IML de Teresina tem quatro corpos sem identificação

Dados da polícia são referentes aos quatro primeiros meses de 2014

28/04/2014 12:32h - Atualizado em 28/04/2014 13:08h

Compartilhar no

A Delegacia de Homicídios registrou quatro casos de assassinato em Teresina nos quais os corpos das vítimas estão sem identificação. Os crimes foram praticados ao longo dos quatro primeiros meses de 2014.

Dentre as ocorrências está o da mulher esquartejada, cujo corpo foi encontrado em uma mala às margens do Rio Poti, em janeiro. Outro caso foi registrado neste domingo (27), quando o corpo de um homem foi encontrado com perfurações de bala na Vila Irmã Dulce.

Além desses números, a Delegacia de Homicídios já registrou 105 assassinatos, sendo que desse total, três foram latrocínio e um foi caso de infanticídio (morte de recém-nascidos). A grande maioria dos crimes foi praticada, segundo a polícia, tendo por motivação a rixa entre gangues do tráfico de drogas em Teresina. A zona Sul é a área que concentra o maior registro de ocorrências da natureza.

Mulher esquartejada

O caso da mulher cujo corpo foi encontrado esquartejado dentro de uma mala às margens do Rio Poti em janeiro deste ano completou, neste mês de abril, três meses ainda sem solução. A polícia diz ter dificuldades para identificar a vítima pelo fato de a cabeça nunca ter sido encontrada.


Vítima tem uma tatuagem de borboleta no pulso esquerdo

A vítima possui uma tatuagem de borboleta no braço, mas mesmo com este detalhe, nenhum parente ou conhecido se manifestou junto ao IML para tentar fazer o reconhecimento. Ainda em janeiro, a polícia chegou a divulgar a suposta identidade da vítima, mas a informação foi desmentida pela própria Delegacia de Homicídios após ficar constatado que o nome divulgado era de uma ex-presidiária que está viva.

Homicídio na Vila Irmã Dulce

O corpo encontrado na manhã deste domingo (27) na Vila Irmã Dulce já se encontra há 24 horas sem identificação no IML. A vítima é, segundo a Delegacia de Homicídios, um homem de aproximadamente 40 anos. A polícia já fez uma busca no cadastro de desaparecidos, mas não conseguiu encontrar nenhum nome que bata com as descrições.


Leia também:

Corpo esquartejado é encontrado próximo à Ufpi 

Perícia confirma que mulher foi esquartejada após ter sido morta 

Corpo esquartejado pode ter sido desovado no Ceará 

Polícia já tem identidade de mulher esquartejada 

Dois meses: identidade de mulher esquartejada ainda é um mistério 


Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário