• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia

Notícias Polícia

16 de julho de 2019

MPF denuncia grupo que fraudou INSS em mais de R$ 26 milhões

MPF denuncia grupo que fraudou INSS em mais de R$ 26 milhões

Quadrilha foi desbaratada na Operação Grande Família, da Polícia Federal, em maio deste ano no Piauí. Grupo falsificava documentos de beneficiários do INSS falecidos.

O Ministério Público Federal do Piauí (MPF-PI) encaminhou para a Justiça as denúncias contra 21 pessoas envolvidas em fraudes no INSS no Piauí. O grupo criminoso foi desarticulado em maio passado durante uma operação da Polícia Federal denominada de Grande Família e, segundo as investigações e o teor da denúncia, foram desviados mais de R$ 26 milhões em fraudes de benefícios.


Entenda:

Grande Família: PF deflagra operação contra fraudes na previdência 


A peça encaminhada pela procuradoria ao Tribunal de Justiça atesta que a organização criminosa agia de forma ordenada e se dividia em quatro núcleos: o núcleo familiar, o operacional-modal, o operacional de idosos e o núcleo composto por agentes públicos. O núcleo familiar era responsável pelo comando da organização criminosa. 

De acordo com o MPF, eram os seus integrantes que coordenavam a atuação dos demais agentes e agia na obtenção e falsificação de documentos, cartões magnéticos, comprovantes de endereço, operações bancárias, movimentação de valores dos benefícios mantidos ilicitamente e também no oferecimento de vantagens ilícitas.

O núcleo operacional-modal, por sua vez, deslocava os idosos do estado do Maranhão ao Piauí, bem como atuava no acompanhamento deles aos bancos, lotéricas e agências do INSS aqui no estado. Já o núcleo operacional dos idosos comparecia às agências bancárias do INSS e lotéricas, fazendo uso de documentos falsos produzidos pelos líderes da organização criminosa.


Operação foi deflagrada e coordenada pela Polícia Federal do Piauí - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Por fim, o núcleo dos agentes públicos, que era composto por dois servidores do INSS, facilitava a transferência de benefícios previdenciários do Maranhão para Teresina. Na denúncia encaminhada pelo MPF consta ainda o modus operandi dos criminosos: eles primeiro identificavam os beneficiários falecidos do INSS no Maranhão e falsificavam os documentos com os dados dos segurados e a foto de um dos membros do grupo, geralmente idosos cooptados pela organização.

Ficou atestado também que os servidores aliciados do INSS recebiam valores do grupo criminoso para fazer as transferências dos benefícios assistenciais. Como eles faziam essa transação no sistema do INSS, o próprio sistema reconhecia a atualização como prova de vida do beneficiário. Com isso, o falecido beneficiário continuava a receber os valores do INSS depositados na conta aberta no Piauí pela organização.


Denúncia contra os 21 indiciados foi oferecida à Justiça pelo Ministério Público Federal do Piauí - Foto: Elias Fontinele/O Dia

O MPF conclui a denúncia afirmando que o objetivo do grupo criminoso era obter vantagem econômica por meio da prática de estelionato qualificado – quando é praticado contra entidade pública. Os 21 indiciados foram denunciados também por falsificação de documento, falsidade ideológica, uso de documentos falsificados, inserção de documentos falsos em sistema de informações, corrupção passiva, prevaricação, corrupção ativa, apropriação de valores de benefícios de pessoas idosas e organização criminosa.

Caso a Justiça aceite a denúncia, eles saem da condição de acusados e passam à condição de réus.

Vítima toma arma e mata assaltante a tiros na Vila Bandeirantes

Vítima toma arma e mata assaltante a tiros na Vila Bandeirantes

A arma de fogo utilizada no crime não foi encontrada pela Polícia, a suspeita é de que o a vítima tenha fugido com o revólver.

Um suspeito de assalto foi morto durante confronto com a vítima na tarde desta segunda-feira (15) no bairro Vila Bandeirantes, na zona Leste de Teresina. Segundo informações da Polícia Militar, o suspeito, que não teve a identidade revelada, teria praticado vários assaltos na região durante a tarde de ontem.

O suspeito, que não teve a identidade revelada, teria praticado vários assaltos na região durante a tarde de ontem. (Foto: Chico Filho/ODIA)

Em uma das tentativas de assalto, o homem desceu da motocicleta e tentou assaltar um transeunte. No entanto, a vítima do assalto reagiu e os dois entraram em luta corporal, até que a vítima conseguiu tomar a arma, efetuando um disparo contra o bandido, que veio a óbito ainda no local do crime.

A arma de fogo utilizada no crime não foi encontrada pela Polícia, a suspeita é de que o a vítima tenha fugido com o revólver. Até o momento a Polícia não tem informações sobre quem teria sido o autor dos disparos, pois este se evadiu do local antes da chegada da PM.

O corpo do assaltante foi recolhido e encaminhado ao Instituto Médico Legal de Teresina para passar por reconhecimento.

Segundo homicídio

Um segundo homicídio foi registrado na noite de ontem na Capital. A vítima, que não teve o nome revelado pela Polícia, foi assassinada a tiros dentro de casa na Taboca do Pau Ferrado, na zona Sudeste. Um não identificado teria adentrado a residência e disparado vários tiros contra a vítima.

De acordo com o delegado Jarbas Limas, do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), a suspeita é de que a vítima, apesar de não possui antecedentes, tenha sido executada por envolvimento com o tráfico de drogas.

Até o momento a Polícia não tem informações sobre os suspeitos de terem cometido o crime.

PI: Homem é preso suspeito de investir em imóveis da milícia no Rio

PI: Homem é preso suspeito de investir em imóveis da milícia no Rio

A prisão ocorreu no âmbito da operação que apura desabamentos ocorridos por construções de prédios em locais irregulares no RJ.

Um homem foi preso na manhã desta terça-feira (16) suspeito de integrar uma quadrilha que investia na construção de imóveis irregulares de uma milícia que atua na cidade do Rio de Janeiro. A prisão foi efetuada pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) com apoio operacional da Divisão de Operações Especiais da Polícia Civil (DOE) na cidade de Cocal dos Alves, localizada a 280 km de Teresina.

A prisão do suspeito, identificado como Fernando Vieira de Brito, ocorreu no âmbito da operação que se desenvolve no Rio de Janeiro que apura desabamentos ocorridos por construções de prédios em locais irregulares. Em abril deste ano, dois prédios irregulares desabaram na comunidade da Muzema, na zona Oeste do Rio, matando 24 pessoas.

De acordo com o delegado Thales Gomes, coordenador do Greco, o suspeito preso atuaria na construção dos imóveis irregulares da milícia. "Segundo a informação que tivemos da Polícia do Rio é de que ele trabalhava na construção desses imóveis. Ele morava no Rio de Janeiro e quando estourou a operação em maio, ele retornou ao Piauí", afirma o delegado.

Desabamentos deixaram 24 pessoas mortas na região da Muzema. (Foto: Erica Martin/Folhapress)

A operação deflagrada pela Polícia Civil do Rio, em parceria com o Ministério Público do Estado, visa o cumprimento de 17 mandados de prisão, sendo que apenas um deles foi cumprido no Piauí. Os mandados foram expedidos pela 33ª Vara Criminal do RJ. Segundo o G1, a Justiça também deferiu a suspensão cautelar das atividades de duas empresas: a BLX Serviço de Engenharia Ltda e a Manuel Containers Andaimes Rio Eireli – Rio Containers.

Ao todo, 27 pessoas foram denunciadas por envolvimento em organização criminosa e outros delitos como: ocupação; loteamento; construção, venda, locação e financiamento ilegais de imóveis; ligações clandestinas de água e energia elétrica; corrupção de agentes públicos.

Até o momento não se tem confirmação sobre o envolvimento do preso no Piauí na exploração imobiliária clandestina na região da Muzema. Segundo o Greco, o Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente do Ministério Público do Rio de Janeiro e a Polícia Civil deste estado já foram comunicados da prisão e o preso será encaminhado para Teresina onde ficará à disposição da Justiça carioca.


15 de julho de 2019

PRF registra cinco mortes em acidentes na 1ª quinzena de julho

PRF registra cinco mortes em acidentes na 1ª quinzena de julho

Com o aumento do fluxo de veículos devido às férias escolares, também aumenta a quantidade de acidentes nas rodovias.

Com a chegada do mês de julho e das férias escolares, aumenta o fluxo de veículos do interior ao litoral e, consequentemente, o número de acidentes registrados nas rodovias que cortam o Piauí. Segundo a PRF, somente na primeira quinzena do mês de julho, 50 acidentes já foram contabilizados e cinco pessoas foram mortas nas rodovias federais que cruzam o Estado.

Dentre os acidentes registrados durante o período, 16 foram graves deixando 60 pessoas feridas. O último ocorreu na noite deste domingo (14), quando seis ciclistas foram atropelados quando trafegavam às margens da BR-343, próximo a Buriti dos Lopes. Entre os feridos estão uma grávida e uma criança de 9 anos.

Segundo a PRF, neste fim de semana, a quantidade de veículos comparado a finais de semana do mês de maio sofreu um acréscimo de 61,14%, o que torna o trânsito intenso na região.  A corporação espera que esse índice aumente ainda mais na segunda quinzena do mês de julho. 

PRF registra cinco mortes em acidentes na 1ª quinzena de julho. (Foto: Divulgação/PRF)

Até ontem, 3.075 pessoas foram submetidas ao teste de alcoolemia, 54 pessoas foram flagradas dirigindo sob efeito de álcool no sangue e 12 pessoas foram detidas por este mesmo motivo. Além disso, 200 pessoas foram flagradas realizando ultrapassagem em local proibido e 408 pessoas foram autuadas por estar conduzindo veículo acima da velocidade permitida para o local.   

Para evitar acidentes, é importante que os motoristas fiquem atentos às leis de trânsito e às sinalizações nas rodoviais. A PRF orienta a todos os condutores que devido ao grande fluxo de veículos nesse período, realizem uma revisão preventiva nos veículos e planejem a viagem utilizando os horários alternativos como forma de evitar engarrafamentos. 

Com o intuito de coibir infrações de trânsito que podem resultar em acidentes, a PRF intensificou a fiscalização nas rodoviais através de radares e etilômetros que estarão distribuídos em pontos estratégicos para impedir excessos cometidos por alguns condutores nos deslocamentos ao longo das rodovias do Estado.

Duas amigas são presas e confessam ter matado rival por 'rixa'

Duas amigas são presas e confessam ter matado rival por 'rixa'

Gilmara Veras Araújo foi atingida por várias facadas, não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local do crime.

Atualizada às 12h52

A Polícia Militar prendeu na manhã desta segunda-feira (15) três pessoas suspeitas de envolvimento na morte da jovem Gilmara Veras Araújo, assassinada com golpes de faca em uma festa ocorrida na Lagoa do Portinho na noite de ontem (14). Aos policiais, duas amigas identificadas como Bruna Vasconcelos Carvalho, de 20 anos, e Kelsiane de Araújo Miranda, de 21 anos, confessaram participação no crime.

A PM conseguiu chegar ao trio através de uma denúncia anônima de um popular, que teria informado ter visto os suspeitos em uma casa abandonada no bairro São Vicente de Paula, em Parnaíba. As duas jovens não resistiram a prisão e alegaram que o crime teria sido em legítima defesa, por causa de uma antiga desavença com a vítima. 

 Bruna Vasconcelos Carvalho, de 20 anos, e Kelsiane de Araújo Miranda, de 21 anos, confessaram participação no crime. (Foto: Reprodução/ Click Parnaíba)

Segundo a PM, a autora do crime teria sido Bruna Vasconcelos Carvalho. Após ver a amiga ser agredida pela vítima, Kelsiane teria desferido um golpe com um capacete contra Gilmara, em seguida Bruna teria desferido as facadas que ceifaram a vida da vítima. As duas se evadiram do local antes da chegada da Polícia. 

"Eu vou esperar ela bater com um litro em mim, é? Se não fosse a minha amiga dar uma capacetada nela, quem estava morta era eu. Se era pra estar morta eu ou ela, prefiro ela. Melhor a mãe dela chorar do que a minha", disse Bruna em entrevista. A suspeita informou ainda que sempre andava com a arma utilizada no crime por ter muitas inimigas. Após o crime, a arma foi descartada em um matagal.

David Alisson da Cruz Sousa, de 19 anos, namorado de Bruna, também foi preso por ter facilitado a fuga das duas suspeitas. Os três foram conduzidos à Central de Flagrantes de Parnaíba.

Matéria original

Uma mulher identificada como Gilmara Veras Araújo foi morta a facadas por volta das 19h30 deste domingo (14) em uma festa ocorrida na Lagoa do Portinho, na cidade de Parnaíba, um dos principais pontos turísticos do Piauí. Até o momento a Polícia não tem informações de quem teria cometido o crime.

Segundo informações do comando da Polícia Militar do município de Parnaíba, a corporação recebeu uma denúncia de que uma mulher havia sido esfaqueada na Lagoa do Portinho. Ao chegar ao local, os policiais se depararam com a vítima já em óbito.

De acordo com o tenente coronel Antônio Pacífico, comandante da Polícia Militar em Parnaíba, ainda não há confirmação sobre as circunstâncias do assassinato ou o que teria motivado o crime. 

Até o momento, a Polícia trabalha com duas hipóteses, uma de que a vítima teria sido imobilizada e morta por um grupo de mulheres e a outra de que teria sido morta pelo ex-companheiro. Se comprovado que a jovem foi morta por motivos de gênero, o quadro será enquadrado como feminicídio. 

O corpo de Gilmara Veras foi recolhido e encaminhado ao IML de Parnaíba. Equipes da PM continuam em diligências pela região em busca dos possíveis autores do crime.


Motorista atropela ciclistas nas margens da BR-343 e deixa 6 feridos

Motorista atropela ciclistas nas margens da BR-343 e deixa 6 feridos

Entre as vítimas está uma criança de nove anos em estado grave e uma gestante. Motorista foi submetido ao teste do bafômetro, mas resultado deu negativo.

Pelo menos seis ciclistas foram atropelados quando trafegavam pela margem da BR-343, próximo a Buriti dos Lopes, na noite deste domingo (14). Eles foram atingidos por um veículo modelo GM/Classic de placa NIE-8310/PI, cujo condutor, que não teve o nome informado, perdeu o controle da direção e acabou saindo da pista.

As vítimas ficaram gravemente feridas, segundo a Polícia Rodoviária Federal. Elas foram socorridas por populares e encaminhadas às pressas para o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba. Dentre elas está uma criança de nove anos, de nome Maria Larissa Sousa Lopes, que foi levada direto para o setor de estabilização e apresenta o quadro mais grave.


Vítimas deram entrada no Hospital Dirceu Arcoverde, em Parnaíba

Entre os feridos há também uma gestante de 28 anos, identificada como Irisnete dos Santos Silva, que sofreu pequenas lesões. O marido dela, o senhor Martiniano Pereira dos Santos, e seu outro filho, de nome Enzo Gabriel Pereira dos Santos, também foram atingidos e deram entrada no hospital. As outras vítimas foram identificadas como Lúcia Maria dos Santos, 53 anos, que sofreu uma fratura exposta no braço esquerdo e uma lesão na perna esquerda; e Efigênia Sousa de Jesus, 28 anos, que sofreu várias lesões pelo corpo.

O motorista do carro foi submetido ao teste de alcoolemia, mas, segundo a PRF, o resultado deu negativo. As causas do acidente ainda estão sendo apuradas.

14 de julho de 2019

Agente penitenciário morre após colisão entre veículos na BR-343

Agente penitenciário morre após colisão entre veículos na BR-343

Deusdedith Araújo, de 62 anos, era lotado no CDP de Altos e diretor do Sinpoljuspi

O agente penitenciário Deusdedith Araújo (62) morreu na noite deste sábado (13) ao colidir seu veículo Fiat/Strada na traseira no automóvel Ford/Fiesta, conduzido por uma mulher de 45 anos, que não teve o nome revelado. O acidente aconteceu na BR-343, KM 316,7, na cidade de Altos.

Deusdedith Araújo era lotado no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Altos e diretor do Sinpoljuspi (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a colisão ocorreu por volta das 19h. A PRF foi acionada para atender a um acidente do tipo colisão traseira e, de acordo com os levantamentos feitos pelos agentes, o veículo de Deusdedith Araújo não estava com devida distância de segurança e teria colidido na traseira do veículo de outra motorista, que sofreu apenas ferimentos leves.

Com a colisão, o agente penitenciário teria perdido o controle do veículo e caído em uma ribanceira. A Polícia Civil e o IML (Instituto Médico Legal) foram acionados e estiveram no local para a remoção do corpo da vítima.

Ainda de acordo com a PRF, no momento do acidente o céu estava claro, a pista de rolamento estava seca e não havia precipitação pluviométrica.

Notas de pesar

A diretoria do Sinpoljuspi e a Secretaria de Justiça do Estado do Piauí (Sejus) lamentaram o ocorrido e divulgaram nota de pesar pela morte de Deusdedith Araújo.

Sinpoljuspi

A Diretoria do Sinpoljuspi, informa com pesar, o falecimento do nosso grande amigo, companheiro e diretor desta entidade, Deusdedit Soares de Araujo. A sua morte nos pegou de surpresa e o levou de nós repentinamente. Neste momento de dor e consternação, só nos cabe pedir a Deus que o ilumine e lhe dê paz, e que Deus dê conforto à sua família para que possam enfrentar esta imensurável dor com serenidade. Agradecemos imensamente o tempo que pudemos conviver com ele, que será sempre lembrado pelo profissionalismo, competência e sensibilidade para lidar com as adversidades e conflitos humanos. Devemos sempre lembrar que Deus quer ao seu lado os melhores, e com certeza o nosso amigo já está ao lado do Senhor cumprindo uma nova missão.

Deixamos os nossos mais sinceros pêsames aos familiares e amigos.

Sejus

Com profundo pesar, a Secretaria de Justiça do Estado do Piauí (Sejus-PI) recebeu neste sábado (13) a notícia do falecimento do agente penitenciário Deusdedith Araújo, vítima de acidente automobilístico. A Sejsus, em nome de todos que fazem o Sistema Penitenciário do Piauí, presta condolências e se solidaria com os familiares e amigos. 

13 de julho de 2019

Fiscal debocha de comerciante que prestou socorro a cão atropelado

Fiscal debocha de comerciante que prestou socorro a cão atropelado

Caso ocorreu na última quarta-feira, na parada final dos ônibus no bairro Cidade Leste.

Moradores do bairro Cidade Leste e a ONG "Abrigo Patas de Anjos" denunciaram à reportagem do portal O DIA que um ônibus da empresa Cidade Verde atropelou um cachorro de rua na tarde da última quarta-feira (10), e os funcionários da empresa não prestaram socorro ao animal.

Segundo um comerciante, que pediu para não ser identificado, além de não ter auxiliado no socorro ao cão, um fiscal que presenciou o atropelamento ainda debochou da situação, dizendo que a culpa tinha sido do cachorro que estava no meio do caminho. 

Com o atropelamento, o quadril do cão foi esmagado e os testículos estouraram. 

Para tentar salvar a vida do animal, o comerciante e um amigo levaram o cão até o Hospital Veterinário Universitário (HVU) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), onde ele chegou a ser atendido, mas acabou não resistindo.

"O fiscal presenciou toda a cena e em vez de me ajudar, ele se omitiu. Eu tive que fazer o socorro sozinho. Pedi a ajuda de um amigo, que fechou a loja dele e foi comigo até o Hospital Veterinário da UFPI deixar o cachorro", relata o comerciante.

Os dois ainda custearam todas cobranças pelos procedimentos realizados no hospital da universidade. 


A protetora de animais Ediarla Rodrigues, que comanda a ONG "Abrigo Patas de Anjos", afirma que registrou um boletim de ocorrência para denunciar a omissão de socorro e o comportamento do fiscal. 

"O fiscal simplesmente debochou da situação, dizendo que o animal era o culpado, por estar na rua. Estamos esperando a empresa ser chamada, pra saber o que pode ser feito. A gente recebe relatos de casos como esse em outras regiões. Infelizmente, precisamos fazer uma conscientização, de que animal não é uma pedra. Animal é um ser vivo, que sente dor, sente frio e precisa ser bem tratado, ter respeito", afirma Ediarla.

Atropelamentos são comuns

O comerciante que socorreu o cachorro acrescenta que este não é o primeiro caso de atropelamento de animais na parada final dos ônibus no bairro Cidade Leste. 

Uma moradora já registrou fotos e vídeos de outros animais que também foram atropelados por ônibus na região recentemente.

12 de julho de 2019

Depre apreende na zona Norte droga avaliada em R$ 350 mil

Depre apreende na zona Norte droga avaliada em R$ 350 mil

Cinco pessoas foram autuadas por suspeita de tráfico de drogas, inclusive uma mulher grávida.

A Polícia Civil do Piauí efetuou, no início da tarde desta sexta-feira (12), a apreensão de 7,5 kg de cocaína no bairro Memorare, zona Norte da capital. A droga está avaliada em cerca de R$ 350 mil, de acordo com o delegado Marcelo Dias, da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre).

Cinco pessoas foram autuadas por suspeita de tráfico de drogas: Baltazar Feitosa de Melo (o Neto do Vale), que seria o líder do grupo; Handerson da Silva de Souza; Roney Petrison Pereira Guedes; Dougas dos Santos Alves; e Clara Gabriela Araújo Gomes.

Os policiais da Depre ainda apreenderam dois veículos que estavam em poder dos suspeitos.

"A gente já vinha preparando essa operação desde o ano passado, monitorando o Neto do Vale, que é bastante conhecido na região, e hoje a gente conseguiu deflagrar a operação. Prendemos quatro homens e uma mulher, que é esposa dele [Neto do Vale] e está grávida. Foram apreendidos 7,5 kg de cocaína pura, com valor estimado de aproximadamente R$ 350 mil, além de dois veículos", detalha o delegado Marcelo Dias.

De acordo com a Polícia, no momento da prisão os suspeitos tinham acabado de chegar com a droga, que teria sido trazida dos estados de Mato Grosso e Rondônia.

"Um dos presos é o dono da droga, que foi quem fez o fornecimento para o Neto. Depois que fizemos a apreensão da droga e prendemos o fornecedor, nós também prendemos o traficante aqui de Teresina, que era o Neto, outro homem que atua com ele, e nós também conseguimos prender a pessoa que veio dirigindo até Teresina no carro com a droga, um Hyundai HB20. Ele estava num hotel aqui de Teresina", acrescenta o delegado Marcelo Dias.

Nenhuma arma de fogo foi apreendida em poder dos suspeitos.

11 de julho de 2019

Com 51 pessoas presas, Operação Impact continua no Piauí

Com 51 pessoas presas, Operação Impact continua no Piauí

Segundo a Polícia Civil, os presos são acusados de crimes de alta periculosidade, como roubos a mão armada e homicídios.

Na manhã desta quinta-feira (11) foi dada continuidade às ações da Operação Impacto, que tem como objetivo dar cumprimento a mandados de prisão relacionados a prática de diversos crimes em todo Piauí. Segundo a Polícia Civil, até o momento 51 pessoas foram presas acusadas de crimes como roubos e homicídios. Destas, 34 prisões foram realizadas ontem (10) e outras 17 nesta quinta. 

A Operação Impact, deflagrada na manhã de ontem, também resultou na apreensão de quatro menores suspeitos de envolvimentos em crimes e de quatro armas, drogas e dinheiro. A ação está sendo comandada pelo delegado geral Luccy Keiko e coordenada pelo delegado Matheus Zanatta, gerente de polícia especializada.


Leia também:

15 acusados de roubos e homicídios são presos em operação 


Em entrevista ao ODIA, o delegado geral Lucy Keikko informou que os alvos da operação são foragidos da Justiça e incluem também presos sentenciados que não cumpriram pena por não terem sido localizados. "Os crimes que eles praticam são de alta periculosidade e envolvem extrema violência às vítimas”, destacou o delegado na manhã de ontem.

Equipe da Força Tarefa da SSP durante ações da Operação Impact. (Foto: Divulgação/SSP)

Em pouco mais de 24 horas de operação, já foram cumpridos mandados de prisão nas cidades de Teresina, Altos, São João do Piauí, Piripiri, Parnaíba, Uruçuí, Água Branca, Oeiras, Inhuma, Floriano, Castelo, José de Freitas, Pedro II, Picos, Floriano, União, Esperantina, Piracuruca e nas cidades maranhenses de Timon e Bacabal.

Entre os presos de hoje está José Werick Otávio Pereira de Nascimento, citado em dez processos criminais, sendo quatro relacionados a roubos e um homicídio, e cinco procedimentos análogos a crime quando ainda era menor de idade. Somado a isto, José Werick também teria ameaçado de morte a um policial civil anos atrás.

A Operação Impact prossegue durante toda a quinta-feira. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, novos mandados de prisão devem ser cumprido ao longo do dia e um novo balanço com mais informações será divulgado no fim da tarde.

Parque Rodoviário: OI Telemar é indiciada por crime ambiental

Parque Rodoviário: OI Telemar é indiciada por crime ambiental

Empresa alegou que fazia vistorias regulares no local e PMT reiterou que o clube não estava no mapa de risco. Inquérito será encaminhado à Justiça esta semana.

A Delegacia do Meio Ambiente concluiu o inquérito que apura a tragédia acontecida no Parque Rodoviário em abril deste ano e indiciou a empresa Oi Telemar por crime ambiental doloso. A empresa de telefonia é a responsável pelo clube onde ficava a lagoa que rompeu e destruiu 40 casas, deixando duas pessoas mortas.

De acordo com o delegado Edenilza Viana, titular da Divisão de Meio Ambiente, a perícia feita no local do desastre atestou que a força da água que transbordou da lagoa causou não só a destruição da vegetação, como também provocou a erosão do solo da região. A empresa responsável pelo clube alegou, em depoimento de seus representantes, que fazia vistorias regulares no local, tendo a última sido feita, inclusive, dois meses antes da tragédia.


Foto: Poliana Oliveira/O Dia

“Mesmo assim, o dano ambiental foi muito alto. No entanto, como ficou comprovado que o local tinha realmente passado por inspeções recentes, o indiciamento será por crime doloso e não culposo, que é quando há a intenção de cometê-lo”, explicou a delegada Edenilza. A Prefeitura de Teresina também foi mencionada no processo, mas o ente municipal alega que a área onde fica o clube da Telemar não constava no mapa de risco. “Segundo a administração pública, não havia qualquer relatório ou documento que indicasse uma ameaça de rompimento, conforme os protocolos por ela adotados”, finaliza a delegada.

O relatório completo será fechado e encaminhado pela Delegacia do Meio Ambiente ao Ministério Público ainda esta semana. A partir daí, o ente ministerial analisará as provas materiais e decidirá se representará ou não pela denúncia dos indiciados à justiça.


Foto: Poliana Oliveira/O Dia

A que diz a empresa

A reportagem do Portal O Dia entrou em contato por e-mail com a assessoria da empresa Oi Telemar. A empresa disse apenas que não comenta casos que ainda estejam em andamento.

A targédia

Foi na noite do dia 04 de abril que as paredes de contenção do clube da Oi se romperam, após a lagoa que havia no interior do local encher com as fortes chuvas e acabar transbordando. A força da água destruiu pelo menos 40 casa, deixou vários feridos e duas pessoas mortas. Na ocasião, a Prefeitura disse que a região não constava como sendo área de risco no mapa traçado para o período chuvoso deste ano. Equipes do poder público foram deslocadas para prestar assistência aos desabrigados e em junho as casas destruídas começaram a ser reerguidas por equipes da SDU-Sul.

10 de julho de 2019

Divisão de capturas realiza operação para cumprir mandados de prisão

Divisão de capturas realiza operação para cumprir mandados de prisão

A Operação Impact foi deflagrada nas primeiras horas da manhã desta quarta (10) e mira em presos foragidos e também presos sentenciados que nunca começaram a cumprir a pena.

Pelo menos 15 pessoas já foram presas e um menor apreendido na manhã desta quarta-feira (10), durante os desdobramentos da Operação Impact, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Capturas. São acusados de crimes como roubos e homicídios praticados tanto em Teresina, quanto no interior do Estado. 

Secretário Fábio Abreu durante ações da Operação Impact. (Foto: Divulgação/SSP)

“Tratam-se de foragidos da Justiça e entre os alvos dos mandados há inclusive presos sentenciados e que nunca nem começaram a cumprir a pena porque nunca foram localizados. Os crimes que eles praticam são de alta periculosidade e envolvem extrema violência às vítimas”, ressalta do delegado geral de Polícia Civil do Piauí, Luci Keikko.

Equipe da Força Tarefa da SSP durante ações da Operação Impact. (Foto: Divulgação/SSP)

Os mandados da Operação Impact estão sendo cumpridos em Teresina, Inhuma, Parnaíba e Altos. Sete dos alvos foram detidos na Capital, um em Altos e um em Inhuma. As demais prisões ainda não tiveram as informações divulgadas pela Polícia. A previsão é de que a ação só termine amanhã (11), com o cumprimento de todos os mandados em aberto. 

Equipe da Força Tarefa da SSP durante ações da Operação Impact. (Foto: Divulgação/SSP)

“Vamos ter mais prisões, porque o nosso objetivo é dar vencimento o quanto antes no maior número possível de mandados de prisão em aberto junto à Dicap. Até o momento tivemos êxito nas ações e esperamos que continuemos assim até a conclusão de todos as diligências”, finaliza o delegado Luci Keikko.

Secretário Fábio Abreu e delegado geral Lucy Keikko. (Foto: Divulgação/SSP)

Até o momento, a Polícia Civil já identificou os seguintes presos:

- Valmir José da Silva - preso em Inhuma por posse de arma de fogo

- Antônio Soares Farias Filho, vulgo Pequeno - preso preventivamente por homicídio

- Danilo Pereira de Oliveira - preso por roubo

- Marlene Rodrigues da Silva - presa por tráfico de drogas

- Elton felipe de sousa - preso por furto qualificado

- Leônidas Alves da Silva - preso por roubo

- Jailson de Oliveira Morais - preso por roubo

- Maciel José Alves da Silva - preso por roubo

- Vitório de Sousa Lopes - preso em Água Branca por homicídio

- Helio Alves Ferreira - preso por roubo majorado e estupro

- Ibrahin Santos Silva - preso por roubo majorado 

Três são presos por roubarem material de obra da Prefeitura

Três são presos por roubarem material de obra da Prefeitura

Um vigia roubou a carga, que estava avaliada em R$ 25 mil, e vendeu para comerciantes na cidade de José de Freitas.

A Polícia Civil, em parceria com a Polícia Militar, conseguiu prender nesta terça-feira (09), três pessoas suspeitas de terem participado do roubo de materiais de construções da obra do Parque Ambiental da Macaúba, de responsabilidade da Prefeitura de Teresina. O roubo aconteceu na tarde da segunda-feira (08), quando o vigia da construção e o irmão dele conseguiram desviar o caminho da carga, avaliada em R$ 25 mil, e leva-la para a cidade de José de Freitas, onde venderam o material.


Foto: Divulgação/Polícia Civil

Dentro do caminhão havia cimento, grades, tinta e demais materiais que seriam utilizados na obra. O veículo foi localizado ontem na cidade de José de Freitas pela Força Tarefa da Secretaria de Segurança. De acordo com o major Audivan Nunes, o caminhoneiro que conduzia o veículo foi enganado pelo vigia e seu irmão. “Encontramos o material em um depósito e conduzimos para a Central de Flagrantes o dono do lugar, que comprou a mercadoria roubada, e mais dois comerciantes que também teriam adquirido os objetos”, relatou.

Os presos foram identificados como sendo César Alves da Silva, Marcos Soares Pereira e José do Carmo Araújo. Eles foram autuados pelo crime de receptação. A polícia está atrás do vigia e de seu irmão, que não tiveram os nomes divulgados. Segundo a PM, o vigia era funcionários de uma empresa terceirizada que presta serviços à construtora responsável pela obra.

09 de julho de 2019

Primos que roubaram R$ 500 mil em joias de um ateliê são presos

Primos que roubaram R$ 500 mil em joias de um ateliê são presos

Edson Marle Bacelar e John Lennon Bacelar foram presos em União, junto com um comparsa, de nome Maycon Moura. Eles também roubaram R$ 800 mil em celulares de uma loja em Teresina.

A Polícia Civil, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), prendeu nesta segunda-feira (08) três pessoas acusadas de participarem do roubo a uma joalheria no Centro de Teresina e a uma loja de departamento também localizada na Capital. Identificados como Edson Marle Bacelar da Silva, John Lennon Bacelar de Carvalho e Maycon Araújo de Moura, eles foram detidos em União. Edson e John Lennon, além de parceiros no crime, também são primos e costumavam cometer delitos juntos.

A informação foi confirmada pelo coordenador do Greco, delegado Thales Gomes. Os crimes pelos quais eles respondem aconteceram em julho do ano passado (o roubo à joalheria) e no começo deste ano (o roubo ao depósito da loja de departamentos). “Do ateliê de joias, que fica no Centro, eles subtraíram cerca de R$ 500 mil em peças, e da loja de departamento, eles subtraíram R$ 800 mil em aparelhos celulares. Parte da carga deste segundo roubo ainda chegou a ser recuperada no dia seguinte”, explica o delegado.

Após o roubo á joalheria, Edson e John Lennon ainda chegaram a ser abordados por uma guarnição da Polícia Militar e encaminhados para a Central de Flagrantes, mas não chegaram a ser autuados. No entanto, aquela abordagem deu subsídios para que a Polícia Civil avançasse nas investigações, que já apontavam que os dois, além do elo de parentesco, agiam em conjunto, arquitetando roubos de altas quantias na cidade.


John Lennon Bacelar, Edson Marle Bacelar e Maycon Moura - Foto: Divulgação/Polícia Civil

John Lennon e Edson sempre costumavam também ter como comparsa em suas ações criminosas a figura de Maycon. De acordo com o delegado Thales, este já o terceiro procedimento que Lennon e ele respondem juntos, o que mostra uma estabilidade e padrão nas ações do grupo.

“No total, os três já possuem em seus nomes quatro procedimentos policiais em Teresina e dois em União. Por isso representamos por suas prisões preventivas: para evitar que eles se evadissem, porque estes não são os únicos crimes pelos quais eles respondem”, finalizou o coordenador do Greco.

Edson, John Lennon e Maycon foram trazidos para Teresina e já encaminhados para o sistema prisional. A Polícia Civil pede que quem tenha mais informações sobre outras ações do grupo ou que por acaso os reconheçam, que entre em contato pelo WhatsAppp do Greco, no número 99978-0749. O contato também é canal de recebimentos de outras denúncias.

08 de julho de 2019

Madison sobre eventos culturais: 'sem bandas nacionais, não vão'

Madison sobre eventos culturais: 'sem bandas nacionais, não vão'

Deputado é contra restrição de recursos de emendas parlamentares para contratação de artistas de fama nacional.

O deputado João Madison (MDB) disse nesta segunda-feira (8), em entrevista à rádio O DIA FM (92,7 MHz), que acredita na aprovação, em plenário, da sua emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que prevê a possibilidade de os deputados destinarem recursos para a contratação de artistas nacionais em eventos culturais realizados no estado, como festivais de música, feiras agropecuárias e exposições.

Na semana passada, o deputado estadual Franzé Silva (PT), relator da LDO na Assembleia, rejeitou a emenda de Madison que continha essa proposta, e que foi apresentada em conjunto com o deputado Gessivaldo Isaias (PRB).

Durante sessão na Comissão de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação da Alepi, na última quarta-feira (3), Madison protagonizou uma ríspida discussão com Franzé, que foi chamado de "demagogo" pelo emedebista.

Nesta segunda, Madison apresentou um tom bem mais diplomático ao tratar sobre a questão, mas alertou que, sem a presença de bandas famosas nacionalmente, os eventos culturais do estado dificilmente conseguirão atrair um grande público. 

O deputado João Madison é contra proibição de uso de recursos públicos para contratação de artistas de fama nacional (Fotos: Elias Fontinele / O DIA)

"Na hora de fazer um evento grande, se você não tiver bandas nacionais as pessoas não vão. E você precisa ter [as bandas nacionais] até pra você vender. A minha proposta é que seria 50% [dos recursos das emendas] para bandas locais e 50% para bandas nacionais. Porque fica inviável para qualquer festa que você faça [não ter artistas de fama nacional]. Como é que você vai poder ajudar os municípios? Como é que você vai fazer as exposições no estado do Piauí?", questiona Madison, que participa da organização de alguns dos principais eventos agropecuários do estado.

Para o deputado MDB, o problema não será resolvido nem mesmo os eventos com mais de cinco anos ficarem de fora dessa restrição, conforme está previsto no texto da LDO aprovado na comissão. Madison pondera que algumas das principais exposições realizadas no estado têm menos de cinco anos, e, portanto, seriam atingidas pela vedação.

Madison foi entrevistado nos estúdios da rádio FM O DIA, 92,7 MHz (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

"Nós temos mais de oito exposições que estão no calendário. Por exemplo, a exposição de Piripiri tem três anos, mas é uma exposição grande. Tivemos a ExpoTeresina agora, teremos outra grande exposição em dezembro, e tudo isso não dá para o Governo do Piauí fazer apenas com recursos próprios. Tem que ter as nossas emendas. Mas eu acredito que a minha proposta será aprovada em plenário. Eu quero aqui parabenizar o deputado Franzé e o deputado Nerinho. Estamos dialogando, para ver se essa nossa emenda é aprovada no plenário, colocando os 50 a 50 (por cento)". afirmou Madison.

Crise na saúde pública

João Madison também falou sobre a crise na saúde pública do estado. Segundo o emedebista, não se pode negar que o Governo do Estado tem responsabilidade sobre a situação crítica observada nos hospitais públicos. Porém, Madison considera que a principal razão para as dificuldades enfrentadas pelo setor é a escassez de recursos federais.

Madison ainda elogiou o trabalho de monitoramento das unidades da rede estadual de saúde que está sendo feito por uma comissão de deputados estaduais. 

Agressão: sem acordo, árbitra processará atleta agressor

Agressão: sem acordo, árbitra processará atleta agressor

“Esperava atitude diferente, mas ele fez outra coisa. Não queria passar por tudo de novo”, afirmou Eliete Fontenele sobre audiência de conciliação.

Aconteceu na semana passada a audiência de conciliação do caso da árbitra Eliete Fontenele, que foi agredida por um jogador durante uma partida de futsal realizada pela Universidade do Vale do Delta, em Parnaíba. No entanto, para quem esperava o desfecho do episódio, houve frustração, já que nenhuma das partes chegou a um acordo. O acusado, o estudante Rodrigo Quixaba, alegou não ter condições de arcar com os valores estipulados pela Justiça na indenização.

O Portal O Dia conversou com a árbitra Eliete Fontenele. Ela disse que vai acionar a Justiça e processar o estudante, agora, por danos morais. O rapaz já responde ao processo por lesão corporal por ter atingido a mulher com um soco no rosto após receber um cartão vermelho e ter sido expulso do jogo. Eliete acrescenta ainda que fica chateada de ter de passar por mais burocracia em outro processo, mas que não desistirá.

“Pensei que poderia resolver logo ali, esperava uma atitude diferente dele, mas ele alegou que não quis me agredir e que não tem como arcar com os custos da indenização que estavam sendo discutidos. Isso me faz acreditar que se ele tiver a chance, é capaz de ele fazer de novo, porque até o momento o processo não deu em nada para ele. Fico triste e chateada, porque ainda vou ter que encontra-lo posteriormente e eu realmente não queria isso”, declara a árbitra.

Veja o vídeo do momento da agressão:


Eliete acrescentou que sua advogada já está tomando os procedimentos cabíveis para abrir uma ação por danos morais por conta do constrangimento da audiência e que aguarda o posicionamento da justiça sobre o caso. A advogada dela disse que não comentará nada a respeito no momento.

A reportagem procurou a defesa do estudante Rodrigo Quixaba, mas ninguém foi encontrado. O espaço fica aberto para futuros esclarecimentos.

Entenda

A árbitra de futebol, Eliete Fontenele, foi agredida com um soco no rosto durante uma partida de futsal realizada pela Universidade do Delta do Parnaíba no dia 03 de junho passado. Na ocasião, se enfrentavam no torneio os times dos cursos de Ciências Contábeis e Engenharia de Pesca. A árbitra aplicou um cartão vermelho contra o estudante Rodrigo Quixaba (Engenharia de Pesca), que lhe desferiu o golpe.

O momento foi registrado em vídeo pelos torcedores e chocou tanto a comunidade acadêmica quanto o público de fora da universidade que compartilhou as imagens. A administração superior da Universidade do Delta do Parnaíba chegou a se pronunciar por meio de nota e repudiou a atitude do jogador, afirmando que abriu processo administrativo para apurar sua conduta.

Alguns estudantes chegaram a pedir a expulsão de Rodrigo Quixaba da instituição e várias Associações Atlético-Acadêmicas (AAA) se manifestaram, condenando a agressão e exigindo medidas efetivas da universidade quanto ao ocorrido.

Em depoimento à polícia dias depois do ocorrido, Rodrigo Quixaba disse não ter tido a intenção de agredir Eliete, que agiu no calor do momento e que não lhe atingiu com o soco porque ela era mulher. Ele assinou um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) e foi liberado em seguida.

07 de julho de 2019

Bandidos explodem caixas eletrônicos na Frei Serafim

Bandidos explodem caixas eletrônicos na Frei Serafim

Ação criminosa se deu em um posto de autoatendimento da Caixa Econômica em um posto de combustível próximo à Igreja São Benedito.

Criminosos armados atacaram um posto de autoatendimento da Caixa Econômica Federal, localizado em posto de combustível na Avenida Frei Serafim, por volta das 4h17min da manhã deste domingo (07). Eles instalaram explosivos em três caixas, mas apenas um explodiu e o grupo ainda fugiu sem levar a quantia devido á chegada da polícia.

A informação foi confirmada pelo coronel Maurício Lacerda, que é o comandante do 1º BPM de Teresina. De acordo com ele, os suspeitos teriam aproveitado que domingo é um dia de pouco movimento no Centro de Teresina e agiram em um horário em que o posto de combustível ainda não tinha começado a funcionar, portanto não haviam funcionários nem clientes no local.

“Nós temos viaturas que sempre ficam fazendo ronda por ali e nossos homens perceberam a movimentação suspeita, tanto que não demorou nem três minutos para que a guarnição mais próxima chegasse depois que se ouviu o estrondo. Os criminosos tiveram que fugir do local o mais rápido possível e não conseguiram levar nada. Deixaram só um caixa destruído, porque até os outros dois em que eles instalaram explosivos não chegaram a serem detonados”, relata o coronel.


Foto: Reprodução/Whatsapp

Segundo a Polícia Militar, o grupo criminoso era formado por três a quatro homens que estariam trafegando em veículo modelo Chevrolet Corsa. Eles usaram como rota de fuga as ruas do Centro de Teresina, pegando a via em direção ao Instituto Federal, que fica um quarteirão por trás do posto do posto de gasolina aonde estão instalados os caixas.

“A gente sempre tem um plano de contenção muito rápido e isolamos o local para preservá-lo para a perícia da Polícia Federal. Estamos em buscas, mas até o momento sem indicações de prisões. A Polícia Civil também já foi acionada para iniciar as investigações e tentar identificar esses suspeitos, então acredito que será dada uma resposta rápida a isso”, finalizou o coronel Lacerda.

A Caixa Econômica Federal não informou nada a respeito de valores e disse que se manifestará posteriormente sobre o caso.

PRF prende cinco transportando drogas sintéticas na BR-343

PRF prende cinco transportando drogas sintéticas na BR-343

Entre as substâncias encontradas no interior do veículo estava uma droga conhecida como “bala” e LSD. Havia também dinheiro e material para preparação de entorpecentes.

Cinco pessoas foram presas pela Polícia Rodoviária Federal do Piauí, transportando drogas sintéticas no interior de um veículo na BR-343, altura do Km 189, próximo à cidade de Piripiri. Os suspeitos eram duas mulheres, de 22 e 26 anos; e três homens, de 21, 24 e 29 anos. Eles estavam em um veículo modelo Fiat Argo, quando foram parados em uma barreira.


Foto: Divulgação/PRF

O que chamou a atenção dos inspetores foi a agitação e nervosismo que os ocupantes do carro aparentavam. Ao fazerem uma verificação no veículo, eles encontraram dez unidades de uma droga sintética conhecida como “bala”, oito unidades de LSD, aproximadamente 10 gramas de substância análoga a cocaína e mais 30 gramas de substância análoga a maconha.

“Havia ainda uma quantia de R$ 710,00 no carro e materiais para uso e preparação para venda de drogas. Eles foram questionados sobre de quem era a droga e dois disseram serem os donos, mas todos os cinco foram autuados por tráfico e associação ao tráfico”, explicou o inspetor Alexandro Lima, porta-voz da PRF-PI.

O material apreendido e os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia Regional de Piripiri para os procedimentos legais.


Foto: Divulgação/PRF

Condutor é preso por dirigir embriagado

Ainda na BR-343, a PRF prendeu um motorista de 33 anos que conduzia seu veículo, um Fiat Strada, sob efeito de bebida alcoólica. Submetido ao teste do bafômetro, o teor alcoólica constatado no organismo dele chegou a 1,42 miligramas por litro de ar expelido pelos pulmões. O índice, de acordo com a PRF, é considerado alto.

Ele foi autuado por conduzir veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool, e conduzido para a Polícia Civil de Parnaíba para os procedimentos legais.

 Vale lembrar que, só este ano, a PRF já faz 31.775 testes do bafômetro nas rodovias federais que cortam o Piauí. Destes, 628 resultaram em autuações e 125 em prisão por condução de veículo sob efeito de álcool.

Jovem morre ao bater o carro em caçamba de lixo no bairro Promorar

Jovem morre ao bater o carro em caçamba de lixo no bairro Promorar

Ele foi identificado como José Renato Soares. Este já é o segundo acidente grave que acontece em THE no fim de semana. Na zona Norte, mãe e filha ficaram gravemente feridas após colisão.

Um jovem de 24 anos, identificado como José Renato Soares, morreu por volta das cinco horas da manhã deste domingo (07), após bater o veículo que conduzia com uma caçamba de lixo na avenida principal do bairro Promorar, a avenida Ulisses Guimarães. Policiais da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran) estiveram no local e, segundo a perícia, Renato teria perdido o controle do veículo.

“A colisão foi frontal e tão forte que ele morreu no local. Quando chegamos, ele já estava sem vida. A parte da frente do carro ficou bem destruída, mas ainda não sabemos dizer se ele estava com excesso de velocidade ou infringindo alguma lei. A princípio, parece ter sido não havia nenhuma irregularidade na condução do veículo”, foi o que informou o subtenente Armando, que esteve com a guarnição no local.


Foto: Divulgação/PM-PI

Ainda segundo a polícia, José Renato foi o único envolvido no acidente, já que só havia ele no veículo no momento. O Ford Ká preto que ele conduzia tinha a identificação de uma loja de informática. Uma equipe do Instituto Médico Legal já esteve no local para perícia e remoção do corpo.

Este já o segundo acidente de trânsito considerado grave neste fim de semana em Teresina. Na noite da última sexta (05), um veículo modelo Fiat Palio colidiu com uma motocicleta, perdeu o controle e invadiu uma lanchonete nos cruzamentos da Rua Sergipe com Tamandaré, no bairro Pirajá, zona Norte da Capital. O acidente deixou três pessoas gravemente feridas, sendo que duas delas eram mãe e filha e tiveram membros decepados, devido ao impacto da colisão.

06 de julho de 2019

Vídeo mostra carro invadindo lanchonete na zona Norte

Vídeo mostra carro invadindo lanchonete na zona Norte

Pelas imagens é possível ver o exato momento em que o veículo colide com a moto no cruzamento e invade a hamrbugueria.

Um vídeo registrado por câmeras de segurança mostram o momento exato em que o motorista de um veículo Fiat Palio colide com uma motocicleta Honda Biz, perde o controle da direção e invade uma lanchonete nos cruzamentos da Rua Sergipe com Tamandaré, no bairro Pirajá, zona Norte de Teresina. O acidente ocorreu por volta das 23h e deixou três vítimas em estado grave, sendo duas delas mãe e filha que tiveram membros decepados com a colisão.


Pelas imagens é possível ver o exato momento em que o veículo colide com a moto no cruzamento. Em questão de segundos o motorista perde o controle da direção e invade uma hamburgueria. Em desespero, muitos clientes correm e conseguem sair do alcance do carro, mas uma mulher e uma criança que estavam no local acabam sendo atingidas. A mãe, identificada pelas iniciais E. G., de 33 anos, teve o braço decepado, enquanto a filha, identificada pela inicias A.J., de 10 anos, perdeu a mão no atropelamento.

Além das duas, o condutor da motocicleta também teve lesões graves. As três vítimas foram resgatadas e encaminhadas para atendimento médico no Hospital de Urgência de Teresina.

O motorista do Fiat Palio, identificado como I. F. , de 23 anos, foi conduzido para a Central de Flagrantes, onde foi submetido ao exame de alcoolemia. Segundo a Polícia Militar, o resultado do exame deu negativo para embriaguez.

05 de julho de 2019

Presos da Major César moravam em casebre, denuncia Sinpoljuspi

Presos da Major César moravam em casebre, denuncia Sinpoljuspi

Segundo a denúncia, três presos moram no local. Casebre foi construído com madeiras, lonas e telhas.

Nesta quinta-feira (4), um vídeo divulgado pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) mostrou a existência de um casebre improvisado por detentos dentro das dependências da Colônia Agrícola Major César. Segundo a denúncia, três presos moram no local.

Presos da Major César moravam em casebre, denuncia Sinpoljuspi. (Foto: Divulgação/Sinpoljuspi)

Pelas imagens é possível perceber que a estrutura do casebre erguida ao lado de uma horta é coberta com telhas e as paredes foram construídas com lonas e madeira. Dentro do imóvel, os detentos contavam com redes, cama e poucos eletrodomésticos, como ventiladores, uma TV e um pequeno fogão elétrico.


Segundo o Sinpojulspi, o casebre foi construído ao lado do local onde estava a casa em que foi encontrado um menor no ano de 2017. Na época, um adolescente de 11 anos foi encontrado dormindo junto com um dos detentos condenado por estupro. O caso teve grande repercussão nacionalmente.

Presos da Major César moravam em casebre, denuncia Sinpoljuspi. (Foto: Divulgação/Sinpoljuspi)

“A situação de 2017 para cá não mudou muito, acredito até que tenha piorado, porque tiraram o telhado da casa antiga e depois os presos construíram essa choupana”, enfatiza José Roberto Oliveira, 2º vice-presidente do Sinpoljuspi.

Sobre denúncia, a Sejus informou que está investigando o fato para que se tomem, de imediato, as providências cabíveis.

Presos da Major César moravam em casebre, denuncia Sinpoljuspi. (Foto: Divulgação/Sinpoljuspi).

Polícia prende suspeito de provocar incêndios em ônibus de Teresina

Polícia prende suspeito de provocar incêndios em ônibus de Teresina

As investigações do Greco apontam que Alan teria sido um dos responsáveis pela compra de gasolina e por ter ateado fogo nos ônibus.

Foi preso na manhã desta sexta-feira (5), um dos homens suspeitos de ter participação nos incêndios a ônibus coletivos ocorridos em Teresina no mês de março deste ano. O investigado, identificado como Alan Antônio de Mendonça, vulgo Alan Maguin, foi preso pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), com apoio operacional da Divisão de Operações (DOE) e da Delegacia Regional de Polícia Civil de Timon – MA. A prisão ocorreu no bairro Flores em Timon, município localizado na região metropolitana de Teresina.

Segundo informações da Delegacia Geral, o suspeito foi preso em posse de uma pistola 380 e deverá ser indiciado por incêndio e organização criminosa, bem como autuado por posse irregular de arma de fogo. As investigações do Greco apontam que Alan teria sido um dos responsáveis pela compra de gasolina e por ter ateado fogo nos ônibus. 

O homem é suspeito de ter participado ativamente dos incêndios a ônibus do Sistema de Transporte Coletivo de Teresina. Na época, episódios aconteceram em dois dias seguidos na zona Sul e na zona Leste da Capital. O primeiro veículo queimado era da empresa Transcol e o ataque aconteceu na Avenida Principal do Residencial Betinho, no bairro Angelim. Já o segundo caso envolveu um ônibus também da empresa Transcol que fazia linha para o Terminal do Parque Piauí.

04 de julho de 2019

03 de julho de 2019

Colônia Major César passará por vistoria da Sejus para avaliar danos

Colônia Major César passará por vistoria da Sejus para avaliar danos

Durante todo o dia, serão feitas revistas nos alojamentos e dependências administrativas. Secretaria ainda não concluiu contagem de presos foragidos.

Após conseguir controlar a situação na Colônia Agrícola Major César de Oliveira, a Secretaria de Justiça do Estado (Sejus) fará uma série de vistorias nas instalações da unidade prisional e revistará todos os presos, alojamentos e dependências administrativas. Na tarde de ontem (02), a Major César foi cenário de um motim que resultou na fuga de vários detentos. Uma viatura foi incendiada e uma central de monitoramento foi completamente destruída.

A Sejus ainda está procedendo com a recontagem dos presos para poder dizer quantos fugiram durante o motim. O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) estima que pelo menos 200 internos conseguiram escapar. Importante lembrar que a Colônia Agrícola Major César é uma unidade de regime semiaberto que não funciona como um presídio comum. Lá, os detentos ficam em alojamentos, e não em celas, e passam o dia trabalhando no plantio dentro das dependências da unidade, retornando para o encarceramento no período da noite.


Foto: Arquivo O Dia

De acordo com a Diretoria de Inteligência da Sejus, não houve danos à estrutura do presídio como um todo. Apenas um alojamento, uma central de monitoramento alguns equipamentos utilizados pelos agentes foram depredados. “O motim não se estendeu ao presídio inteiro, não foram todos os detentos que se rebelaram, mas só uma parte deles. Já colocamos esses presos rebeldes em um local seguro, com vigilância reforçada e agora vamos fazer as vistorias, apurar esses danos ao patrimônio e garantir que os responsáveis por isso respondam pelo que fizeram”, afirma o diretor de Inteligência da Sejus, delegado Charles Pessoa.

Durante o dia de hoje, todas as visitas estão suspensas na Major César.

02 de julho de 2019

Presos fazem motim na Major César; Sejus reconta presos

Presos fazem motim na Major César; Sejus reconta presos

Detentos queimaram viatura policial e feriram agentes penitenciários a pedradas.

Um motim foi deflagrado na tarde desta terça-feira (2) por presos da Colônia Agrícola Penal Major César Oliveira, localizada na BR 343, no município de Altos.

O motim teve início no horário de visitação. Os detentos incendiaram uma viatura policial e feriram agentes penitenciários com pedradas.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) estima que quase 200 presos conseguiram se evadir da unidade durante a rebelião.


O estopim da conflagração teria sido um disparo de arma de fogo, que teria sido efetuado acidentalmente por um dos agentes penitenciários. Porém, o sindicato afirma que os presos já estavam reclamando dos procedimentos de segurança adotados pelos servidores durante as visitas. 

No início da noite, ao comentar o episódio, o Sinpoljuspi lembrou que há vários anos vem alertando o Governo do Estado e o Poder Judiciário para os riscos de rebeliões, assassinatos de presos e até de servidores, por conta da superlotação da Major César e de várias outras unidades do sistema prisional piauiense.

Além da superlotação, o sindicato afirma que a crise no sistema é agravada pelo déficit de agentes penitenciários e pela estrutura precária observada em boa parte dos presídios.

"A Major César Oliveira é destinada ao regime semiaberto, e estavam ocorrendo muitos assaltos na região [da penitenciária] envolvendo presos. Então, foi tomada a medida de cercar a unidade prisional com serpentina. Mas o principal não vem ocorrendo, que é a melhoria dos alojamentos dos detentos, o que faz com que o presos se revoltem. Além disso, está faltando equipamentos para os servidores e mais pessoal para trabalhar. Esse conjunto faz com que essas situações ocorram, e isso não vai parar por aqui. A gente fica perguntando ao governo o que se precisa fazer. Porque o sindicato já apresentou centenas de relatórios ao governador e ao secretário de Justiça, para que as providências sejam adotadas. Infelizmente, elas acontecem a conta-gotas. E nós estamos no limite. O Poder Judiciário está trabalhando e não tem onde colocar os presos. Hoje, nós tínhamos apenas sete agentes penitenciários para 604 detentos", lamenta Kleiton Holanda, presidente do Sinpoljuspi.

O Sinpoljuspi denuncia que, há cerca de uma semana, presos da unidade já tinham arremessado pedras em servidores. A situação foi relatada pelo sindicato à Secretaria de Justiça, mas a pasta não teria tomado nenhuma providência. 

"É um problema crônico. A Major César Oliveira está completamente destruída pela ação do tempo. É um presídio antigo, de 1977. Nunca passou por reformas. São presos demais, servidores de menos, diga-se de passagem. Estamos aguardando um curso de formação para 166 agentes. Quem sabe, se eles estivessem trabalhando, isso não teria acontecido. Então, é um somatório de elementos negativos que fazem com que situações como essa ocorram", acrescenta Kleiton Holanda.

O presidente do sindicato afirma, ainda, que a situação na Major César é agravada por ser a única penitenciária do estado que recebe presos no regime semiaberto. 

"A única unidade que recebe presos em regime semiaberto é a Major César Oliveira. Todos os presos são trazidos pra cá, inclusive os presos do interior. O sindicato sempre defendeu que haja uma unidade de semiaberto no norte e outra no sul do estado", afirma o sindicalista.

Outro lado

A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) informou por meio de nota que o motim ocorrido na tarde desta terça-feira(2), na Colônia Agrícola Major Cesar, em Altos, foi controlado, no final da tarde, por equipes de agentes penitenciários e forças da Polícia Militar.

O motim iniciou por volta das 15h30 e, já por volta das 18h, a unidade estava controlada pelas forças do Estado.

Sobre fugas, equipes de agentes penitenciários da Secretaria de Justiça estão fazendo a contagem dos presos nas celas durante ainda a noite desta terça-feira. Mas forças de segurança estão em diligência para efetuar a recaptura de detentos.

Três são presos fraudando documentos para solicitar visto americano

Três são presos fraudando documentos para solicitar visto americano

Op. Visto Fake: grupo falsificava documentos e tentou conseguir visto nos Consulados de Recife, Brasília e Rio de Janeiro. Prisões foram em Assunção do PI e Teresina.

Três pessoas foram presas em uma operação da Polícia Civil para desarticular uma quadrilha especializada na falsificação de documentos para aquisição de visto americano. A ação, que conta com o apoio do Consulado Americano em Recife, foi batizada de Visto Fake. As investigações começaram após o próprio Consulado perceber indícios de fraudes nas documentações apresentadas pelos suspeitos ao Governo Americano. 

Segundo a Polícia Civil, 11 pessoas tentaram obter o visto americano utilizando documentos falsificados pela quadrilha. Os solicitantes chegavam a pagar ao trio entre R$ 2 mil e R$ 5 mil para obter as documentações falsificadas, incluindo certificados de faculdades e documentos de comprovação de vínculo empregatício. Os envolvidos deverão ser indiciados pelo crime de uso de documento falso e, caso comprovada a intenção de permanecer em território americano, também poderão ser indicados pelo crime de ingresso de forma indevida no exterior para fins de permanência.

"Eles tinham plena ciência de que estariam cometendo esse crime, de que não teriam os requisitos para obtenção do visto naquele momento e utilizavam desse ardil de pagar pelo documento falso para conseguir entrada em território americano. Já o trio falsificava os documentos, principalmente por meio de uma empresa de Turismo, através desse ex-funcionário", frisa o delegado, acrescentando que até o momento não há indícios de envolvimento da agência de turismo com o esquema.

Em março deste ano, um piauiense identificado como Francisco Junário já havia sido preso em flagrante ao tentar obter o visto americano no Consulado em Recife. Diante dos fatos, o órgão diplomático solicitou apoio da Polícia Civil piauiense para prosseguir com as investigações e chegar na quadrilha responsável pelas falsificações. Foram detidos José de Arimateia Oliveira Lima, Antônio Lima Neto e Leonardo Soares Lima, em cumprimento de mandados de prisão preventiva.


Foto: Divulgação/Polícia Civil

Segundo o delegado-geral Lucci Keikko, Arimateia era responsável por fabricar os documentos falsos. Ele é dono das falsas empresas nas quais os solicitantes indicavam trabalhar para obter os vistos. O suspeito é apontado também como o responsável pelo recebimento dos passaportes quando enviados pelos Correios e, em algumas ocasiões, também pelo agendamento das entrevistas.

Arimateia preparava a falsa documentação e entregava para Antônio Lima Neto, que preparava todo o processo de solicitação dos vistos, inclusive com o preenchimento do formulário com informações falsas, entrega de documentos fraudados via e-mail para uso e apresentação durante as entrevistas nos Consulados e com o agendamento de tais entrevistas. Segundo as investigações, Antônio também recebia os passaportes e os pagamentos pelos serviços de fraude documental.


Foto: Divulgação/Polícia Civil

O terceiro, Leonardo Soares Lima, era o solicitante do visto americano. De acordo com o delegado Lucci Keikko, ele deu entrada no documento apresentando uma papelada fraudada em três consulados. “Como não conseguiu nada lá, ele tentou novamente, com a ajuda de Lima Neto e José de Arimateia, em Brasília e, pela terceira vez, em Recife, também fazendo uso de informações e documentos falsos”, relata o delegado.

Leonardo Lima foi preso no município de Assunção do Piauí. Os outros dois foram detidos em Teresina. 


Operação contou com representantes do Consulado Americano em Recife - Foto: Divulgação/Polícia Civil

Importante ressaltar que o trio agia não só junto ao Consulado Americano em Recife, mas também nos de Brasília e do Rio de Janeiro. Para a operação, os policiais do Piauí contaram com o apoio do Consulado Geral dos Estados Unidos e da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, através do Laboratório de Inteligência Cibernética. 

Durante o cumprimento dos mandados, a Polícia Civil apreendeu computadores, celulares e documentos que deverão passar por perícia para averiguar indícios do esquema criminoso. Segundo o delegado-geral, essa é a primeira fase da operação e há previsão de desdobramentos da ação para investigar a atuação de outras pessoas no esquema.

“Esse caso é um bom exemplo de cooperação e colaboração entre o governo dos Estados Unidos e do Brasil, e também com o estado do Piauí. Esperamos manter esse diálogo e ter mais oportunidades para trabalhar juntos na desarticulação de possíveis fraudes”, finaliza Patrick Grey, policial federal do Consulado Americano que veio ao Piauí para dar apoio na operação.

Polícia investiga falsificação de documentos para aquisição de visto

Polícia investiga falsificação de documentos para aquisição de visto

A Operação Visto Fake visa o cumprimento de três mandados de prisão e cinco mandados de busca e apreensão em Teresina e em Assunção do Piauí.

A Polícia Civil do Piauí está cumprindo na manhã desta terça-feira (02) três mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão para combater a falsificação de documentos para aquisição de visto americano. A ação foi batizada de Visto Fake e os mandados estão sendo cumpridos em Teresina e em Assunção do Piauí.

Os indícios de falsificação dos documentos foram percebidos pela primeira vez pelo próprio Consulado Americano. Segundo a polícia, as investigações começaram depois que um grande fluxo de pessoas no Piauí passou a solicitar o visto americano na sede do Consulado em Recife e, após verificação da documentação dos solicitantes, foi averiguado que os documentos apresentavam indícios de fraude.


Foto: Divulgação/Polícia Civil

Diante dos fatos, o Consulado solicitou apoio da Polícia Civil piauiense para iniciar as investigações e chegar na quadrilha responsável pelas falsificações. A informação foi repassada pelo delegado geral, Lucci Keikko, que se reuniu na manhã de hoje com o representante do Consulado Americano, Patrick Grey.


Delegado Luccy Keiko e o representante do Consulado Americano em Recife Patrick Grey. - Foto: Nathalia Amaral

Os policiais do Piauí estão contando com o apoio do Consulado Geral dos Estados Unidos, em Recife, e da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, através do Laboratório de Inteligência Cibernética. O Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança do Piauí também está atuando.


Foto: Divulgação/Polícia Civil

A ação é coordenada pelo delegado Matheus Zanatta, gerente de Polícia Especializada da Polícia Civil do Piauí.


Aguarde mais informações.