PF deflagra operação para coibir crime de pornografia infantil na internet

Segundo delegado, no Piauí foi detectado o envolvimento de uma pessoa, e a Polícia Federal já fez a busca e apreensão do material.

19/08/2014 15:56h - Atualizado em 19/08/2014 17:42h

Compartilhar no

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 19, uma operação nacional para coibir crimes de pornografia infantil pela internet. 

Denominada "Resgate On-Line", a operação envolve o Piauí e mais 14 Estados. Segundo informações do Departamento da Polícia Federal no Piauí, ao todo foram 42 mandados de busca e apreensão expedidos. 

O delegado federal Carlos Alberto Ferreira explicou que a operação foi deflagrada às 6 horas da manhã. “Foram apreendidos materiais como HDs, mídias computacionais que continham fotos e vídeos com pornografia infantil. Esse tipo de ato é considerado crimes, previsto nos artigos 241-A e 241-B do Estatuto da Criança e do  Adolescente”, explicou, acrescentando que os mandados foram expedidos pela Justiça Federal do Estado do Pará. 

O delegado Carlos Alberto Ferreira, da PF (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

O delegado adianta que no Piauí foi detectado o envolvimento de uma pessoa e que a Polícia Federal já fez a busca e apreensão do material. “Esse material está sendo submetido à perícia criminal para emissão de laudo. No entanto, já foi constatado a existência de vídeos e fotos pornográficos com a participação de menores”, frisou. 

A operação, segundo ele, foi de rotina, em um trabalho contínuo de inteligência realizado pela PF. “A Polícia Federal realiza um trabalho rotineiro na internet e redes sociais, com o fim de identificar internautas que tenham realizado o armazenamento ou troca de imagens de crianças e adolescentes com exposição de genitália ou cena de sexo explícito”, pontua. 

Participaram da operação cerca de 230 Policiais Federais, nas cidades de Manaus (AM), Juazeiro (BA), Caridade e Hidrolândia (CE), Taguatinga (DF), São Mateus (ES), Anápolis (GO), Belo Horizonte, Governador Valadares e Guaxupé (MG), Belém (PA), Caldas Brandão (PB), Recife (PE), Teresina (PI), Almirante Tamandaré e Santa Fé (PR), Rio de Janeiro, Conrado e Miguel Pereira (RJ), Porto Alegre (RS), São Paulo, Araçatuba, Bragança Paulista, Campinas, Cunha, Limeira e Paulínia (SP). 

Os responsáveis poderão ser condenados a reclusão de três a seis anos, no caso da transmissão, e de  um a quatro anos em situação de armazenamento. Segundo a Polícia Federal, em nota encaminhada à imprensa, está é a sétima operação realizada este ano para combater a disseminação de pornografia infanto-juvenil com a utilização da  internet. As investigações já resultaram na instauração de 1.528 Inquéritos Policiais somente no ano passado. Pelo menos 100 deles foram Auto de Prisão em Flagrante. Somente este ano, já há 400 Inquéritos Policiais, sendo que 31 por Auto de Prisão em Flagrante, tramitando sobre o assunto. 

Quase 2 mil inquéritos já foram instaurados pela PF desde o ano passado

Segundo a Polícia Federal, em nota encaminhada à imprensa, esta é a sétima operação realizada este ano para combater a disseminação de pornografia infanto-juvenil com a utilização da internet.

As investigações já resultaram na instauração de 1.528 Inquéritos policiais somente no ano passado. Pelo menos 100 deles foram Auto de Prisão em Flagrante. Este ano, já há 400 inquéritos policiais, sendo que 31 por Auto de Prisão em Flagrante, tramitando sobre o assunto. 

Constantemente, no Piauí são divulgados vídeos e imagens de pornografia infantil por meio das redes sociais, mais notadamente por WhatsApp. Após a disseminação das imagens, algumas das vítimas chegaram, inclusive, a cometer suicídio. É o caso da adolescente Júlia Rabeca, de 17 anos, que morava em Parnaíba. Ela teve um vídeo íntimo seu com dois colegas divulgado na internet e chegou a usar seu perfil no Twitter para anunciar que se mataria.

Compartilhar no
Por: Mayara Martins

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário