Homem é preso suspeito de estuprar a filha de 13 anos no Sul do Piauí

A adolescente revelou que os abusos aconteciam há, pelo menos, dois anos. O acusado estava foragido e foi detido na manhã de hoje (05).

05/07/2017 15:21h

Compartilhar no

Um homem identificado como Alfredo Carlos de Sousa, mais conhecido como Carlito, foi preso na manhã de hoje (05) suspeito de estuprar a própria filha de 13 anos. A prisão ocorreu na Localidade Barroca Funda, na zona rural do município de São Julião do Piauí, a cerca de 390 km de Teresina.

Segundo a titular da Delegacia Regional de Fronteiras do Piauí, a delegada Robianne Nunes, os estupros aconteciam há, pelo menos, dois anos. “As investigações indicam que os abusos aconteceram por cerca de dois anos. Após a menor revelar os abusos, no início deste ano, o acusado fugiu de casa e estava foragido até a data de hoje”, revela a delegada.

 Alfredo Carlos de Sousa, mais conhecido como Carlito. (Foto: Reprodução/Polícia Civil)

O mandado de prisão preventiva do acusado foi expedido pela comarca de Fronteiras e cumprido por meio da Delegacia Regional de Fronteiras, com apoio da 4ª Companhia de Polícia Militar do município. O suspeito será encaminhado para a Penitenciária de Picos.

Dados no Piauí

De acordo com dados divulgados pelo Conselho Tutelar de Teresina, nos primeiros cinco meses de 2017, foram abertas 53 investigações pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescentes (DPCA) sobre casos de estupro envolvendo crianças e adolescentes no Piauí. Segundo Djan Moreira, conselheiro tutelar da zona Leste da Capital, em 44 casos as vítimas tinham de 0 a 14 anos, o que se configura como estupro de vulnerável, e em nove casos, as vítimas tinham entre 14 e 18 anos.

Como identificar

Para o conselheiro, é importante que os familiares fiquem atentos a indícios que apontem que a criança ou adolescente esteja sofrendo algum tipo de violência sexual. O conselheiro alerta que pessoas próximas à vítima, dentro do âmbito familiar ou escolar, tem papel fundamental caso a criança ou adolescente apresente algum sinal.

Ainda de acordo com o conselheiro, a mudança de comportamento em jovens que tenham sofrido abuso sexual pode ser manifestada de duas formas:  ela pode ficar retraída ou manifestar interesse por assuntos sexuais.

No primeiro caso, é comum o jovem ficar retraído e chorar com mais frequência ou até mesmo demonstrar agressividade. Se o jovem voltar a ter comportamentos infantis que já abandonou anteriormente também pode ser indicativo. Observar o rendimento escolar também é importante, já que uma queda repentina pode demonstrar que algo está errado.

Além disso, crianças ou adolescentes que apresentam interesse por questões sexuais e usam palavras ou desenhos que se referem às partes íntimas podem estar indicando uma situação de abuso.

É importante ressaltar que criança ou adolescente precisa passar por avaliação especializada caso apresente alguns desses sinais e em quase todos os casos a vítima tenta se manifestar da sua própria maneira. Qualquer pessoa que suspeitar de algo pode denunciar pelo Disque 100

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário