Mortes em rodovias do Piauí aumentaram 52% no 1º semestre de 2017

Segundo balanço divulgado pela PRF ao Portal O Dia, de janeiro a julho deste ano, foram registradas 139 mortes em rodovias federais no Piauí.

27/07/2017 16:19h - Atualizado em 27/07/2017 16:38h

Compartilhar no

De acordo com balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal ao Portal O Dia na tarde desta quinta-feira (27), de 1 de janeiro a 27 de julho deste ano, já foram registradas 139 mortes por acidentes em rodovias federais no Piauí. Os números são preocupantes, pois, no mesmo período de 2016, foram registradas 91 mortes, representando um aumento de 52% no número de vítimas fatais em acidentes em rodovias federais no estado.

Apesar da quantidade de acidentes ter diminuído, sendo registrados 854 em 2017 e 892 em 2016, o número de ocorrências com mortos apresentou um aumento considerável, passando de 83 em 2016, para 96 este ano. Somente no mês de julho de 2017, já foram registradas 14 mortes por acidentes nas vias federais, com três vítimas fatais somente na manhã de hoje (27). Dos 109 acidentes registrados este mês, 64 ocorrências deixaram 116 pessoas feridas. 

Acidente com picape vitimou fatalmente uma pessoa próximo à cidade de São João do Piauí na manhã de hoje (27). (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Segundo o inspetor da PRF, Jonas Mata, a quantidade de acidentes com mortes pode ser explicado pelo aumento no número de veículos circulando nessas rodovias. O inspetor destaca que o condutor é o principal causador de acidentes automobilísticos. “O condutor é infelizmente o maior causador de acidentes, seja por imperícia, negligência ou imprudência. A facilidade de acesso a determinados tipos de veículo é imensamente desproporcional à quantidade de pessoas habilitadas para conduzir automóveis ou motos”, explica o inspetor Jonas Mata.

Acidente em Redenção do Gurgueia deixou 10 mortos e 18 feridos no dia 17 de junho deste ano. (Foto: Divulgação/PRF)

BR-135

A BR-135, que liga o Piauí ao estado da Bahia, é a principal rodovia em números de acidentes com mortos no estado. Por conta do número de óbitos registrados, a rodovia foi apelidada como “Estrada da Morte”. A quantidade de mortos registrados somente em 2017 preocupa as autoridades policiais, somente em três acidentes nessa rodovia, (dois no carnaval e outro no feriado prolongado de corpus christi), morreram 17 pessoas. 

Automóvel colidiu com motocicleta na manhã de hoje (27), na BR-135, motorista morreu em hospital da Bahia (Foto: Portal Corrente)

Considerada pela PRF uma rodovia com deficiência estrutural crítica, em determinados o desnível entre o asfalto e a área lateral da pista chega a 30 cm. Por isso, para evitar novos acidentes, a PRF alerta que os condutores redobrem a atenção e diminua a velocidade quando trafegarem por esta via. 

Comportamento dos condutores

Entre os comportamentos mais comuns que contribuem para o aumento no número de mortos nas rodovias federais estão: o não uso do capacete (responsável pelo aumento de 40% no risco de morte do condutor e em 70% os riscos de lesões graves na cabeça) e o consumo de bebidas alcoólicas aliado ao uso da direção. 

“O condutor que dirige sob efeito de álcool tem seu reflexo reduzido para tomar decisões, tem seu senso crítico alterado, passa a ter autoconfiança exagerada para achar que tem condições de dirigir bem e que nada vai acontecer com ele”, enfatiza o inspetor da PRF, Jonas Mata.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário