Polícia prende suposto pistoleiro contratado por presidiários do Piauí

Serviço de Inteligência afirma que José Maurício Rodrigues Viana, vulgo "Índio", foi contratado para matar três pessoas em Esperantina.

03/04/2014 17:53h - Atualizado em 03/04/2014 20:24h

Compartilhar no

A Polícia Civil do Piauí efetuou, na tarde desta quinta-feira (03/04), a prisão de José Maurício Rodrigues Viana, vulgo “Índio”, acusado de cometer uma série de assaltos em cidades da região Norte do Estado.

A prisão foi realizada a partir de um trabalho conjunto entre o Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e uma equipe de policiais civis da Delegacia de Luzilândia, sob o comando do delegado Maikon Kaestner.

De acordo com o delegado, uma das últimas ações de “Índio” ocorreu  no dia 27 de fevereiro deste ano. O acusado invadiu um comércio da cidade de Luzilândia e efetuou vários disparos com uma arma de fogo, atingindo na nuca uma mulher.

Mas esta não é a única acusação que pesa contra José Maurício Viana. Segundo a polícia, no momento em que foi preso “Índio” estava seguindo de ônibus até a cidade de Esperantina, onde pretendia matar três pessoas e, ainda, efetuar assaltos a estabelecimentos comerciais.


De acordo com o Serviço de Inteligência da Secretaria de Segurança, a ordem para a execução desses crimes partiu de presos de penitenciárias localizadas na região Norte do Estado.

O delegado Maikon Kaestner acrescenta que José Maurício Viana é um elemento altamente perigoso, que já vinha sendo monitorado pela Polícia Civil há pelo menos um mês. "Só aqui em Luzilândia ele quase cometeu dois latrocínios. Num dos assaltos, ele disparou contra a nuca de uma mulher, que por muito pouco não ficou tetraplégica", afirma o delegado Maikon.

José Maurício Rodrigues Viana, vulgo “Índio”, em momentos distintos (Foto: Divulgação Polícia Civil)

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário