• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Quadrilha metralha sede da PM de Castelo e tenta roubar cofre do Bradesco

Grupo usava armas de grosso calibre e disparou dezenas de vezes contra duas viaturas. Roubo não foi concluído o os suspeitos fugiram em direção a Santa Cruz dos Milagres.

19/02/2019 07:48h - Atualizado em 19/02/2019 07:53h

Os moradores de Castelo do Piauí começaram esta terça-feira (19) assustados após a cidade ter sido alvo da ação de bandidos que tentaram fazer um assalto ao Banco Bradesco do município. A ação se deu por volta de 1h15min da madrugada e os criminosos dispararam uma saraivada de tiros contra a sede da Polícia Militar na tentativa de desviar a atenção dos PMs e poder agir livremente dentro da agência.

O alvo da quadrilha era o cofre do banco, segundo informou o comando de policiamento de Castelo. Enquanto uma parte dos criminosos se dirigia à agência, outro grupo abriu fogo contra o GPM da cidade e impediu que os policiais saíssem e abortassem a ação.

“Eles dispararam várias vezes com armas de grosso calibre contra duas de nossas viaturas e pegaram nossos homens de surpresa. Não houve tempo para reação, até porque o poder de fogo deles era grande, mas nós solicitamos e recebemos reforços de equipes vizinhas, que conseguiram dispersá-los e impedir o roubo”, relata o major Etevaldo Silva, comandante do 15º BPM de Castelo.


Na fuga, os criminosos tomaram a direção de São João da Serra e, de lá, tentaram atravessar o rio para a região de Santa Cruz dos Milagres, mas por se tratar de período de cheia, não conseguiram. Então, eles abandonaram seus veículos – uma Fiorino branca e um Fiat Pálio prata – e seguiram com destino ainda desconhecido pela polícia.

Este foi o primeiro ataque a instituição financeira registrado em Castelo do Piauí este ano. Em 2018, segundo o comando da PM da cidade, houve dois ataques. O major Etevaldo explica que a cidade é vulnerável a este tipo de ação por conta de sua localização estratégica. “É região de fronteira com o Ceará e com São Miguel do Tapuio, o que facilita um pouco nas rotas de fuga para outros Estados”, disse.

Com relação aos policiais que estavam no GPM quando houve ataque, eles não sofreram nenhum ferimento, mas as viaturas que usadas na segurança de Castelo do Piauí ficaram praticamente inutilizadas após a ação. A PM segue em diligências na região, contando com o apoio da Força Tática de Campo Maior, do Bope e da Companhia de São Miguel do Tapuio.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário