• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Amarante: Criança morta pode ter sido dopada pelo padrasto

Menina de três anos foi encontrada desacordada pela mãe após ter sido deixada com o padrasto. Caso aconteceu na cidade de Amarante.

18/07/2019 12:07h - Atualizado em 18/07/2019 16:21h

Uma menina de três anos faleceu na manhã desta quinta-feira (18) após dar entrada no Hospital Lucídio Portela em Teresina com a suspeita de ter sido dopada pelo padrasto. Segundo boletim médico do Hospital Infantil Lucídio Portela, a criança estava internada na UTI da unidade, após ter uma parada cardiorrespiratória, quando sofreu falência múltipla dos órgãos.

O caso aconteceu na cidade de Amarante na última segunda-feira (15). Segundo informações do Conselho Tutelar do município, a mãe da criança havia saído de casa pela manhã e deixado a menina sob os cuidados do seu companheiro. Ao retornar para a casa, a mãe encontrou a criança já desacordada e, ao questionar ao marido sobre o fato, teria sido espancada por ele.

“A família da criança comenta que o companheiro deu esse comprimido para a criança, mas não tivemos contato ainda com ele. Segundo a mãe, a menina estava desacordada e liberando um líquido pastoso pela boca”, explica a conselheira Joseli Santos, afirmando que a suspeita é de que a menina tenha ingerido um medicamento anticonvulsionante com efeito sedativo. 

A vizinha da família, ao ver a mãe ser agredida pelo companheiro, teria pegado a criança e a mãe e levado ao hospital do município. A menina deu entrada no hospital em estado grave e, sem a melhora do quadro de saúde, foi encaminhada ainda na segunda-feira para a Capital, onde foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Promorar. 

Segundo a Secretária Estadual de Saúde (Sesapi), a médica de plantão da UPA do Promorar informou que a menor apresentou parada cardiorrespiratória, sendo reanimada pela equipe do Pronto Socorro. Em seguida, a vítima foi encaminhada ao Hospital Infantil Lucídio Portela, acompanhada da equipe do Samu avançada, com parada cardiorrespiratória, que foi revertida na UTI, mas que infelizmente a criança não resistiu a gravidade da situação. 

Sobre a suspeita de abuso sexual levantada pelo Conselho Tutelar a partir da denúncia da mãe, a Secretaria de Estado da Saúde informa que a criança não deu entrada na Maternidade Dona Evangelina Rosa, mas que uma equipe do Serviço de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVIS), foi deslocada para o Hospital Infantil Lucídio Portela, onde examinou a criança e constatou que não houve abuso sexual.

Com a morte da criança, o caso deverá ser investigado pela Polícia Civil de Amarante.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário