Acusado de matar jovem em motel é apresentado pela polícia em Teresina

Gilson Ferreira dos Santos confessou o crime e alegou que não tinha intenção de matar Ana Paula

02/10/2012 13:52h

Compartilhar no

A Polícia Civil do Piauí apresentou nesta terça-feira (02), durante coletiva, Gilson Ferreira dos Santos, assassino confesso da jovem Ana Paula Rodrigues Gomes, 18 anos, encontrada morta dentro de um motel na Zona Sudeste de Teresina. O preso se apresentou espontaneamente na cidade de Luziânia, no estado de Goiás. Após o pedido de prisão preventiva, Gilson foi encaminhado até a capital piauiense onde responderá pelos crimes de homicídio doloso e ocultação de cadáver.

Apresentação de Gilson de forma espontânea, legalmente, indicaria uma liberação imediata. Segundo o Delegado Jeferson Kalume, responsável pela investigação do caso, por conta da gravidade do crime, a polícia civil entrou com pedido de prisão preventiva. Por meio do Promotor Benigno Filho, o Ministério Público deu um parecer favorável e iniciou-se então o cumprimento da carta precatória, que solicitava a vinda do preso para Teresina. "Dois policiais foram enviado para os procedimentos legais. Gilson foi removido e trazido para o Piauí para que respondesse pelos crimes", explica o delegado.

Segundo informações da polícia, a delegacia da mulher já tinha um esboço da situação por conta do desaparecimento da jovem, antes da constatação da morte. O casal possuía uma relação conflituosa em um contexto de ciúmes de ambas as parte. Gilson possuía uma dependência maior de afeto pela jovem.

Fotos: Jailson Soares

Gilson Ferreira da Silva foi preso no último dia 27, três dias após o assassinato da própria noiva e chegou a Teresina na noite de ontem (1º). De acordo com o delegado Jeferson Kalume o preso alegou que não tinha intenção de matar Ana Paula. Na versão de Gilson, o casal havia tido uma discussão na tarde do dia 25 e que a pedido da jovem foram até o motel por volta das 14hrs para uma possível conversa de entendimento. No local a briga teria sido intensificada.

O corpo de Ana Paula foi descoberto três dias após sua morte, escondido sob o colchão de um dos quartos da Pousada Oásis.A polícia aponta que preliminarmente uma situação de esganadura teria levado a morte de Ana Paula. O preso nega a morte por sufocamento, afirmando que realizou uma compressão no pescoço da vítima. "Ele (Gilson) disse que fez apenas uma compressão, e esta forma de pegar no pescoço da vítima levou ao óbito. Os laudos cadavéricos vão esclarecer a morte", conta o delegado.

O preso agora será encaminhado para uma unidade prisional, onde continuará em prisão preventiva. Gilson ficará a disposição da polícia até o fim do prazo para a conclusão do caso.

Compartilhar no
Por: Yuri Ribeiro

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário