PF investiga servidores do Ibama e da Sefaz por comércio ilegal de madeira

Com foco na cidade de Parnaíba, litoral do Piauí, os agentes deram cumprimento a 29 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 9 mandados de prisão temporária.

03/04/2019 16:52h

Compartilhar no

A Delegacia de Polícia Federal em Parnaíba deflagrou na manhã desta quarta-feira (3), a Operação Khizi, que desarticulou uma organização criminosa que atuava com o comércio ilegal de madeira nos Estados da Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Piauí e Rio Grande do Norte. Com foco na cidade de Parnaíba, litoral do Piauí, os agentes deram cumprimento a 29 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 9 mandados de prisão temporária.

Segundo informações da PF, a investigação iniciada em 2017 revelou a existência de conluio entre empresários do setor madeireiro, servidores públicos da SEFAZ e do IBAMA, com o objetivo de viabilizar o comércio e transporte interestadual de madeira sem origem comprovada. 

"O transporte e comercialização ilícitos era lastreado em Documentos de Origem Florestal inidôneos, e em notas fiscais produzidas com informações falsas sobre quantidade, espécie e valor da mercadoria. Também foi descortinado esquema de pagamento de propinas a agentes públicos responsáveis pela fiscalização tributária e ambiental, atraindo a incidência dos delitos de organização criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso, inserção de dados falsos em sistemas, corrupção ativa e passiva, prevaricação, facilitação ao descaminho e sonegação de tributos'", informou a Polícia Federal em nota.

A ação de hoje contou com a participação de 125 Policiais Federais de diversas Unidades da Federação. Segundo a PF, os mandados foram cumpridos nos estados do Piauí, Pará, Maranhão e Bahia. Também foi determinada a apreensão de veículos usados para viabilizar o transporte de madeira, indisponibilidade de bens imóveis e bloqueio de ativos financeiros dos principais envolvidos.

O cumprimento dos mandados contou com participação de Analistas do IBAMA e da Corregedoria do 2º Batalhão de Polícia Militar em Parnaíba.

Operação Khizi

O nome da Operação é em alusão ao conjunto arquitetônico situado na ilha de Khizi/Rússia, composto por três edifícios eclesiásticos construídos apenas com encaixe de toras de madeira de pinheiros, sem a necessidade de uso de pregos ou parafusos, eleito como Patrimônio Mundial da Unesco em 1990. 

Contraponto

Sobre a Operação KIZHI, a Secretaria de Fazenda do Piauí informa que três funcionários terceirizados foram identificados e demitidos por suspeita de envolvimento com o crime. Em relação a servidores fazendários envolvidos, a Sefaz já está tomando as providências quanto à abertura de processo administrativo.

A reportagem do O DIA tentou contato com o IBAMA, mas não obteve retorno até a publicação deste material.

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário