegou à Casa e eles pedem diálogo com os parlamentares. Presidente fala em "tramitação normal".

Um grupo de servidores da rede estadual de ensino público protestou em frente à Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) na manhã desta segunda-feira (17), mesmo dia em que o Governo do Estado deve encaminhar à Casa a mensagem contendo a proposta de reajuste salarial para a categoria. Em greve desde a semana passada, os trabalhadores discordam do percentual de reajuste oferecido pelo Governo, cerca de 4,17%.

A proposta será levada pelo secretário de Educação, Ellen Gera, e pelo secretário de Governo, Osmar Júnior. Sobre as reivindicações da categoria, o governo já descartou qualquer possibilidade de alterar o valor proposto, entendendo que ele supera o estabelecido pelo piso nacional. Na última sexta-feira (14), representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Estado (Sinte-PI) se reuniram com membros do Legislativo para discutir a proposta.


Foto: Breno Cavalcante/O Dia

Participante do encontro, a deputada Teresa Britto (PV) explicou que os 4,17% concedidos de reajuste pelo Estado “representa quase nada o valor que se está pleiteando”. Segundo ela, o Governo está incluindo a gratificação de regência de classe para complementar o piso nacional, por isso o valor concedido está acima do piso. “Na verdade, a regência pode até ser incluída, mas não somada ao salário para que possa complementar o piso nacional e dizer que o que se está oferecendo está acima do que a lei prevê”, explicou a parlamentar.

Até o final da manhã, a mensagem do Executivo com o reajuste salarial ainda não havia sido enviada ao Parlamento. Representantes da oposição já disseram que vão convocar uma audiência pública para a próxima semana para discutir diretamente com as classes o que for proposto.

Quanto à tramitação do projeto na Casa, o presidente da Alepi, deputado Themístocles Filho (MDB) garantiu que ela ocorrerá dentro da normalidade e que a Assembleia está aberta ao diálogo com os servidores. “Eu acho que nunca o Parlamento se negou ao diálogo e não vai ser diferente agora, mas o projeto vai tramitar como todas as matérias de interesse público”, disse Themístocles.

Dias cobra postura de secretários durante período eleitoral

Dias cobra postura de secretários durante período eleitoral

A ideia é evitar que a disputa interfira nas atividades realizadas pela equipe administrativa do Estado.

O governador Wellington Dias (PT) realizou a primeira reunião com os membros de sua equipe administrativa, direta e indireta. Entre os temas abordados durante o encontro, está o regramento para o processo eleitoral do próximo mês de outubro. A ideia é evitar que a disputa interfira nas atividades realizadas pela equipe administrativa do Estado. 


“Fizemos uma apresentação do regramento relacionado ao ano eleitoral. Há um código de conduta, queremos o cumprimento da lei. Foram feitas as orientações. Agora é todo mundo trabalhar e seguir essas regras”, destacou o chefe do executivo estadual. 

Pelo menos três secretários da equipe de Wellington Dias podem estar na disputa eleitoral em outubro. Os cotados são Fábio Novo (Cultura) e Fábio Abreu (Segurança), que devem disputar a Prefeitura de Parnaíba, e Florentino Neto (Saúde), cotado para a disputa em Parnaíba. 

Para o governo, as mudanças de comando nas pastas, que devem ocorrer no mês de abril, prazo máximo para desincompatibilização, não devem resultar em descontinuidade do trabalho que já vem sendo realizado. 

“Vamos ter que aguardar o mês de abril para ver que realmente vai se afastar parar disputar alguma candidatura nas eleições de 2020. Temos uma equipe muito integrada. Acho que há pessoas bem preparadas nas equipes, que terão total condição de dar continuidade ao trabalho iniciado em cada uma delas”, disse.

Metas 

Durante o encontro desta sexta-feira, o chefe do Executivo piauiense anunciou irá acompanhar e monitorar o desempenho de cada gestão durante todo o ano de 2020, sob a supervisão da Controladoria-Geral do Estado (CGE). Serão mais de quatro mil ações até 2022 nas mais diversas áreas.

“A reunião teve três objetivos: celebramos com cada membro da nossa equipe um termo com as prioridades que serão desenvolvidas em cada área em 2020, 2021 e 2022, ou seja, o secretário assume com o governador esse compromisso de, na gestão, priorizar tais medidas”, afirmou Wellington.

(Natanael Souza)

"Trânsito é o maior ‘gargalo’ da gestão Firmino", diz Flávio Nogueira

O deputado federal fez críticas a política de mobilidade desenvolvida na Capital. Segundo ele, as previsões foram equivocadas.

A fazer uma avaliação da gestão de Firmino Filho à frente da Prefeitura de Teresina, o deputado federal Flávio Nogueira (PDT) afirmou que as questões relacionadas ao trânsito e à mobilidade urbana representam o principal gargalo da atual gestão. Segundo ele, o executivo municipal não realizou o planejamento correto para acompanhar o crescimento da cidade. 

“O maior gargalo é o trânsito, que é o que acontece em toda grande cidade, onde o crescimento é grande. Não houve uma previsão do crescimento de carros e nem da população. Então, foi um erro de planejamento”, disse Nogueira. 


O deputado ainda não definiu qual grupo político vai apoiar na disputa pela prefeitura - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Apesar do posicionamento, o deputado federal também reconhece méritos na gestão tucana à frente do Palácio da Cidade. “É um bom prefeito. Só de você ter as contas em dia, a cidade estar funcionado [...]”, pontuou. 

Prestes a deixar os quadros do PDT para se filiar ao Republicanos, Flávio Nogueira ainda não definiu se irá apoiar o candidato indicado pelo Palácio da Cidade ou se acompanhará sua futura sigla em um projeto de candidatura própria. “Eu ainda tenho que estar me ajustando politicamente. Não tem pressa. Quando começar a campanha vou estar dando a minha opinião”, disse. 

Projeto de reajuste dos salários da educação chega hoje na Assembleia

Projeto de reajuste dos salários da educação chega hoje na Assembleia

Governo e professores travam disputa quanto ao valor a ser reajustado. Deputados vão analisar a proposta.

O governador Wellington Dias (PT) deve encaminhar para a Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), nesta segunda-feira (17), a mensagem com o projeto de lei que estabelece reajuste de 4,17% aos servidores, ativos e inativos, da rede estadual de educação, em greve desde a semana passada por não concordarem com o percentual oferecido pelo Governo.


Leia também: Professores da rede estadual deflagram greve em Teresina


Mesmo diante do impasse com a categoria, o Governo descarta qualquer possibilidade de alterar o valor proposto, por entender que o mesmo supera o estabelecido pelo piso nacional do magistério. “Não quero perder tempo. Quero, como me comprometi com os servidores, encaminhar logo a proposta para o legislativo”, pontuou o governador, que já autorizou o corte de ponto dos grevistas.

Quem fará a entrega serão os secretários de Educação, Ellen Gera, e de Governo, Osmar Jr. Este último também rechaçou a greve de servidores por acreditar que, mesmo o índice do reajuste não sendo o mesmo do adotado pelo Governo Federal, manteve-se um valor acima do piso mesmo diante dos “limites impostos” pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e pela crise financeira do estado. 


O secretário de Educação, Ellen Gera, entregará pessoalmente o projeto aos deputados estaduais - Foto: Elias Fontinele/O Dia

“O diálogo está existindo e nós queremos mantê-lo. Por essa razão, é que nós sempre dizemos que a greve é inapropriada. Ela é o último instrumento que está à disposição da classe trabalhadora. Não pode ser o primeiro”, argumenta o secretário.

Os professores da rede estadual de ensino deflagraram greve, por tempo indeterminado, e cobram a implementação de um reajuste de 12,84 %, nos mesmos moldes do Governo Federal, somado ao percentual de 4,17% referente ao ano passado. 

16 de fevereiro de 2020

Piauí já economizou mais de R$ 21 milhões com parcerias público-privadas

Piauí já economizou mais de R$ 21 milhões com parcerias público-privadas

O valor é referente aos cinco contratos já assinados e em funcionamento

As parcerias público-privadas (PPPs) se tornaram uma das principais apostas do Governo do Piauí para melhorar a infraestrutura do estado e tornar mais eficiente a prestação de serviço à população. Além disso, o modelo de gestão também proporciona um uso racional dos recursos públicos.

“Até agora, em fevereiro de 2020, conseguimos economizar mais de R$ 21 milhões com as parcerias já em funcionamento”, afirma Viviane Moura, superintendente de Parcerias e Concessões (SUPARC) ao Jornal O Dia. Para este ano, a estimativa é ampliar a carteira de projetos do Estado.

Viviane Moura, superintendente de Parcerias e Concessões (Foto: ODia)

Ao todo, o Piauí conta hoje com cinco projetos de PPPs já contratados: Central de abastecimento, Ginásio Verdão, Piauí Conectado, Saneamento THE e Terminais Rodoviários. “Esse ano vamos contratar pelo menos mais cinco projetos, então com esses novos contratos iremos gerar mais economia”, disse Moura. 

Por fim, a superintendente da SUPARC ainda explica que a expansão deste modelo de parceria com a iniciativa privada, possibilita investimentos públicos em outras áreas. “A medida que vamos retirando da responsabilidade do Governo a gestão de ativos que só dão prejuízo, diminuímos despesas, então essa receita pode ser utilizada para outros setores”, argumenta. 

Além dos projetos já contratados e dos que estão com edital de licitação aberto, o órgão tem outros cinco com estudo de viabilidade concluído, que devem ser divulgados até abril. No total, a carteira de projetos conta com mais de vinte PPPs que podem ser instaladas no Piauí.


15 de fevereiro de 2020

PT deve ratificar decisão contrária a filiação Marcos Monteiro

PT deve ratificar decisão contrária a filiação Marcos Monteiro

Assis Carvalho, afirmou que não deve interferir nas decisões tomadas pelo partido em Teresina.

O imbróglio envolvendo uma eventual filiação do suplente de vereador da capital, Marcos Monteiro, ao Partido dos Trabalhadores (PT) deve ser resolvida pelo diretório estadual da sigla, que no entanto, garante não interferir nas decisões tomadas a nível de município, de barrar o acerto.

Apesar de ressaltar o apreço pela família do ex-deputado estadual Fernando Monteiro, falecido no final do ano passado, o presidente estadual do PT, Assis Carvalho, afirmou que não deve interferir nas decisões tomadas pelo partido em Teresina.


 “Ainda não recebi nada, mas recebendo vamos avaliar a proposição, no entanto, nossa posição é orientar sempre o respeito à instância municipal”.

Além disso, o mandatário ainda mencionou situações semelhantes em outras localidades do estado, como Alegrete, Francisco Santos, Ipiranga e Uruçuí, em que terá o mesmo posicionamento. “Assumi o compromisso de mediar isso em vários municípios, para que não haja conflito. Assim como em Teresina, vamos respeitar a decisão do diretório municipal. Nem em todos os municípios poderemos resolver os impasses”, avaliou Assis Carvalho.

Governador aprova

Apesar de desagradar os correligionários teresinenses, uma provável chegada de Marcos Monteiro ao PT é vista com bons olhos pelo governador Wellington Dias, que destacou a aliança com a família em outras oportunidades. “O partido é quem toma essa decisão, mas da minha parte digo que sim (..) o saudoso deputado Fernando Monteiro trabalhou com vários líderes na última eleição, e minha avaliação é que essa afinidade ajuda a fortalecer o partido”, finalizou.

14 de fevereiro de 2020

Walter Rei das Motos anuncia saída do PSL: “Iria servir de laranja”

Walter Rei das Motos anuncia saída do PSL: “Iria servir de laranja”

Walter deixou o PSL após sentir que não teria apoio da sigla

O empresário Walter Rei das Motos anunciou nesta sexta-feira (14) a retirada de sua pré-candidatura a prefeito de Teresina e a saída do PSL. O fim da relação foi motivado pelas articulações da direção do partido para apoiar o candidato indicado pelo prefeito Firmino Filho (PSBD)

“A relação não está estremecida, está acabada mesmo. Comuniquei o presidente do partido ontem a noite que estava saindo do partido e que minha pré-candidatura está totalmente fora dos planos do partido”, afirmou.

Walter explicou que no início a relação com a direção do PSL era tranquila e todos os membros trabalhavam para fortalecer sua pré-candidatura e dos pré-candidatos a vereador. Contudo, com o passar do tempo, percebeu que serviria apenas de laranja porque o partido não estava engajado na candidatura própria.

“Estávamos trabalhando homogeneamente, em conjunto, para fortalecer as pré-candidaturas. A partir do momento que o presidente do diretório estadual passou a trazer gente de dentro do PSDB para dentro da base do PSL, nos deixou sem segurança”, pontou.

Walter deixou o PSL após sentir que não teria apoio da sigla (Foto: Elias Fontinele / O Dia)

Segundo Walter, o vereador Luis André, presidente do diretório estadual, realizou recentemente várias reuniões com o prefeito Firmino Filho para articular o apoio da sigla para a pré-candidatura tucana.

“Os pré-candidatos que são da base do Firmino, como o Ricardo Bandeira, Teresinha Medeiros, Daniel do Asfalto, Nilson Cavalcante e outras pessoas, foram trazidos para o PSL. Ficava uma coisa insustentável, porque essas pessoas não iam trabalhar para fortalecer meu nome. Eu ia servir de laranja”, disse.

Com a pré-candidatura descarta pelo PSL, o empresário revelou que vai trabalhar agora para levar pré-candidatos a vereador que estavam no PSL para outros partidos. 

CCJ aprova proposta que proíbe vendas de veículo a gasolina

CCJ aprova proposta que proíbe vendas de veículo a gasolina

A previsão é que, a partir de 2040, qualquer transporte de tração automotora por motor a combustão deixe de circular no país.

Veículos novos movidos a combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, poderão deixar de ser comercializados no Brasil a partir de 2030, é o que estabelece a proposta de Ciro Nogueira (Progressistas), aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.


Leia também: Piauí tem a gasolina mais cara do Nordeste 


A matéria, que agora será debatida pela Comissão de Meio Ambiente (CMA), prevê a instituição de uma política desses automóveis por veículos movidos a biocombustíveis ou elétricos, que continuam liberados. A previsão é que, a partir de 2040, qualquer transporte de tração automotora por motor a combustão deixe de circular no país, com exceção de veículos oficiais, de estrangeiros ou de colecionadores.


A proposta aprovada na CCJ é de autoria do senador piauiense Ciro Nogueira (PROGRESSISTAS) - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Segundo Ciro Nogueira, esses tipos de veículos são responsáveis por emitir altas taxas de dióxido de carbono na atmosfera, gás proveniente da queima de combustíveis fósseis e importante agente causador do efeito estufa, que leva ao aquecimento global. Para ele, é fundamental discutir a mudança da matriz energética do país.

“Essa é uma tendência de vários países. A Alemanha, por exemplo, fez foi reduzir esse prazo. Isso vai acontecer no mundo todo e no Brasil precisa iniciar essa discussão, porque não envolve em si a produção de carros apenas, mas a matriz energética e a rede de abastecimento, então precisamos de um plano a médio e longo prazos para isso”, explica o parlamentar piauiense.

O relator do projeto na CCJ, senador Fabiano Contarato (Rede-ES), ao dar seu parecer favorável ao texto, observou que a Constituição Federal prevê a reorientação do mercado de uma cadeia produtiva insustentável, uma vez que a ordem econômica tem como princípio, entre outros, a defesa do meio ambiente.

Ministério da Educação veta abertura de sete cursos de Direito no País

Ministério da Educação veta abertura de sete cursos de Direito no País

Para o presidente da OAB-PI, Celso Barros Neto, a decisão contribui para garantir a qualidade do ensino na área

O Ministério da Educação (MEC) vetou a abertura de sete cursos de Direito que haviam sido solicitados por Instituições de Educação Superior. Dois dos sete cursos seriam implantados no Piauí, sendo um na capital e outro em Parnaíba, litoral do Estado.

A decisão ocorreu em virtude de um parecer técnico por parte do MEC, após a realização de relatórios produzidos pela Comissão Especial de Direito à Educação da OAB Nacional e, no âmbito estadual, pela Comissão de Educação Jurídica da OAB Piauí, que já vem realizando esse trabalho há alguns meses.

Os relatórios foram criados após visitas por parte da Comissão da OAB Piauí às instituições de ensino que demonstraram interesse na abertura dos novos cursos de Direito. A medida teve o intuito de entender a viabilidade dos cursos no Estado.

O presidente da Comissão Especial de Direito à Educação da OAB Nacional, Thiago Carcará, ressaltou que a decisão do Ministério foi positiva. “É preocupante o elevado número de cursos de Direito pelo País sem parâmetros adequados para seus funcionamentos. O Instrumento de Avaliação dos Cursos utilizado pelo MEC, bem como seus diversos normativos, indicam que uma boa organização didático-pedagógica pode contribuir para o alcance de bons resultados”, frisa.

De acordo com os dados do MEC, OAB e Inep são 1.722 cursos de Direito no Brasil, autorizados pelo Ministério da Educação. O país conta com 1.177.389 advogadas e advogados inscritos na OAB. Apenas no Piauí, existem 34 cursos de Direito, sendo ofertadas 4.696 vagas anuais.

Thiago Carcará destaca ainda que esse número revela que o Brasil tem sete vezes mais cursos de Direito que os EUA, por exemplo. “Nos últimos 10 anos, o número de advogados dobrou, enquanto lá, o aumento foi de apenas 15%. É necessário que essas medidas sejam tomadas a fim de garantir que o profissional que exerce a advocacia chegue ao mercado de trabalho totalmente capacitado para atender os cidadãos”, pontua.

O presidente da OAB Piauí, Celso Barros Coelho Neto, reforça ainda a importância do Exame de Ordem, que representa uma aferição de qualidade dos bacharéis de Direito. “Precisamos levar em consideração o ensino qualitativo e não o quantitativo de cursos. Nossa intenção, enquanto Sistema OAB, é prezar pela qualidade dos cursos jurídicos, sobretudo na formação de profissionais preparados para bem defender o Estado Democrático de Direito e os seus constituintes”, destacou.

PSDB tenta manter presidente da Câmara Municipal no partido

PSDB tenta manter presidente da Câmara Municipal no partido

Com o movimento, os tucanos tentam desestabilizar a base de apoio que compõe o grupo comandado por Themístocles Filho.

Com planos de montar uma chapa proporcional forte e competitiva, o PSDB empreende esforços para manter o presidente da Câmara Municipal de Teresina (CMT), vereador Jeová Alencar, em seus quadros. Jeová já tem filiação acertada ao MDB, partido de oposição ao prefeito Firmino Filho (PSDB).


Leia também: Jeová nega dificuldades para formar chapa proporcional do MDB 


Apontado como provável nome do PSDB para disputar a Prefeitura de Teresina, Charles da Silveira esteve reunido com Jeová nesta quinta-feira (13). Embora negue qualquer conversa de cunho político com o amigo, ressaltou a importância do partido trabalhar pela manutenção de suas lideranças.

“Obviamente que nenhum partido quer perder um vereador, ainda mais sendo presidente da Câmara, então as conversas existem sempre. Agora isso depende da vontade do parlamentar (...) trabalhamos sempre para não perder nenhum filiado e nenhum parlamentar. Isso é um processo natural, mesmo sabendo das posições do Jeová. Se ele ficar, ótimo, é melhor para o partido”, declarou Silveira.


Charles Silveira, um dos articuladores tucanos, afirmou que ninguém quer perder filiados - Foto: O Dia

Jeová se distanciou do ninho tucano e rompeu politicamente com Firmino, quando do episódio da sua reeleição na presidência do legislativo municipal. Embora o relacionamento tenha ficado estremecido, o vereador Edson Melo, presidente do diretório tucano na capital piauiense, garantiu que nunca foi cogitado a expulsão do presidente da Câmara.

“Ele sempre teve um bom relacionamento com o PSDB. Apesar de um certo distanciamento, sempre manteve contato e um diálogo. Agora a decisão cabe a ele, que já tem um certo envolvimento com o MDB”, disse Edson Melo, que articula a montagem da chapa proporcional da sigla, inclusive com a adesão de vereadores de mandato por outras agremiações.

13 de fevereiro de 2020

Além das comissões, PT admite interesse pela presidência da Alepi

Além das comissões, PT admite interesse pela presidência da Alepi

"Necessariamente ainda não tratamos se o partido terá um candidato a presidente ou não, mas temos interesse de estar discutindo a direção da Assembleia", disse o deputado Francisco Limma.

Os colegiados técnicos da Assembléia Legislativa do Piauí (Alepi) deverão passar por uma série de reformulações, tanto na composição como em seus comandos. Com a maior bancada da Casa em 2020, o Partido dos Trabalhadores (PT) não esconde o desejo de presidir comissões importantes, como a de Constituição e Justiça (CCJ). 

“Há os critérios. O PT está entre as maiores bancadas, então devemos dirigir algumas comissões e, claro, que no entendimento com outros partidos da base, creio que essa definição acontecerá depois do carnaval (...) por enquanto é só conversação, formação de blocos, ver qual o número de vagas destinado a cada partido ou bloco”, disse o deputado Francisco Limma.


O deputado estadual Francisco Limma informa que a sigla quer debater o assunto - Foto: Elias Fontinele/O Dia

Além das discussões em torno da nova formatação das comissões, o PT também admite intenção de participar das tratativas quanto à composição da nova mesa diretora da Alepi, processo que deve ocorrer no final de 2020.

“Temos interesse em fazer esse debate. Necessariamente ainda não tratamos se o partido terá um candidato a presidente ou não, mas temos interesse de estar discutindo a direção da Assembleia. Claro que ninguém se elege só, dependemos da articulação com outros partidos”, finalizou o petista.

Em Brasília, Rafael Fonteles acerta agenda de reformas

Em Brasília, Rafael Fonteles acerta agenda de reformas

No entendimento dos representantes estaduais, a reunião foi bastante produtiva por abrir um canal efetivo de diálogo com a União.

O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal (ComSefaz) se reuniu nesta quarta-feira com o ministro Paulo Guedes (Economia) para discutir uma agenda conjunta para a Reforma Tributária e apresentar propostas dos Estados para o Pacto Federativo, que prevê a descentralização de recursos para os entes federativos. 


Leia também: "Estados não podem baixar ICMS e fechar escolas", diz Rafael Fonteles 


O encontro ocorreu no Ministério da Economia, em Brasília, na 322ª Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Política Fazendária, que é presidido pelo ministro. Também participaram o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto; o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues Jr., e o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida.

O presidente do Comsefaz, Rafael Fonteles, secretário de Fazenda do Piauí, disse ao final da reunião que foi acertada a formação de grupos de trabalho, para discutir a junção das pautas do Governo e dos Estados às propostas de Reforma Tributária em tramitação na Câmara e no Senado. 


Secretários de Fazenda se reuniram com o ministro da Economia e debateram tributação - Foto: Reprodução

Os grupos de trabalho serão compostos por secretários de Fazenda e técnicos do Ministério da Economia e se reunirão periodicamente. Ficou ainda acertada reunião mensal com o ministro para discutir as reformas, e articulação com o Congresso para fazer as reformas andarem, juntamente com as PECs do Plano Mais Brasil, que inclui a reformulação do Pacto Federativo. 

A ideia é que as agendas da Reforma Tributária e do Pacto Federativo andem juntas, porque envolvem mudanças que podem se complementar, como a compensação para os Estados que terão perdas. Sobre a Reforma Tributária, Rafael adiantou que os secretários defenderam para o ministro Guedes juntar todos os impostos sobre consumo – ICMS, PIS, ISS, Cofins e IOF – em um único tributo, como prevê a PEC 45/2019, que extingue os impostos sobre consumo e cria o IBS (Imposto sobre Bens e Serviço). 

“A junção de todos os impostos sobre consumo é, a nosso ver, a forma mais eficaz de simplificar e padronizar o sistema tributário brasileiro e, assim, destravar investimentos que estão parados muito em decorrência do caos e da complexidade que é o modelo de tributação do país”, observou. Segundo ele, o ministro Paulo Guedes não colocou objeção à junção dos impostos federais com estaduais e municipais. 

Rafael considerou a reunião muito produtiva. “Foi extremamente positiva, e abre um canal efetivo de diálogo dos Estados com a União no tocante à agenda das reformas”, observ

PL descarta Mainha na coordenação de campanha de Fábio Abreu

PL descarta Mainha na coordenação de campanha de Fábio Abreu

O presidente municipal do partido diz que a coordenação política da pré-campanha será do próprio Fábio Abreu

Apesar de se filiar ao Partido Liberal e assumir a presidência da sigla, o ex-deputado Mainha não deve atuar na coordenação de campanha de Fábio Abreu à Prefeitura de Teresina. A informação foi confirmada pelo presidente do diretório municipal da sigla, deputado Carlos Augusto, que diz que caberá ao próprio Fábio Abreu fazer coordenar politicamente o processo. 


Leia também: Fábio Abreu acredita em ‘ascensão’ após oficializar pré-candidatura 


“Nós decidimos que a coordenação política da campanha do Fábio Abreu será feita pelo próprio Fábio Abreu. Percebermos, nitidamente, que os candidatos a vereador e os partidos querem um compromisso mais vinculado ao candidato [majoritário]”, declarou Carlos Augusto. 


Carlos Augusto entende que as lideranças querem um contato mais próximo com Abreu - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Nos últimos dias, Mainha confirmou que irá se filiar aos quadros do PL, após uma articulação junto à direção nacional da sigla. A decisão já foi comunicada ao senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, sigla que Mainha estava filiado nos últimos anos. 

Ao confirmar a mudança partidária, Mainha chegou a levantar a possibilidade de coordenar a campanha de Fábio Abreu a Prefeitura de Teresina.