Governo manda recolher helicóptero de salvamento da Polícia Militar

Veículo era alugado à corporação por uma empresa de Curitiba. Recolhimento faz parte dos cortes de gasto.

22/01/2015 17:50h

Compartilhar no

A Polícia Militar do Piauí perdeu na tarde desta quinta-feira (22) o único helicóptero de salvamento que possuía após o Governo do Estado rescindir o contrato de aluguel do veículo que possuía com uma empresa de Curitiba. Essa empresa aluga veículos e policiamento aéreo para todos os Estados do Nordeste e, com essa medida, o Piauí passa a ser o único do Nordeste sem contar com uma aeronave de salvamento.

A PM-PI alugava o helicóptero por um valor de R$ 7.334,00 a hora, sendo que a aeronave era obrigada a voar pelo menos 40 horas por mês. Mensalmente, o valor do aluguel chegava ao patamar dos R$ 263 mil custeados pelo Governo do Estado. As horas de voo, segundo o Grupamento Tático Aéreo de Policiamento (GTAP), eram cumulativas.

Para o comandante do GTAP, tenente-coronel Josué Saraiva, a retirada da aeronave representa um enfraquecimento no combate ao crime nos trabalhos de manutenção da vida e da segurança da população piauiense. €œNão é que a polícia vá ficar sem helicóptero. Nós temos outro, mas não com a mesma capacidade de pessoal e a mesma estrutura que a aeronave alugada possuía, então vai comprometer o trabalho do GTAP, vai ter sobrecarga, mas nós não podemos fazer nada, a não ser acatar a decisão do Governo€, afirma o coronel Josué.

Sobre a devolução do helicóptero, o major Adriano Lucena, comandante da Companhia de Policiamento de Trânsito do Piauí, diz que o trabalho de policiamento não deverá sofrer tantas alterações, já que cada aeronave possui suas especificidades e a que o Estado ainda possui capacidade para atender à demanda.

€œO helicóptero que fica tem condições de manter o serviço funcionando, claro que sem as mesmas condições, mas tem como operar com policiamento e salvamento e assim que esse problema de corte de gastos for resolvido, nosso Estado poderá, quem sabe, contar com uma aeronave de salvamento própria€, declara o major Lucena.

Com a retirada do helicóptero, a simulação de salvamento em acidente de múltiplas vítimas, marcada para a manhã desta sexta-feira (23) não terá mais a participação do GTAP. O tenente-coronel Josué Saraiva disse que já entrou em contato com a direção do SAMU informando a impossibilidade de ajudar na ação e a simulação deverá ser suspensa.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Nayara Felizardo

Deixe seu comentário