Criança é estuprada e diz ter sido atacada por cães por medo de ser morta

Menina de 9 anos foi levada para um matagal e ameaçada de morte pelo agressor. Com medo do agressor, a vítima contou para os pais que tinha sido atacada por cães.

20/03/2018 17:04h - Atualizado em 20/03/2018 17:28h

Compartilhar no

Um crime brutal chocou a população da pequena cidade de Palmeira do Piauí, localizada a 595 km de Teresina. Uma criança de apenas 9 anos foi estuprada nesta segunda-feira (19) e disse para a família ter sido atacada por cães por medo de ser assassinada pelo suposto estuprador.

Segundo informações do delegado Aldely Fontenele, da Delegacia Regional de Bom Jesus, a criança contou em depoimento que foi levada pelo lavrador, identificado como Willame Pinheiro Luz, para um matagal na cidade de Palmeiras e estuprada.

Ao chegar em casa muito machucada, a menina contou ter sido atacada por cães, por medo de ser morta pelo suspeito. “Ela contou que, durante o estupro, ele a ameaçou de morte várias vezes caso ela contasse para alguém o que aconteceu. Por isso, ao chegar em casa, ela disse para os pais que tinha sido atacada por cães”, relata o delegado.

Por causa das fortes dores ocasionadas pela violência sexual, a menina acabou contando para a família que havia sido estuprada pelo suspeito. Os pais da menina, então, mobilizaram a população da cidade e acionaram a Polícia Militar do município, que fez um cerco e acabou prendendo Willame Pinheiro na casa da família dele, após horas de negociação.

De acordo com o delegado, o exame de corpo de delito comprovou o estupro e o suspeito foi preso em flagrante. “Ela estava muito abalada. Quando colhemos o depoimento da criança, ela abraçou a mãe e chorou muito. Nós também ficamos muito tocados com a situação, porque não é algo que vemos todo dia”, contou o delegado Aldely Fontenele, acrescentando que não há informação se o suspeito é conhecido da família.

O suposto estuprador foi conduzido para a Delegacia Regional de Bom Jesus e deverá ser encaminhado para o sistema prisional nos próximos dias. Já a vítima foi encaminhada ao Serviço de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVVIS) e está recebendo ajuda multiprofissional.

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário