• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Polícia captura suspeito de comandar estupro coletivo em Castelo

Adão José de Sousa é acusado de, juntamente com quatro menores, estuprar e espancar quatro adolescentes no município.

29/05/2015 19:18h - Atualizado em 29/05/2015 20:57h

A Secretaria de Segurança Pública do Estado confirmou às 19h15 desta sexta-feira (29) a prisão de Adão José de Sousa, 40 anos, acusado de comandar o grupo de quatro menores de idade que estupraram, espancaram e bestializaram quatro adolescentes no município de Castelo do Piauí, distante 190 km de Teresina.

O acusado foi encontrado próximo à cidade de Campo Maior, no início da noite desta sexta. Horas antes, ele foi visto por populares caminhando em uma estrada vicinal localizada no setor oeste do município.

De acordo com a Secretaria de Segurança, o acusado foi preso no momento em que chegava à cidade de Campo Maior, sendo transportado por um mototáxi.  A Polícia o localizou a partir de uma denúncia anônima.

Adão José de Sousa deve ser transferido ainda nesta sexta feira (29) para a Penitenciária Casa de Custódia, localizada em Teresina.

A secretaria informou, ainda, que o acusado será apresentado à sociedade na manhã deste sábado, durante coletiva de imprensa agendada para inciar às 8 horas, na sede do órgão. 

Adão também é suspeito de ter participado, recentemente, do assalto a um posto de combustível de Castelo. 

Pelo crime bárbaro que cometeu na quarta-feira, ele pode ser indiciado pelos crimes de estupro, formação de quadrilha, tentativa de homicídio, tortura e corrupção de menores.

Menores envolvidos podem ficar internados por mais de três anos

O promotor de Justiça designado para acompanhar o caso informou nesta sexta-feira que, por conta da gravidade dos crimes, os quatro menores envolvidos na barbárie podem permanecer internados em unidades de ressocialização por um prazo maior que o previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Em seu artigo 121, parágrafo 3º, o ECA estabelece que "em nenhuma hipótese o período máximo de internação excederá a três anos". Porém, o representante do MP-PI considera que, excepcionalmente, é possível sim que a Justiça prolongue o período de internação, sem que a lei seja infringida.


Leia também:

Adolescentes são sequestradas e violentadas em Castelo do PI 

Vítimas de estupro coletivo têm cortes do rosto e graves ferimentos 

Estupradores estavam alucinados pelo uso de drogas, acredita delegado 

10 mulheres foram vítimas de estupro no Piauí; oito são menores



Protesto

Na tarde desta sexta-feira, centenas de moradores de Castelo do Piauí saíram às ruas para protestar contra a violência e exigir a punição exemplar dos cinco acusados de estuprar as adolescentes.

Boa parte das pessoas vestiam roupas brancas e carregavam cartazes. O ato começou na entrada da cidade, e percorreu diversas ruas e avenidas.

Uma das meninas foi transferida para um hospital particular de Teresina. As outras três permanecem internadas no Hospital de Urgência de Teresina Dr. Zenon Rocha (HUT). Uma delas encontra-se em estado grave, mas estável, num leito de UTI do hospital municipal.


Deixe seu comentário