Wellington Dias volta a falar em desobrigar uso da máscara no Piauí

O governador não deu prazo nem especificou como isso será feito, mas reiterou que a ideia deve voltar a ser discutida com os especialistas a partir do avanço da vacinação.

04/11/2021 10:09h

Compartilhar no

O governador Wellington Dias (PT) voltou a falar sobre a possibilidade de retirar a obrigatoriedade do uso da máscara em ambientes abertos no Piauí. Esta é a terceira vez que o chefe do Executivo estadual menciona o assunto ao tratar das medidas de flexibilização dos protocolos sanitários conforme a vacinação avança.

Ainda em outubro, Wellington havia dito sonhar com um “Natal sem máscara”, mas deixou claro que a decisão que for tomada será balizada pelas orientações do Comitê Científico do Consórcio Nordeste. Hoje (04), durante entrega da reforma da Escola Professor Milton Aguiar, na zona Sudeste de Teresina, ele disse estar trabalhando com esta perspectiva em relação às precauções sanitárias.

“Estamos trabalhando também na perspectiva de garantir para dezembro uma tomada de decisão em relação às precauções: é possível já ter flexibilização em relação à máscara? Não é que não seja possível usar máscara, mas ela deixa, por exemplo, de ter a punição, aquela obrigatoriedade que tivemos que adotar lá atrás, porque em ambientes abertos a gente em uma segurança maior”, disse Wellington.


Wellington Dias voltou a falar sobre flexibilizar o uso de máscaras - Foto: O Dia

Apesar de voltar a mencionar uma possível flexibilização do uso da máscara, o governador não deu detalhes de quando nem como isso será feito. Apenas frisou que o Piauí continuará seguindo a ciência e prezando pela segurança de sua população.

O governo está discutindo com o COE (Comitê de Operações Emergenciais contra a Covid-19) que medidas devem ser adotadas a partir do avanço da vacinação em todo o estado. A ideia é, segundo afirmou o governador, garantir as condições para que o Piauí chegue a mais de 80% de sua população vacinada com a primeira dose e mais de 80% vacinada com a primeira e segunda dose ou com a dose única para, só então, falar em tirar o estado do mapa da pandemia.

“Isso permite que tenhamos maior segurança para retorno às aulas presenciais, por exemplo. Ainda temos municípios que ainda estão na lista de risco elevado e, nesse caso, eles vão ficar de fora de medidas como essa”, finalizou Wellington Dias.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário