• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • Clínica Shirley Holanda
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Vazão do Parnaíba dobra e nível do rio aumenta 64 cm em 24 horas

Por causa da subida das águas, o restaurante que fica na coroa do rio, próximo ao Troca-Troca, teve que ser desativado às pressas.

24/10/2019 11:34h - Atualizado em 24/10/2019 11:54h

Quem passou pela Avenida Maranhão, na zona Centro-Sul de Teresina, na altura do Troca-Troca, percebeu um cenário atípico para este mês de outubro: aumento do nível do Rio Parnaíba. É que de ontem para hoje, as águas do Velho Monge subiram de 1,89 metros para 2,54 metros. Apesar disso, o nível do Parnaíba continua dentro da normalidade para o período e está a mais de 2 metros de atingir a cota de atenção.


Leia também: Rio Parnaíba atinge nível de atenção para inundação em Luzilândia 


Mesmo Teresina tendo registrado chuva nos últimos dias, elas não seriam suficientes para alterar nestas proporções o nível do Velho Monge. A subida de suas águas se deve, na verdade, ao aumento de sua vazão de defluência, ou seja, do aumento da quantidade de água que sai do reservatório da Barragem de Boa Esperança em direção ao leito do rio.


Rio Parnaíba registrou aumento no nível de suas águas de ontem para hoje - Foto: Assis Fernandes/O Dia

De acordo com a Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco), que opera a barragem e é responsável pela Bacia do Parnaíba, a vazão de defluência do Velho Monge subiu de 251 m³/s no último dia 12 de outubro para 544 m3/s nesta quarta-feira (23). O aumento foi de 293 m³/s em apenas onze dias. 

A princípio, este aumento de vazão teria sido causado pelas chuvas em regiões de afluentes do Parnaíba, mas a companhia disse que ainda está procurando saber as causas exatas disso. A Chesf ressaltou ainda que a barragem de Boa Esperança está com seu limite de armazenamento dentro da normalidade e do esperado para este período do ano. Segundo a assessoria da empresa, o reservatório está operando com 60,77% de seu volume útil

O fato é que a subida do nível do Parnaíba, mesmo que dentro da normalidade, já causou transtornos a quem depende dele para gerar renda. O restaurante que fica localizado sobre uma das coroas do rio, próximo ao Troca-Troca teve que ser desativado no dia ontem (23) por risco de alagamento. 

Fotos: Reprodução/Whatsapp


A reportagem do Portal O Dia esteve no local e conversou com populares e com os barqueiros que fazem o transporte de material e de pessoas entre as margens de Timon e Teresina e entre as duas cidades e o restaurante. O barqueiro Josenildo Alves relatou o que aconteceu. Segundo ele, o proprietário do restaurante se chama José Pinheiro e ele vive em Timon.


O restaurante teve que ser desativado após subida das águas do Parnaíba - Foto: Assis Fernandes/O Dia

“Isso geralmente acontece toda vez que o rio sobe. Ano passado, ele teve uma cheia no começo de outubro e o José precisou tirar às pressas o material do restaurante, mas esse ano, como tinha passado a época que geralmente acontece, ele estava tranquilo. Quando foi ontem, receberam um aviso de que o rio ia subir e ele tirou correndo tudo que tinha no restaurante pra desativar”, relata.


Josenildo Alves foi o barqueiro que ajudou a retirar o material do restaurante da coroa do rio - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Dentre o material que Josenildo ajudou a retirar do restaurante estavam freezers, pelo menos 80 mesas com cadeiras e mantimentos. Foi preciso cerca de 20 viagens de ida e volta do barco entre a coroa do rio e Timon para poder esvaziar o restaurante de José por completo.

Quem acompanhou toda a movimentação das margens foi o mototaxista Raimundo Abreu. Trabalhando ali no Troca-Troca há seis anos, ele disse que a mobilização para ajudar o proprietário do restaurante foi grande. “Quando o rio sobe, ele sai. Ficou só a estrutura de madeira e a cobertura, porque não tinha mais como andar pela coroa pra puxar, já que a água tinha coberto tudo, mas acredito que ele deve retornar pra retirar o que ainda ficou”, relatou o mototaxista.


O mototaxista Raimundo Abreu viu toda a movimentação das margens - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Foi a mesma coisa que afirmou Josenildo. O barqueiro disse que José retornará à coroa do rio para retirar a cobertura e a fiação elétrica do bar, porque o material está conservado e deve ser usado quando ele reativar o restaurante. “Ele só deve retornar ano que vem, lá pra junho, porque o rio pode subir de novo e no começo do ano tem as chuvas. Lá pra junho ele geralmente reativa o restaurante”, finaliza Josenildo.

Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário