Polícia apura participação de bancários em fraude de financiamento

Uma pessoa foi presa e duas estão foragidas, entre elas um empresário. A quadrilha usava documentos falsos e laranjas para tirar dinheiro dos bancos

14/06/2017 10:29h - Atualizado em 14/06/2017 11:07h

Compartilhar no

Os policiais da 12º DP desarticularam hoje (14) um esquema de fraude em financiamentos de veículos em Teresina. Um homem foi preso e há ainda dois foragidos, entre eles um empresário. O grupo usava nome de pessoas humildes, principalmente do interior do estado, como laranjas. Algumas vítimas já estavam negativadas no SPC e Serasa.

O delegado Ademar Canabrava, titular do 12º DP, explica que o esquema funcionava da seguinte forma: usando os documentos dos laranjas, os acusados conseguiam o financiamento junto aos bancos. O carro era pago, mas o comprador não recebia o veículo, já que sequer sabiam o que era feito em seu nome. Os criminosos, portanto, ficavam com o carro e o dinheiro do financiamento.

A polícia agora vai investigar a participação de gerentes e outros funcionários de bancos, pois acredita que havia facilitação para liberar o financiamento à quadrilha. "Até carro de sucata era financiado. O banco tinha obrigação de fazer uma análise. O crédito era liberado com comprovante de residência falso e contracheque falso", relata Canabrava.

Segundo o delegado, já foram ouvidos alguns funcionários de bancos e, a partir da apreensão feita hoje, outros envolvidos no esquema podem ser descobertos. "Será a pedida a prisão de todos que tiverem participação, seja gerente de banco, seja quem for. A investigação começou há seis meses, mas agora que vamos descobrir mais informações com as apreensões feitas", disse.

Os polícia cumpriu um mandado de prisão contra Paulo Sérgio Pires, que era um intermediário. Ele é acusado de encontrar os laranjas e conseguir os documentos para realização da fraude. Há ainda dois foragidos: o dono da revendedora de carros usados Teresina Veículos, Fábio Pereira de Almeida, e uma segunda pessoa que não teve o nome revelado. 

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na residência de Paulo Sérgio e na loja Teresina Veículos. "Encontramos muitos documentos, DUT de veículos, e dois carros quem estavam em nomes de laranjas foram apreendidos na casa do Paulo Sérgio", disse o delegado.

O empresário foragido iria se apresentar ainda pela manhã na delegacia, mas não o fez. Com isso, o delegado Canabrava decidiu pedir a conversão da prisão preventiva em prisão temporária. 

Ao todo, 14 mandados de prisão foram pedidos, mas ainda não estão liberados, o que significa que uma nova operação pode acontecer nos próximos dias.

Compartilhar no
Por: Andrê Nascimento, com informações de Nayara Felizardo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário