Homem diz que matou escrivã por que teve medo de ser preso

Francisco Alves Costa golpeou a jovem teresinense com uma faca de mesa.

15/05/2014 15:38h - Atualizado em 15/05/2014 17:40h

Compartilhar no

Atualizada às 17h12

O delegado regional de Caxias, Celso Álvares Rocha, afirmou ao PortalODIA.com, que o acusado de assassinar a escrivã Loane Maranhão da Silva, revelou em depoimento que matou a policial por que estava com medo de ser preso. O assassino teria afirmado que não houve nenhuma provocação por parte da escrivã. "Ele pensou que após o depoimento seria preso”, conta o delegado. 

Francisco Alves da Costa, 42 anos, havia sido intimado para prestar esclarecimentos sobre uma acusação de estupro às suas duas filhas. Exames comprovam a violência sexual. 


Acusado de ter matado escrivã

O acusado revelou ainda que sempre andou armado com a mesma faca utilizada no assassinato de Loane Maranhão. Francisco Alves foi conduzido à Central de Custódia de Presos de Justiça de Caxias e responderá pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio, porque também feriu uma investigadora da delegacia, identificada como Marilene. 

A mulher foi esfaqueada quando tentou socorrer a escrivã. Foi atingida no lado esquerdo do peito, a poucos centímetros do coração, mas não corre risco de morte.


Muitas pessoas foram até a delegacia da cidade, comovidos com o caso

O namorado da escrivã, Jackson Fontenelis, também é escrivão da Polícia Civil e trabalhava em uma delegacia localizada ao lado da Delegacia da Mulher. Após o crime, houve muita comoção no local. Familiares foram até a cidade e acompanham o caso.

Atualizada às 16h30

A escrivã da Polícia Civil, Loane Maranhão da Silva, foi assassinada a facadas por um homem que prestava depoimento, no início da tarde de hoje (15), na Delegacia da Mulher de Caxias (MA). Após ser esfaqueada no peito, ela foi levada para o Hospital Regional de Caxias, mas acabou não resistindo e morreu.


Loane Maranhão da Silva morreu a caminho do hospital

Conforme informações de um agente da Polícia Civil, que não quis se identificar, Francisco Alves Costa, de 42 anos, golpeou a jovem com uma faca de mesa. Não se sabe o que teria motivado o crime. O homem ainda esfaqueou uma investigadora, identificada como Marilene, que tentou socorrer Loane. Marilene foi atingida na costela, está internada e não corre risco de morte.

Francisco Alves Costa é funcionário da Prefeitura de Caxias e havia sido intimado para prestar depoimento sobre uma confusão que ele teria tido com sua esposa. Ele foi preso em flagrante e será autuado por homicídio e tentativa de homicídio.

Loane Maranhão trabalhava desde 2009 na delegacia. A jovem era piauiense e morava em Teresina.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário