Trio é preso após desembarcar no Aeroporto de Teresina com droga colada ao corpo

Com fita crepe, eles colaram 11 kg de cocaína às pernas

25/11/2012 09:47h

Compartilhar no

Três homens foram presos por volta das 23 horas deste sábado (24), após desembarcar no Aeroporto de Teresina com 11 kg de cocaína colados ao corpo com fita crepe. Segundo o delegado Willame Costa, da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DPRE), eles vieram de Brasília, em um voo da TAM, tendo embarcado no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek.

Dos presos, dois residem em Teresina - Alan da Silva Agnew, no Grande Dirceu, zona Sudeste, e Marco Antônio Cruz Santos, no bairro Bela Vista, zona Sul. Eles são naturais, respectivamente, de Timon (MA) e Campo Maior (PI). O terceiro, Fabrício Heverton da Silva, reside em Cuiabá (MT), mas nasceu em Maringá (PR). Um deles, segundo o delegado Willame, disse ter recebido R$ 1.000 para transportar a droga.

De acordo com o delegado, a Polícia Civil recebeu informações sigilosas e montou a operação com o suporte da Polícia Militar. Os acusados foram abordados pela polícia nas proximidades do Aeroporto, logo após o desembarque.

Willame demonstrou surpresa com o fato de o trio ter conseguido driblar a fiscalização nos aeroportos por onde passou. "O que é de surpreender é que eles vieram em voo comercial, passaram pelo Aeroporto JK, em Brasília, que não é qualquer aeroporto, mas um dos maiores da América Latina, e depois pelo Aeroporto de Teresina, sem que tivessem qualquer problema. Nos aeroportos, há delegacias da Polícia Federal. Mesmo sabendo que vai ser fiscalizado, fizeram isso. São ousados", ressaltou.

O delegado disse, ainda, que a droga seria revendida em Teresina, mas a polícia ainda irá apurar como funciona a organização criminosa. "Não sabemos quem são os receptadores, onde eles atuam, se os presos têm antecedentes criminais. São informações que vamos levantar agora, com o inquérito", explicou.

Ele prefere não revelar o local onde o trio se encontra detido, por questões de segurança. A polícia tem 30 dias, prazo prorrogável por mais 30, para concluir o inquérito. Os acusados responderão pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa. Um deles, Marco Antônio, apresentou RG com dados falsos e, portanto, é acusado também de usar documento falso.

Confira vídeos produzidos pela Polícia Civil logo após as prisões:

Compartilhar no
Por: Juliana Dias

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário

Tags: cocaína,