Policial Civil de Teresina é morto na cidade de Timon

Suspeitos tentaram aplicar golpe no policial. Ele acabou discutindo com os acusados e foi morto.

29/06/2014 14:26h - Atualizado em 29/06/2014 17:53h

Compartilhar no

Última atualização realizada às 17h33

Um policial civil lotado na Delegacia Geral de Teresina foi morto na tarde deste domingo (29), durante uma discussão em um bar localizado próximo à Vila do BEC, na cidade de Timon (MA).

A vítima é o policial José Silvano Alencar de Almeida, irmão do ex-secretário de Fazenda do Piauí Antônio Silvano Alencar. Ele morava na vizinha cidade maranhense, e foi morto com uma facada no pescoço.

De acordo com o policial Antônio Vilela, chefe de plantão da Delegacia Geral de Teresina, José Silvano estava  a caminho da sua chácara, e decidiu parar num bar situado no bairro Joia, onde acabou se envolvendo numa briga com os suspeitos, que teriam tentado aplicar um golpe no policial.

"A informação que nós temos, repassadas pelas testemunhas, é que o Alencar [policial] estava com a esposa, bebendo nesse bar na Vila do BEC, quando foi abordado por dois elementos que lhe ofereceram uma carne. Ele pediu para ver a carne, mas os suspeitos pediram que ele primeiro desse o dinheiro. O Alencar disse que se fosse desse jeito ele não queria comprar carne nenhuma", detalha o chefe de plantão.

Minutos depois, os mesmos homens teriam retornado ao bar para oferecer um cadeado ao policial civil. Sem paciência, José Alencar teria sacado a arma e ordenado que eles fossem embora.

Mesmo com a discussão, o policial continuou bebendo no bar, acompanhado da esposa. Pouco tempo depois, os suspeitos foram ao local novamente, desta vez armados com uma faca, e atingiram Alencar no pescoço.

Ferido, o policial civil disparou na perna de um dos acusados, e foi para o carro com a mulher, para quem entregou a arma. 

Quando o policial se preparava para ligar o veículo e seguir em busca de ajuda, um dos suspeitos conseguiu tomar a arma da mulher e efetuou um disparo contra o veículo de Alencar. O policial chegou a dirigir por cerca de cem metros, mas acabou sucumbido, e o veículo colidiu com um muro.

De acordo com a equipe de investigação do 2º DP de Timon, todos os envolvidos no crime são parentes. O suspeito baleado chama-se José Raimundo Gomes de Sousa, e o outro é Antônio José Gomes de Sousa, que já teria uma rixa antiga com a vítima.

O terceiro envolvido no crime chama-se Francisco de Assis Gomes de Sousa, vulgo Duda. Segundo os investigadores, é ele quem está com a arma do policial civil.

Neste momento, equipes das Polícias Civil e Militar do Maranhão e do Piauí realizam diligências para encontrá-lo.

Antônio José Gomes de Sousa (à esquerda) já teria uma rixa antiga com a vítima; e José Raimundo Gomes de Sousa (à direita) foi baleado na perna pelo policial.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário