Sete dias depois, família aguarda resposta sobre denúncia de assassinato

Vítima foi espancado e assassinado com golpe de facão.

07/04/2014 11:04h - Atualizado em 07/04/2014 11:11h

Compartilhar no

Mais de sete dias depois da morte de Raimundo Nonato Feitosa, a família da vítima ainda espera por alguma iniciativa da polícia em relação ao caso. Ele foi espancado e assassinado com golpe de facão, na artéria que passa no interior da coxa e vai até o coração, em São Francisco do Maranhão (MA). A família alega também que houve negligência médica, já que Raimundo Nonato teve de esperar cerca de 30 minutos para ser atendido.

A irmã de Nonato, Domingas Maria, conta que no dia 30 de março foi à delegacia registrar o Boletim de Ocorrência. “Chegando lá não tinha delegado, mas consegui fazer com um escrivão, que ouviu meu depoimento”, informou. Segundo ela, disseram apenas que o caso seria encaminhado à promotoria.

Entenda o caso: Discussão em bingo beneficente termina em morte

Natural de Palmeirais (PI), um homem identificado como Raimundo Nonato Feitosa Ribeiro de 44 anos foi brutalmente assassinado em São Francisco do Maranhão (MA). O fato teve início quando a vítima estava num bingo beneficente na localidade Tucum, zona rural de São Francisco, no dia 29 de março por volta das 19h.

Raimundo Nonato havia levado umas moças para o bingo, quando outro rapaz agarrou uma das moças por trás. Não gostando da situação, a vítima e um dos envolvidos teriam iniciado uma briga.

Segundo testemunhas, houve alguns empurrões, mas para evitar algo maior, Raimundo teria saído da festa. “Ele disse para alguns conhecidos que já ia embora pra não estragar a festa”, afirmou a irmã da vítima Domingas Maria Feitosa.

Ela conta que, por volta de 19h30min, Raimundo Nonato e as mulheres foram embora. Ao chegarem num determinado trecho da estrada que liga a localidade Tucum à cidade de São Francisco do Maranhão havia um homem na estrada. Pensando que poderia se tratar de alguém pedindo ajuda, Raimundo desceu da moto e foi surpreendido com mais dois homens que saíram do matagal. Lá, esses três homens espancaram Raimundo, que teve a perna quebrada e acabou desmaiando.

Para Domingas Maria, irmã da vítima, esse foi um ato covarde. “Três homens contra apenas um. As meninas que estavam com meu irmão viram tudo. Eles espancaram Raimundo, quebraram a perna dele e depois o arrastaram até a beira da pista.”, frisou Domingas.

Raimundo Nonato foi socorrido ainda com vida e levado para a casa de um amigo, em São Francisco do Maranhão. Lá, mais uma vez foi agredido por pelo menos três homens. Ele levou dois socos e desmaiou novamente. Foi então que levou uma facada na perna esquerda, atingindo a artéria femoral, o que o levou à morte na madrugada do dia 30 de março.

Compartilhar no
Por: Allana Sousa

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário