• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Mulher é presa ao tentar entrar na Custódia com droga na vagina

Saco plástico com droga e frasco de perfume foi introduzido tão profundamente que mulher precisou ser submetida a um raio-X e a uma tomografia para que a presença do material no órgão genital fosse confirmada.

06/08/2019 17:30h - Atualizado em 07/08/2019 07:40h

Uma mulher foi flagrada pela Polícia Civil tentando entrar na Casa de Custódia com uma quantidade de droga inserida dentro da sua vagina.

Ela colocou cerca de 50 gramas de maconha e um pequeno frasco de perfume dentro de uma sacola plástica de supermercado, e introduziu o material em seu órgão genital.

Segundo o delegado Cadena Júnior, o saco foi introduzido tão profundamente que as agentes do sistema penitenciário não conseguiram encontrar o material, mesmo durante a revista íntima.

"Já existia uma investigação, por parte da Depre, em relação à entrada de drogas no presídio. E tivemos informes de que esta já seria a terceira vez que essa mulher estaria entrando com drogas no presídio. Mesmo após a revista íntima, feita pelas agentes, ela conseguiu esconder essa droga. Ela introduziu bem profundamente na sua vagina, quase no útero. O que aconteceu é que, diante das informações, fomos lá verificar. Ela entrou no presídio, não foi encontrado nada, mas os policiais a levaram para o HUT. Lá uma equipe médica fez um raio-X e verificou que havia um pequeno vidro de perfume. Em seguida, realizaram uma tomografia, para ter a certeza de que, realmente, havia drogas. Só aí a gente teria as condições de fazer a prisão em flagrante. E na tomografia realmente acusou que havia substâncias que aparentavam ser maconha", detalha Cadena.

Segundo o delegado, pela dificuldade de entrar com drogas na unidade penal, o material ilícito costuma ser vendido pelo dobro do preço que é comercializado habitualmente.

"É uma quantidade razoável, porque essa maconha seria vendida lá [na Casa de Custódia] pelo dobro do preço que é vendida na rua. Ela disse que comprou por R$ 250 esses 50 gramas de maconha. Com certeza, o indivíduo que ia receber essa droga ia pegar uma parte pra ele utilizar, e o restante iria vender pelo dobro do preço. Então, de R$ 250 passaria a R$ 500, ou seja, um lucro de 100%", estima o delegado.

A Polícia Civil já identificou o preso que receberia a visita íntima da mulher que levava as drogas consigo. E agora os investigadores tentarão descobrir quem teria aliciado a mulher para levar o produto para dentro do presídio.

Por: Cícero Portela e Francisco Filho

Deixe seu comentário