Wellington desembarca em Teresina e reassume o Governo do Estado

O governador testou positivo para COVID-19 na Escócia, onde participava COP26, e esteve em quarentena desde então. Foram 15 dias afastados do governo

21/11/2021 13:21h - Atualizado em 21/11/2021 14:30h

Compartilhar no

O governador Wellington Dias desembarcou em Teresina, na manhã deste domingo (21), e encerrou o período de quinze dias de afastamento do Governo do estado. O governador testou positivo para COVID-19 na Escócia, onde participava da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26) , e esteve em quarentena desde então . Logo após desembarcar Wellington reassumiu o governo do estado, que estava provisoriamente com a vice-governador Regina Sousa.

O governador lembrou os momentos difíceis vividos durante o seu período de isolamento e agradeceu as manifestações de apoio que recebeu durante o período.

“Graças a Deus com saúde, foi um momento realmente delicado, superamos. Fiz uma bateria de exame ainda na Escócia, que permitiu a liberação para viajar, passar pela Alemanha, por exemplo, que tem uma série de exigência. Agradecer aqui o carinho das pessoas, que nesse período me confortavam com mensagens, com orações e sei o quanto isso foi importante neste momento em que eu estava lá isolado, sempre com muita saudade”, disse o governador.

Wellington agradeceu também a vice-governadora Regina Sousa que conduziu o governo estadual nos últimos quinze dias.

“Sou grato a ela, que Deus continue abençoando a professora Regina e também a toda equipe. Só tenho a agradecer, primeiro à nossa querida governadora Regina Sousa, que aqui trabalhou de forma competente e organizada neste período, dando seguimento a um conjunto de agendas de trabalho que a gente tinha aqui.  Volto com muita saudade, mas com muita energia para seguir trabalhando pelo Piauí", finalizou Wellington Dias.

FOTO: CCOM/Divulgação

Trabalho duro na volta

Se no âmbito administrativo Wellington não deve encontrar muitas dificuldades pelo cenário de estabilidade econômica que passa o Estado, na seara política o governador deve encontrar dificuldades. Com a quase certa ida de Bolsonaro para o PL, Wellington terá problemas para acomodar os aliados que hoje estão na sigla, Fábio Abreu e outros membros do partido não devem ficar ao lado de Bolsonaro no Piauí e  acompanharão Wellington. A formação da chapa majoritária também é outro problema para o governador. PSD e MDB andaram trocando farpas e disputam a cadeira de vice-governador ao lado de Rafael Fonteles. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário