Seis pessoas são presas em Teresina por envolvimento com explosões de caixas

Prisões foram no Torquato Neto. Com o grupo, a polícia encontrou cordões detonantes de dinamite e pistolas de uso exclusivo das Forças de Segurança

29/05/2017 15:13h - Atualizado em 29/05/2017 15:35h

Compartilhar no

Cinco homens e uma mulher foram presos no começo da tarde de hoje (29) no Residencial Torquato Neto, suspeitos de envolvimento com quadrilhas explosões a caixas eletrônicos em Teresina. Com o grupo, foram encontrados três cordões detonantes de dinamite, além de duas pistolas Ponto 40, de uso exclusivo da polícia, e dois veículos roubados. As informações são do major Newmarcos Pessoa, comandante do RONE, responsável pela operação.

A ação foi deflagrada em conjunto com o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), da Polícia Civil, que já tinha dado início à investigação há pouco mais de uma semana, quando foram apreendidas bananas de dinamite dentro de um carro roubado no bairro Dom Avelar, zona Leste de Teresina.


De acordo com o major Newmarcos Pessoa, comandante do RONE, o grupo preso hoje teria envolvimento com ataques a caixas eletrônicos na Capital (Foto: Arquivo O Dia)

“Há suspeitas de ligação entre as pessoas que foram presas hoje com a pessoa que foi presa na semana passada no Dom Avelar e a investigação ainda se encontra em andamento, ou seja, ainda teremos novas prisões. Inclusive, duas pessoas conseguiram fugi da nossa abordagem no Torquato Neto e estamos em diligências atrás delas”, explica o comandante do RONE.

As seis pessoas presas foram encaminhadas para a sede do GRECO onde estão sendo ouvidas pelo delegado Gustavo Jung, coordenador da ação. Equipes da Polícia Civil e do RONE ainda seguem em campo à procura de outros envolvidos com o grupo criminoso.

Equipamentos

O comandante do RONE explica que os cordões detonadores encontrados em poder dos seis presos na operação do GRECO são usados para acionar as bananas de dinamite à distância. Segundo o major Newmarcos, os criminosos, não teriam porque guardar cordões detonadores em casa se não tivessem como e onde usá-lo. "Ficou claro que esse material estava sendo armazenado com um intuito. O fato de não terem sido encontrados os explosivos não os isenta da acusação de envolvimento com ataques a caixas eletrônicos, já que eles tinham o material usado para acionar os explosivos", afirma o major.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário