"Violência que assusta": Leia o editorial de hoje do Jornal O Dia

Não bastasse a onda de assaltos, roubos, arrombamentos e furtos em Teresina, o número de mortes por violência urbana nos finais de semana e feriados é assutador.

27/07/2009 09:01h

Compartilhar no
Não bastasse a onda de assaltos, roubos, arrombamentos e furtos em Teresina, o número de mortes por violência urbana nos finais de semana e feriados é assutador. Apesar de todo um trabalho preventivo da Polícia Militar do Piauí, diariamente são registrados nos Distritos Policiais da capital casos de assassinatos, sem falar dos assaltos e roubos seguidos de latrocínio. Em cada final de semana, essas estatísticas aumentam.

Até o fechamento dessa edição de O DIA, no Instituto de Medicina Legal, seis corpos de pessoas mortas davam entrada em menos de 24 horas. A causa: afogamento, assassinato e acidentes de trânsito. Um final de semana tido como violento por conta do número de mortes.

Uma das vítimas, por exemplo, um trabalhador da construção civil, de apenas 23 anos, foi assassinado na Vila Coronel Carlos Falcão, na zona Sudeste de Teresina, ao ser alvejado com disparos de arma de fogo, tiro que perfurou o seu coração e pulmão. O registro do óbito exemplifica como anda a violência urbana em Teresina. Já outro, um lavrador, morreu vítima de acidente de trânsito, assim como mais duas pessoas que deram entrada, também, no Instituto de Medicina Legal tiveram a mesma causa.

E sobre trânsito, as estatísticas de acidentes com vítimas fatais aumentam consideravelmente a cada final de semana e feriados prolongados, e neste período de férias os acidentes têm ocorrido com mais intensidade, registro feito por O DIA em editorial da edição de domingo no qual mostrou estatística estarrecedora de mortes no trânsito neste período de férias nas rodoviais federais que cortam o nosso Estado.

A questão da violência urbana esbarra em vários indicadores como causas. Uma delas, segundo os especialistas no assunto, é o próprio espaço urbano, pois nas periferias das cidades, sejam grandes, médias ou pequenas, nas quais a presença do Poder Público é fraca, o crime consegue instalar-se mais facilmente. São os chamados espaços segregados, áreas urbanas em que a infraestrutura é precária ou insuficiente, e não há oferta de postos de trabalho.

Em Teresina, isso é fácil de ser comprovado nas vilas e favelas da cidade. Infelizmente, num país em que a desigualdade social é uma das maiores do mundo - no qual milhões de brasileiros são vítimas da fome e apenas milhares de famílias de ricaços ostentam o luxo, a violência urbana encontra o seu caldo de cultura.

O resultado de tudo isso são finais de semanas violentos, com mortes de todo o tipo, como os óbitos ocorridos ontem.
Compartilhar no
Fonte: Jornal O Dia
Edição: Portal O Dia
Por: Portal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário

Tags: