• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Funcionário morre com um tiro durante assalto a comércio em Lagoinha do PI

Bandidos armados renderam os funcionários da loja Lili Doces, no povoado Estaca Zero, e levaram dinheiro, celulares e arma do vigilante.

07/02/2020 09:48h - Atualizado em 07/02/2020 11:56h

Um assalto a mão armada a um estabelecimento comercial localizado no povoado Estaca Zero, em Lagoinha do Piauí, zona Rural de Água Branca, terminou com uma pessoa morta na noite desta quinta-feira (06). A vítima era o funcionário da loja Lili Doces, identificado como Antônio da Cruz de Oliveira Sousa. Ele acabou sendo alvejado com um tiro no rosto, próximo ao olho.

A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar e pela Polícia Rodoviária Federal. De acordo com a PRF, quatro homens armados renderam os funcionários e o vigilante no horário de fechamento da loja. Todos foram feitos reféns. Durante o assalto, Antônio da Cruz foi agredido e posteriormente baleado, morrendo ainda no local.

Os assaltantes estavam em um veículo ainda não identificado e levaram de R$ 1.700 a R$ 2 mil do caixa do estabelecimento, além de um revólver calibre 38 do vigilante do local, identificado como Mauristônio dos Santos, uma espingarda calibre 20 e dois celulares. 


Antônio da Cruz Oliveira de Souza foi atingido com um tiro no rosto e morreu durante assalto a loja de doces na Estaca Zero - Foto: Divulgação/PMPI

De acordo com o coronel Cordeiro, comandante da PM de Água Branca, que atendeu à ocorrência, existe a possibilidade de os criminosos terem recebido informações privilegiadas sobre o local antes de efetuarem o assalto. “As testemunhas informaram que eles chegaram anunciando o roubo dizendo que não vieram de longe à toa e que sabiam que tinha arma e dinheiro ali. Não houve reação por parte das vítimas, mas mesmo assim um funcionário foi atingido”, relara o coronel.

A PM está fazendo buscas pelos criminosos, mas até o momento eles não foram localizados. No entanto um deles, segundo o coronel Cordeiro, foi identificado apenas pela alcunha de “Magrão” e seria natural de Demerval Lobão. O caso segue sob investigação pela Polícia Civil.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário