TJ-PI julga expulsão do Capitão Alisson Watson nessa segunda-feira (04)

O julgamento do caso é o quarto item da pauta da sessão, marcada para iniciar às 9h

03/02/2019 18:34h

Compartilhar no

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) vai julgar na manhã dessa segunda- feira (04) o pedido de expulsão do Capitão Alisson Watson da Silva Nascimento dos quadros da Polícia Militar do Piauí.  Ele é acusado de assassinar e ocultar o corpo da então namorada, a estudante de Direito Camilla Abreu. O crime aconteceu em outubro de 2017, mas até o momento, um ano e quatro meses após o crime,  Alisson Watson continua recebendo o salário de oficial da PM, de cerca de R$ 10 mil.

O relator do processo no Tribunal de Justiça é o desembargador José Francisco do Nascimento, que pautou na sessão plenária dessa segunda a representação pela perda do posto e patente do réu, que foi requerida pelo Governo do Estado, através de sua Procuradoria.  O julgamento do caso Alisson Watson é o quarto item da pauta da sessão, marcada para iniciar às 9h.  

A Corregedoria da Polícia Militar, a Procuradoria-Geral do Estado, e o Governador Wellington Dias já deram favorável à expulsão, mas, de acordo com a Constituição Federal, apenas o Tribunal de Justiça e tribunais militares permanentes podem declarar a perda de posto e patente de oficiais.

Capitão Alisson Watson, réu confesso do assassinato de Camilla Abreu (Foto: Reprodução/Facebook)

O Caso

O corpo da estudante de Direito, Camilla Abreu, desaparecida por mais de uma semana, foi encontrado no dia 31 de outubro de 2017, no povoado Mucuim, zona rural de Altos. A perícia confirmou que a jovem foi agredida na cabeça, com um objeto contundente, antes de ser alvejada com um tiro no rosto. O capitão Alisson Watson, réu confesso do crime, foi preso no mesmo dia pela Delegacia de Homicídios. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Natanael Souza

Deixe seu comentário