• Cobertura Zé Pereira
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Golpista usa nome de Frank Aguiar para enganar cantora

Para enganar a vítima, o golpista teria prometido entradas para uma festa na casa do cantor Frank Aguiar, em São Bernardo do Campo/SP.

21/01/2020 10:26h - Atualizado em 21/01/2020 11:06h

A cantora e sanfoneira piauiense Pâmela Lima foi alvo de um golpe no último domingo (21). Em vídeo gravado para o programa Linha de Fogo, da O Dia TV, a cantora relatou que foi enganada em uma ligação e teve a conta do Whatsapp clonada. Para enganar a vítima, o golpista teria prometido entradas para uma festa na casa do cantor Frank Aguiar, em São Bernardo do Campo/SP.

 "Eu estava em um evento com meus amigos e, de repente, meu celular tocou com um número DDD 11. Quando atendi a ligação era um rapaz dizendo que era assessor do Frank Aguiar, me convidando para uma festa na casa dele no dia 25 de janeiro, em São Bernardo do Campo, e que eu tinha que levar três acompanhantes pra ir comigo. Eu fiquei logo animada, pensando que era verdade", relata.

Segundo ela, o golpista passou informações que só um assessor poderia ter acesso, o que acabou a convencendo de que os convites eram verdadeiros. Por isso, a cantora decidiu repassar seus dados pessoais, como telefone, nome completo e CPF, juntamente com os dados da mãe e do irmão, que é menor de idade.

Cantora Pâmela Lima foi vítima de golpe pelo Whatsapp. (Foto: Divulgação)

"Ele falou em seguida que ia me enviar uns códigos e que eu tinha que dizer pra ele os seis dígitos. Ele até me perguntou onde eu queria esses códigos, se por SMS ou e-mail. Eu escolhi o e-mail, mas ele me mandou SMS. Eu disse para ele os seis códigos, meu irmão também disse e, logo em seguida, eu teria que confirmar o convite do evento que seria no e-mail, eu entrei no meu e-mail e confirmei. Ele então disse que ia me ligar mais tarde e desligou", conta.

Os seis dígitos solicitados pelo golpista deram acesso ao Whatsapp da cantora. Por ser um aplicativo individual, o Whatsapp só pode ser acessado por um dispositivo. Então, a partir do momento em que o criminoso entrou no aplicativo da cantora, ela perdeu o acesso à própria conta.


"Quando deu uns dois minutos, fui tentar entrar no meu Whatsapp e não consegui mais. Meu irmão também foi tentar e não conseguiu. Eu já fiquei desesperada, fiquei pensando mil e uma coisas. Liguei pro mesmo número que me ligou e não atendeu de jeito nenhum. Aí eu já entendi que tinha sido vítima de um golpe, porque eu peguei o celular de um amigo e me vi online. Eu fiquei pensando 'oxente, como é que eu estou online ali se eu não estou conseguindo entrar no Whatsapp?' [sic]", relembra.

Pâmela Lima afirma que ainda tentou entrar em contato com o golpista e pedir a conta de volta, mas o mesmo afirmou que só devolveria o acesso caso ela lhe depositasse uma quantia em dinheiro. Ciente de que estava sendo vítima de um golpe, a cantora procurou dois distritos policiais para registrar a denúncia, mas não conseguiu. Em seguida, ela foi até a loja da operadora de telefone, mas também não conseguiu bloquear o acesso à conta.

Foto: Reprodução

De posse do Whatsapp da cantora, o golpista passou a enviar várias mensagens para os contatos se passando pela vítima. Nas mensagens, o golpista tenta ludibriar os contatos da cantora afirmando que ela teria tentado transferir dinheiro para um amigo, mas que o limite diário do banco havia excedido, e pede que façam o depósito em uma conta. Um dos amigos chegou a depositar R$ 1,9 mil.

"Esse meu amigo conseguiu resgatar o valor de dinheiro, mas foi bem complicado. Eu divulguei no meu Instagram, pedi pros meus fãs denunciarem, fui na delegacia hoje e fiz boletim de ocorrência, falei com o Frank Aguiar e passei a situação pra ele. O que eu posso dizer é: não passe seus dados pessoais pra alguém que ligue, porque pode ser um golpista, dizendo que você foi convidado pra uma festa ou que foi contemplado em alguma coisa, eles pegam você nessa parte e você cai. Não diga nem seu nome", alerta.

Em entrevista ao O Dia, o delegado Anchieta Nery informou que esse tipo de crime tem sido cada vez mais comum no Piauí. Em 2019, houve um salto de 200% no registro de ocorrências relacionadas à modalidade de estelionato que envolve negociações de produtos e transferências de valores para amigos e familiares pela internet. 

Assim como aconteceu com a cantora Pâmela Lima, na clonagem de aplicativos de mensagens, os criminosos descobrem o número de telefone da vítima e tenta instalar o aplicativo em um novo aparelho, para ter acesso à lista de contatos. Ao instalar, o aplicativo solicita uma senha enviada via SMS para o aparelho da vítima, para permitir o novo acesso.

“O criminoso vai ligar para a vítima com alguma historinha, se passando por alguma empresa, se passando por algum call center e vai dizer: ‘olha, enviamos um número de confirmação no seu celular, diga pra gente’. A vítima está vendo que o número foi enviado pelo Whatsapp, que é outra empresa, mas mesmo assim fala. Nesse momento, o criminoso consegue instalar o Whatsapp no novo celular e a vítima perde o acesso no dela”, explica o delegado.

De posse do Whatsapp da vítima, o criminoso tem acesso a agenda de contatos e envia mensagens pedindo dinheiro se passando pela vítima. Os contatos preferenciais são aqueles salvos com algum grau de proximidade, como “mãe”, “pai” ou “amor. Por isso, o delegado destaca que é importante que as pessoas salvem os contatos com nome e sobrenome, pois as pessoas próximas são as primeiras a serem procuradas por quem pratica esse tipo de crime.

Outro alerta importante para evitar esse tipo de dano é ativar a verificação em duas etapas nas configurações do próprio aplicativo. “É um dispositivo de segurança em que vai ser criada uma senha de seis números exclusivamente sua, só você sabe e essa senha vai ser pedida para você de tempos em tempos para poder usar o aplicativo e sempre que comprar um celular novo e for instalar seu Whatsapp ali, essa senha vai ser pedida, além da senha que a empresa te manda via SMS”, esclarece.

A principal dificuldade em perceber que está sendo vítima de golpe acontece porque as pessoas, na maioria das vezes, estão em uma situação de pressa e acabam repassando informações para o estelionatário. Por isso, caso receba a ligação de uma empresa que pede a confirmação de dados pessoais, o ideal é informar que você não tem condições de repassar informações no momento e pedir para a empresa retornar em um horário que você possa atender com calma.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário