• Campanha Mobieduca
  • Teresina shopping
  • HEMOPI - Junho vermelho
  • ITNET
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att

Castelo do Piauí: Mentor de 'estupro coletivo' nega participação no crime

Em coletiva de imprensa na Secretaria de Segurança, Adão José afirmou que não estava na cidade no dia do crime.

30/05/2015 09:29h - Atualizado em 30/05/2015 11:30h

Adão José de Sousa, mentor do 'estupro coletivo' no município de Castelo do Piauí, já se encontra em Teresina e, durante a manhã de hoje (30), a Secretaria de Segurança do Piauí promoveu uma coletiva de imprensa para apresentar o acusado de comandar o grupo que violentou quatro adolescentes.

Em depoimento à imprensa, Adão negou em todos os momentos a participação no crime que aconteceu na última quarta-feira (28), ele apenas confirmou que estava em Campo Maior porque estaria fugindo do assalto que praticou a um posto de gasolina na cidade. O acusado de comandar o grupo de quatro menores durante o estupro, confessou que tem passagens pela polícia por tráfico de drogas, assaltos e homicídios no estado de São Paulo. 

Fotos: Elias Fontenele/ ODIA


Leia também:

Polícia captura suspeito de comandar estupro coletivo em Castelo 

Adolescentes são sequestradas e violentadas em Castelo do PI  

Vítimas de estupro coletivo têm cortes do rosto e graves ferimentos  

Estupradores estavam alucinados pelo uso de drogas, acredita delegado  


Adão ainda relatou que não conhecia nenhuma das meninas e, que se a polícia quisesse confirmar a participação dele, teria que realizar os exames de perícia. De acordo com o Delegado Geral de Polícia Civil do Piauí, Riedel Batista, não há dúvidas sobre a participação. "Apesar de negar, Adão é sim o mentor do crime de Castelo do Piauí. Todos os menores já confessaram que eles estava presente e que teria comandado a ação", relata. 

O material genético de Adão, das quatro adolescentes e dos menores já foi coletado para realização da perícia, afim de não haver dúvidas sobre a participação dos cinco acusados. 

Segundo o gerente de Polícia do Interior da Secretaria de Segurança do Piauí, delegado Willame Moraes, o crime não foi premeditado, as meninas estavam "no lugar errado e na hora errada". “Não houve planejamento. Eles estavam foragidos e se escondendo no Morro do Garrote. O Adão tinha praticado um assalto na sexta-feira e um dos menores tinha furtado uma moto no final de semana. Os dois ficavam no morro, e os outros levavam drogas e mantimentos”, conta.

A polícia reafirma a forma como o crime foi praticado e que eles não sabiam quem eram as adolescentes. "Elas tinha saído para fazer um trabalho e, os cinco acusados estavam se drogando quando encontraram as moças e abordaram. Elas foram ameaçadas com uma faca, e tiveram mãos, pés e boca amarrados durante o estupro", diz Reidel. 

O Delegado Willame ainda afirma que Adão não pode ser levado para a Casa de Custódia. "Se ele for pra lá vai ser morto. Estamos analisando junto a Secretaria de Segurança para onde ele será encaminhado", finaliza. 

O Secretário de Segurança do Piauí, Fábio Abreu, publicou em sua página do Facebook uma nota sobre a prisão de Adão. Confira na íntegra:

"Apresentei, juntamente com o delegado geral Riedel Batista, delegado Willames Moraes, gerente de polícia do interior, delegado de Castelo Piauí, Laércio Evangelista e o coronel Paulo de Tarso, do Comando de Policiamento do Interior, na manhã desta sábado, (30), Adão José de Sousa, 40 anos.
Adão e mais quatro menores, já apreendidos, são acusados de atos violentos contra quatro adolescentes na última quarta-feira (27), na cidade de Castelo do Piauí, 190 km na região Norte do estado. Os menores se encontram no Centro de Internação Provisória e o maior será encaminhado para o sistema prisional. Parabéns pelo trabalho incansável de toda equipe que participou para solucionar o caso!"

Edição: Nayara Felizardo
Por: Marcos Cunha e Paloma Vieira (Estagiários)

Deixe seu comentário