• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Vendas de passagens aéreas nacionais cresceram 47,7% em 2018

Os destinos mais procurados foram São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza, Salvador

11/01/2019 12:09h

Um levantamento feito por uma agência virtual de turismo apontou que houve um aumento de 47,7% nas vendas de passagens aéreas nacionais em 2018. Essas são consideradas viagens domésticas, ou seja, que têm curta duração. Em território nacional, os destinos mais procurados pelos brasileiros neste final de ano mostraram que São Paulo liderou, com 18,35% das escolhas, seguido pelo Rio de Janeiro (11,88%), Brasília (6,08%), Fortaleza (5,74%) e Salvador (5,09%).

Já com relação às viagens internacionais, também foi registrado um aumento no volume de venda de passagens aéreas de 0,79% entre 2017 e 2018. Dentre os destinos mais procurados está a cidade de Miami, na Flórida (EUA), com 8,28% da preferência dos brasileiros.

Entretanto, segundo a economista Teresinha Ferreira, é preciso entender qual o motivo dessas viagens e o que tem feito os brasileiros gastarem tanto com compra de passagens aéreas, mesmo em um período de crise econômica. De acordo com ela, é preciso analisar se esses voos são motivados pelo turismo ou negócios.

“Se o principal motivo for turismo, é possível dizer que as pessoas estão voltando a ter poder de compra. Mas, se o motivo da viagem for voltado para o estudo ou trabalho, mostra que está havendo uma movimentação pela busca de capacitação e oportunidade de negócios”, comenta.

Ainda de acordo com a especialista, quando as pessoas mudam para outra cidade ou estado, elas tendem a retornar para sua cidade natal com certa frequência, no intuito de visitar parentes e amigos. Isso pode fazer com que aumente o volume de vendas de passagens aéreas.

“Se alguém que é natural de uma cidade e decide estudar em outra, ela vai ficar indo e vindo para visitar a sua família alguma vezes ao longo do ano. Isso não significa dizer que não estamos em crise, ou seja, a pessoa está fazendo isso devido à necessidade do setor produtivo, que faz com que as pessoas comprem mais passagens justamente para buscar mais oportunidade de negócios e cumprir compromissos”, conta.

A economista Teresinha Ferreira destaca que, apesar da crise, alguns seguimentos da população, sobretudo das classes média e alta, não deixam de realizar suas atividades em decorrência da crise econômica no País, que vem se arrastando desde 2008.

“Quando uma pessoa destina uma parte do salário para turismo, significa que alguma área já está com uma condição básica atendida, que pode ser a Alimentação, Serviço, Vestuário, ou seja, que houve uma melhoria em determinado seguimento para a população. Mas algumas classes, mesmo com a crise, ainda continuam fazendo seus planejamentos, pois continuam tendo poder de compra”, salienta a especialista.

Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário