GRECO descarta veracidade de suposto gabarito da PM que circula pela internet

Em informações que circulam através do aplicativo Whatsapp, candidatos compartilham o que seriam respostas da prova que será aplicado no próximo domingo.

06/07/2017 15:23h - Atualizado em 06/07/2017 15:32h

Compartilhar no

Em entrevista ao Portal O Dia, o coordenador do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), Willame Moraes, descartou a veracidade de um suposto gabarito da prova do concurso da Polícia Militar que está circulando pela internet, através do aplicativo de mensagens Whatsapp. Na imagem compartilhada entre os usuários, aparecem as supostas respostas das questões da prova que será aplicada no próximo domingo (9).

Segundo o coordenador do GRECO, o gabarito é falso e está sendo compartilhado para causar tumulto no processo seletivo. “Nem a própria Nucepe sabe o gabarito. As provas ainda não foram impressas, elas serão impressas em Pernambuco e só depois serão encaminhadas para o Piauí, esse gabarito que está sendo divulgado é fake”, descartou o delegado.

Ainda de acordo com Willame Moraes, todas as medidas necessárias estão sendo tomadas para evitar novas fraudes ao certame e que, até o momento, nenhuma evidência de novas fraudes foi encontrada. “Nós estamos trabalhando desde o início do lançamento do edital e essa semana estamos intensificando o trabalho de prevenção por conta de proximidade com a prova. Todas as medidas estão sendo tomadas para que o concurso ocorra dentro da normalidade”, finalizou o coordenador do GRECO.

Entenda

Após detectar tentativas de fraudes, a primeira fase do concurso da Polícia Militar do Piauí, realizada no último dia 21 de maio, foi anulada e será repetida para os mesmos candidatos no próximo domingo, dia 9 de julho. Durante a última aplicação do certame, nove candidatos foram encaminhados para a Delegacia do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), por terem sido flagrados com papéis que seriam gabaritos da prova.

A anulação da prova foi uma determinação do Governo do Estado e da Secretaria de Segurança. Vinculado à Universidade Estadual do Piauí, o Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) foi bastante criticado depois que a Polícia Civil confirmou o vazamento de questões da prova, o que resultou em seu cancelamento.

Após a confirmação do vazamento, a elaboração da prova objetiva do concurso da PM passou a ser feita pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). De acordo com o professor Nouga Cardoso, reitor da Uespi, a parceria foi fechada para que as provas sejam elaboradas nos mesmos moldes da que foi aplicada no dia 21 de maio.

Na ocasião, o reitor esclareceu que não haverá mudança com relação aos assuntos cobrados no edital e que a quantidade de questões deverá ser as mesmas, em conformidade com o que já havia sido divulgado pelo Nucepe.

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário