• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Advogado que patrocina defesa de Nayrinha conhecia Fernanda Lages

Ronaldo Ribeiro conheceu Fernanda em Teresina

21/03/2012 19:37h

O advogado Ronaldo Ribeiro, dono do escritório que patrocina a defesa da estudante Nayra Veloso, a Nayrinha, conhecia um grupo de amigas da jovem, entre elas Fernanda Lages. O contato entre os dois aconteceu em Teresina, em uma das viagens que o profissional fez ao Piauí.

"Não me lembro bem quando, nem a ocasião... Faz um bom tempo, mas tive oportunidade de conhecer a Fernanda aí em Teresina", admite o advogado, explicando que atua em municípios do interior do Maranhão, a exemplo de Caxias, e mantém parceria com escritórios do Piauí.

A defesa de Nayra será gratuita. O escritório "Francisco Ramos e Ronaldo Ribeiro" destacou o criminalista Ernesto Lopes de São Luís (MA) para Teresina (PI) na segunda-feira (19) à noite. Ribeiro explica a "doação" como um gesto de amizade à amiga Nayra, que ele diz ter conhecido há alguns anos na capital do Maranhão.

O advogado soube da prisão de Nayrinha através de um colega. E ofereceu ajuda após ouvir apelos da mãe e de uma amiga da jovem - identificada como Paula - que ele também já conhecia.

"Quem fez o primeiro contato foi a Paula. Ela me ligou, contou toda a situação e eu me dispus a ajudar. Então ela intermediou o contato da mãe da Nayra comigo", relata Ronaldo Ribeiro, que minimiza o fato de não cobrar honorários pela defesa: "Nosso escritório é grande, tem boa estrutura. Isso é pouco e eu faria por qualquer outra amiga", diz o advogado.

Atuação da defesa

Há dois dias em Teresina, o advogado Ernesto Lopes conseguiu acesso aos autos do inquérito que investiga a morte da estudante Fernanda Lages. Ainda nesta quarta-feira (21) ele iniciou a confecção da peça de defesa de Nayra Veloso, onde vai pedir a revogação da prisão temporária da jovem. O documento deverá ser protocolado na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Teresina na manhã desta quinta-feira (22).

Nayrinha foi detida na semana passada, pela Polícia Federal, por suspeita de omitir informações elementares para o andamento das investigações. Fernanda foi encontrada morta na obra da sede do Ministério Público Federal (MPF) no dia 25 de agosto do ano passado.

Por: Rmulo Maia

Deixe seu comentário