• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Ex-militar e ex-funcionário de banco são presos por estupro no Piauí

Vítimas foram as filhas dos acusados. Prisões fazem parte da Operação Indignus, deflagrada pela Polícia Civil. São cumpridos 11 mandados.

10/05/2019 08:37h - Atualizado em 10/05/2019 09:41h

A Polícia Civil deflagrou nas primeiras horas da manhã de hoje (10) uma operação para cumprir 11 mandados de prisão contra acusados de estupro na Capital e no interior. Até o momento, nove pessoas já foram detidas em Teresina e no município de Piracuruca. Até o momento, a Secretaria de Segurança divulgou o nome de sete presos: Leandro da Silva Martins, Jesus James dos Santos Gomes, Ismael da Silva, Francisco Carlos Mesquita de Morais, Francisco das Chagas Escórcio de Meneses, Francisco Darlan Sales da Silva e um conhecido como Wiliam Naguin.

De acordo com o delegado Willame Morais, titular da Divisão de Captura da Polícia Civil, entre os detidos está um ex-militar e o ex-funcionário do Banco do Brasil que já estavam inclusive sentenciados pela Justiça.


DelegadoWillame Morais, coordenador da Divisão de Capturas - Foto: Poliana Oliveira/O Dia

Segundo ele, o ex-militar é condenado pelo crime de estupro praticado contra a filha menor de idade e foi condenado a cumprir uma pena de 15 anos de prisão pelo delito. Do mesmo jeito, o ex-funcionário do Banco do Brasil , que foi preso em Piracuruca, já havia sido sentenciado e era foragido da Justiça por ter estuprado também as próprias filhas menores de idade. Com relação ao funcionário do banco, a polícia informou que ele já teria um plano de fuga da cidade de Piracuruca e, por isso, sua prisão acabou tendo que ser adiantada.


Fotos: Divulgação/Polícia Civil

“Boa parte dos crimes pelos quais os acusados respondem foram cometidos quando as vítimas ainda eram menores de idade. Trata-se de pessoas que, de certa forma, já eram conhecidas das vítimas ou que tinha algum convívio com elas. Nossas equipes estão todas em campo e a previsão é que até o final da manhã todos os 11 mandados sejam cumpridos. Queremos dar agilidade a isso, porque são mandados antigos e se trata, o estupro, de um crime hediondo”, explica o delegado.

Os presos estão sendo encaminhados para a Delegacia Geral para os procedimentos legais.

O nome da operação

O nome da operação Indignus significa "indigno de perdão" em latim. De acordo com o delegado Willame Morais, por se tratar de um crime hediondo, o estupro é considerado um ato gravíssimo e seus autores não merecem condescendência aos olhos da lei.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário