• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Comandante do 4º BPM é exonerado após defender morte de bandido

O anúncio da exoneração foi feito pelo próprio oficial no grupo de Whatsapp destinado às relações públicas do batalhão.

07/01/2020 11:30h - Atualizado em 07/01/2020 15:07h

O coronel Edwaldo Viana, comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar de Picos, foi exonerado da função nesta terça-feira (07), após decisão do governador Wellington Dias. O anúncio da exoneração foi feito pelo próprio oficial no grupo de Whatsapp destinado às relações públicas do batalhão.

Segundo ele, a motivação que levou à sua exoneração teria sido uma polêmica envolvendo uma fala sua sobre a morte de bandidos por policiais. No áudio enviado aos jornalistas, o comandante reiterou a sua opinião sobre o assunto. "Quando eu estou falando que bandido tem que descer as cordas, eu não estou fazendo apologia ao crime, eu estou falando a realidade, e quem tá na batalha é para morrer ou matar", afirmou.

Para o coronel, a sua exoneração do comando do 4º BPM tem motivações políticas e que "fizeram a sua cabeça" para o governador Wellington Dias. "Eu fui recebido de surpresa, fui exonerado da função não por querer do comandante geral, mas por forças políticas. Essas minhas palavras foram levadas até o governador, tenho certeza que o governador não tinha essa intenção, mas foi induzido por pessoas políticas, que quiseram a minha cabeça", disse.

Coronel Edwaldo Viana. (Foto: Reprodução/Cidades na Net)

O comandante declarou que, mesmo chateado com a decisão do Governo do Estado, sai do Comando de cabeça erguida. Segundo ele, durante o seu comando a região de Picos registrou o menor índice de criminalidade dos últimos anos. "Não é a toa que por dois anos consecutivos fomos escolhidos o melhor batalhão, o que mais apreendeu armas e drogas. Estamos deixando uma cidade em que passou dois anos sem morrer um cidadão, o resto que morria não morria, descia as cordas. Nunca me curvei pra bandidagem e nunca vou me curvar, eu prefiro a morte", destacou.

O coronel Edwaldo Viana destacou ainda que foi lhe oferecido o comando de um dos batalhões da Capital, mas que recusou o convite. "Não vou aceitar, porque eles fizeram isso pra me silenciar, porque agora que eu vou falar, agora estou livre pra falar', finalizou.

A solenidade de passagem de comando acontecerá às 9h da próxima sexta-feira (10), na sede do 4º BPM, em Picos. Até o momento, o nome do novo comandante não foi anunciado pela PM.

Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário