Casa de prostituição de Teresina anuncia festa com Juju Salimeni

Há cerca de um ano, cinco dias após comentada apresentação da Mulher Melancia na boate Beth Cuscuz, foi deflagrada a Operação Aspásia, que indiciou 14 pessoas por exploração sexual de mulheres

18/07/2013 11:32h - Atualizado em 18/07/2013 21:08h

Compartilhar no

Exatamente cinco dias após a apresentação da Mulher Melancia na Boate Beth Cuscuz, em agosto do ano passado, foi deflagrada a Operação Aspásia, que prendeu a proprietária da referida boate e indiciou outras 13 pessoas por manterem casa de prostituição e por exploração de mulheres em Teresina. Um ano após a Operação, a assistente de palco Juju Salimeni se apresenta em Teresina na noite de hoje (18), na Vip House, estabelecimento denunciado pelo Portal O DIA há cerca de três meses por funcionar como casa de prostituição. 

Embora o Secretário de Segurança do Piauí, Robert Rios, tenha garantido que a deflagração da Operação Aspásia  e a apresentação da Mulher Melancia na Boate Beth Cuscuz não tenham tido qualquer relação, as especulações foram inúmeras e a coincidência foi intensamente comentada. 

A vinda de Juju Salimeni, ex-panicat e hoje assistente de palco do programa Legendários, da TV Record, foi anunciada em outdoors e cartazes espalhados pela cidade como “O evento mais esperado do ano”, e acontece a partir das 23h de hoje. 


Foto: Portal 180 Graus. 


Ao entrar em contato com a Vip House, a equipe de O DIA foi informada de que a mesa com lugar para quatro pessoas custará R$ 1 mil e a entrada individual R$ 300. 

Com relação às garotas que estarão hoje na boate, a informação é de que está sendo aguardada uma quantidade maior, além daquelas que já atendem no local normalmente. O lugar da apresentação, a boate Vip House, fica localizado no Bairro Gurupi, zona Leste de Teresina. 

Três garotas de programas, que falaram ao Portal O DIA no mês de abril deste ano, confirmaram que a boate promove a exploração de mulheres para fins sexuais. Segundo elas, o cachê mínimo cobrado pelo programa é de R$ 200, independente de as garotas atenderem no local ou irem para um motel com o cliente. A casa sempre fica com R$ 50 do cachê. 

À época, a aquipe de O DIA entrou em contato com a proprietária da boate, que se apresenta como Hellen Gaúcha, mas esta não quis falar a respeito do estabelecimento ou das atividades realizadas no local. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário