Monsenhor Gil: criança é abusada sexualmente por cunhado e irmã flagra o crime

De acordo com a polícia "tudo indica que ela seja especial”, destacou o cabo Silva Neto, do GPM da cidade

21/06/2021 10:37h - Atualizado em 21/06/2021 12:23h

Compartilhar no

A Polícia Militar de Monsenhor Gil prendeu na noite deste domingo (20) um homem suspeito de ter abusado sexualmente da própria cunhada, de apenas 12 anos. A esposa do homem flagrou o crime e acionou a polícia. O caso aconteceu em Baixa Grande, no município de Monsenhor Gil, a aproximadamente 58 km de Teresina.

Segundo o cabo Silva Neto, do Grupamento da Polícia Militar (GP) de Monsenhor Gil, ao receberem a denúncia, a viatura se deslocou ao local, constatando o crime e realizando a prisão do homem.

(Foto: Reprodução/Google Street)

“Tomamos conhecimento deste fato através da esposa do elemento que fez isso. A esposa procurou o GPM, fez a denúncia e fomos fazer a averiguação, constatando o fato. Segundo informações repassadas pela mulher, ela teria presenciado o momento em que o companheiro estava violentando a vítima”, disse.

Ainda de acordo com o cabo, há indícios de que a criança tenha problemas de saúde. “Tem mais um agravante, pois tudo indica que ela seja especial”, destacou Silva Neto.

No momento que foi preso, o homem negou o crime. Ele foi encaminhado à Central de Flagrantes, em Teresina, e está à disposição da Justiça. O Conselho Tutelar também foi acionado para acompanhar o caso. 

“Ele fala pouco, nega, mas essa é uma atitude normal de quem faz esse tipo de coisa, de mentir. Mas no exame constatou que realmente ocorreu. Quando acontece qualquer tipo de fato com menor de idade nós procuramos o Conselho Tutelar para fazer o acompanhamento”, completou o cabo Silva Neto.

Família suspeitava dos abusos

Segundo um parente da menina, que preferiu não se identificar, a família já vinha suspeitando do homem e que ele pudesse ter atentado contra a criança. Ainda de acordo com esse familiar, o suspeito chegou na residência durante a madrugada sob efeito de entorpecentes.

Ele se dirigiu ao quarto onde a companheira dormia, e, em seguida, foi ao cômodo onde a criança estava com a avó. “A companheira desconfiou, foi ver onde ele tinha ido e o flagrou tentando molestar a menor. Ela deu o alarme para a avó, que questionou o que ele fazia no cômodo, e ele disse que não tinha feito nada”, contou.

Pela manhã, a família voltou a desconfiar da atitude do homem e buscou ajuda do Conselho Tutelar e da Delegacia da região. O suspeito estava dormindo quando os representantes dos órgãos chegaram à casa da família. No local,a polícia encontrou uma espingarda sem registro.


Ainda segundo esse parente, a criança tem problemas na fala e possui deficiência mental.

Compartilhar no
Por: Com informações de Tony Silva, da O DIA TV

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário