VÍDEO: Polícia Federal investiga grupo acusado de 40 assassinatos no litoral piauiense

A Operação Dionísio cumpre oito mandados de busca e apreensão em Parnaíba e em Altos. Criminosos usavam da força e de ameaças para intimidar rivais.

01/07/2021 08:05h - Atualizado em 01/07/2021 12:00h

Compartilhar no

A Polícia Federal deflagrou uma operação na manhã desta quinta-feira (01) para desarticular grupos criminosos que disputavam o território de venda de drogas no litoral piauiense. A ação, batizada de Dionísio II, cumpre oito mandados de busca e apreensão em Parnaíba e em um estabelecimento prisional de Altos, além de outras medidas cautelares expedidas pela 2ª Vara Criminal de Parnaíba. Até o momento, uma pessoa foi presa.

“Foram encontrados indícios de tráfico ilícito de entorpecentes, homicídios, roubos, furtos, porte e comércio ilegal de arma de fogo naquilo que os criminosos denominaram de ‘Projeto Piauí’”, explicou a Polícia Federal em nota. 


Foto: Divulgação/Polícia Federal

As investigações apontaram que criminosos estão relacionados a aproximadamente 40 homicídios ocorridos no litoral do Piauí em meio à disputa pelos pontos de venda de entorpecentes entre facções rivais. Segundo a PF, os acusados usavam a força e ameaças contra quem resistisse em não ceder a seus interesses.

Em entrevista para a imprensa, o delegado da Polícia Federal, Pedro Roberto Meireles, explica que os homicídios ocorridos nortearam a investigação. “Esses homicídios nos deram algumas informações para que nós pudéssemos iniciar a diligência e com base nisso verificar a existência dessa guerra entre os criminosos”, afirma. 

O inquérito continua e a equipe irá analisar os depoimentos e materiais colhidos. Segundo o delegado, o grande objetivo da investigação é tornar a região do litoral piauiense desagradável para os criminosos. 



Para a Operação Dionísio II foram empregados 35 policiais federais, incluindo integrantes do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal do Maranhão, além de apoio das equipes do Canil e da Polícia Militar do Piauí.


Foto: Divulgação/Polícia Federal

A operação foi denominada Dionísio em referência à mitologia grega, cuja entidade divina com esse nome prefigurava o poder de criar drogas poderosas capazes de gerar perigo e caos.

Carlos Alberto Nascimento, chefe da Delegacia da Polícia Federal em Parnaíba, afirma que esses crimes violentos estão gerando insegurança na população e que todas as forças tarefas estão voltadas para essa problemática, que mais do que um problema de segurança, é social.

“Essas organizações criminosas que se autointitulam facções, tem espalhado seus tentáculos por todo o Brasil. Há registros dessas organizações na América Latina e até na Europa. Elas exploram as mazelas sociais, acreditando na vulnerabilidade das instituições. Nosso objetivo principal é mostrar que o estado está atento a esse tipo de ameaça”, conclui o chefe da Delegacia. 

Compartilhar no
Edição: Emelly Alves
Por: Com informações da Polícia Federal

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário