27 pessoas são presas por fraude em concurso da PM-MA

As prisões aconteceram antes de efetuadas as fraudes

03/12/2012 10:54h

Compartilhar no

O secretário de Estado da Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes, confirmou, na manhã desta segunda-feira (3), o esquema de fraude no concurso 2012 das Polícias Militar e Civil do Maranhão e Corpo de Bombeiros. Segundo o secretário, o esquema foi descoberto antes de ser concretizado, de forma que não comprometeu o trabalho da Fundação Getúlio Vargas, instituição responsável pelo concurso. Ao todo, 27 pessoas foram presas acusadas de participar do esquema.

As prisões aconteceram em São Luís e Caxias, nesta última, foi preso Antônio Ferreira Lima Sobrinho, residente em Pindaré-Mirim, conhecido como Antônio Concurseiro, ele é acusado de ser o líder de uma quadrilha que oferece vantagens para quem quer passar em concursos públicos. Ele é funcionário do IFMA de Santa Inês e ao ser preso estava portando documentos falsos.

As provas foram aplicadas no último final de semana, nos dias 1º e 2 de dezembro, e os acusados foram presos ainda dentro dos locais de provas, portando celulares que seriam utilizados no esquema de fraude.

Como funcionaria o esquema

De acordo com informações da polícia, a quadrilha atuaria da seguinte forma: pessoas experts nos assuntos das provas foram levadas para fazer a prova, com o compromisso de fotografar os gabaritos e depois repassar para quem contratou o serviço. O valor cobrado era de R$ 15 mil, sendo a metade paga antes da prova, para receber as respostas, e depois, caso conseguisse passar no concurso, o candidato pagaria a outra metade.

A polícia já vinha investigando a possibilidade de fraude antes das provas serem realizadas, através de denúncias, conseguindo, assim, prender os envolvidos no crime.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Portal O DIA com informações do Castro Digital

Deixe seu comentário