• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Polícia Civil prende acusados de matar mototaxista em Nazária

Entre os presos está um homem identificado como José Nery de Sousa e o outro menor de idade.

24/09/2019 18:03h - Atualizado em 26/09/2019 12:49h

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (24) dois homens acusados de participação na morte do mototaxista José Hilton Pereira Costa, que foi encontrado morto em avançado estado decomposição no último domingo (22), no povoado Campestre, na zona rural do município de Nazária. Entre os presos está um homem identificado como José Nery de Sousa e o outro menor de idade. 

De acordo com o Chefe de Investigação da Delegacia de Polícia Civil de Nazária, Genivaldo Cortês, a vítima foi morta a pauladas depois de reagir ao assalto realizado pelos suspeitos. 


“A investigação começou pelas armas que foram usadas no crime. Os acusados ficam nas estradas do interior esperando a vítima passar para cometer o crime e esse tipo de ação já é conhecida pela polícia. Começamos as investigações e eles confessaram o latrocínio. A motivação foi por uma quantia de R$ 60 a R$ 70. Os suspeitos levaram a vítima para dentro do matagal, lá ele reagiu e o mataram a pauladas. Os dois tentaram ainda levar a moto da vítima, mas não conseguiram”, disse.

Segundo o cabo do Grupamento da Polícia Militar (GPM), Francisco Alves, as investigações começaram ainda na sexta-feira (20) quando os dois suspeitos já haviam sido avistados no povoado Campestre. A polícia então teria tentando capturá-los, mas eles teriam fugido depois de se esconderem em um matagal.

Ainda de acordo com cabo, a prisão dos homens aconteceu na residência de um dos acusados durante a ação conjunta da Polícia Civil de Nazária em parceira com o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

O DHPP informou ao Portal O Dia que os presos fabricavam armas de fogo e que os objetos foram apreendidos pela polícia durante a ação. Eles foram levados à delegacia de homicídios para prestar esclarecimentos.

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário