• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Uespi: Demitidos há um ano, terceirizados não receberam direitos

Todos eles trabalhavam na prestação de serviços à Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e um ano depois, os trabalhadores permanecem ser respostas e sem receber seus direitos.

05/02/2020 16:11h - Atualizado em 05/02/2020 16:21h

Trabalhadores atuavam pela terceirizada Limpel Serviços Gerais. Empresa os demitiu em fevereiro do ano passado e até o momento não pagou os direitos.

Constrangimento e falta de respostas. É esta a situação de um grupo de dez funcionários que foram demitidos da empresa Limpel Serviços Gerais em fevereiro do ano passado e, até o momento, não receberam os pagamentos das rescisões contratuais. Todos eles trabalhavam na prestação de serviços à Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e um ano depois, os trabalhadores permanecem ser respostas e sem receber seus direitos.

Sede da empresa. Foto: Divulgação Reprodução.

A denúncia foi feita ao Portal O Dia por uma das funcionárias demitidas. Andressa Fernandes, 24 anos, trabalhava na Limpel como prestadora de serviços na Uespi há dez meses quando foi informada da demissão junto com funcionários de outros setores. A alegação da empresa, segundo ela, era corte de gastos.

“Eu era auxiliar administrativa, mas tinha gente de outros setores. No dia 21 de fevereiro, ligaram pras pessoas assinarem a demissão e disseram que iam ligar para fazer a rescisão e fazer o pagamento. Deu abril e nada deles ligarem. Em julho, fomos chamados de novo para assinar o documento e deram dez dias para pagar, mas até hoje, nada de darem uma resposta”, relata Andressa.

O valor da rescisão de Andressa é R$ 2 mil, mas há outros trabalhadores que possuem valores bem maiores que isso a receberem. Segundo ela, alguns deles, já acionaram a justiça para conseguirem seus direitos, mas até o momento não houve nenhum acordo.

“Eu tive que ir embora para Pernambuco morar com meu irmão porque não tinha condições de ficar aqui, mas nunca deixei de procurar, de ligar na empresa, mas lá nunca sabem dizer nadam nunca têm resposta. É falta de respeito”, finaliza Andressa.

O outro lado

O Portal O Dia conversou com Marcos Lima, fiscal de contratos da Limpel Serviços Gerais. Segundo ele, no que respeita às questões salariais, os vencimentos estão pagos até novembro e o décimo terceiro salário de 2019 para os funcionários ativos, estando em aberto os meses de dezembro de 2019 e janeiro de 2020.

No entanto no tocante às rescisões dos trabalhadores demitidos, Marcos Lima disse apenas que somente a diretoria da empresa poderia informar.

A reportagem procurou o diretor da empresa, Elson Avelar, mas as ligações não foram atendidas. O espaço permanece aberto para esclarecimentos. 

Edição: Adriana Magalhães
Por: Maria Clara Estrêla e Jorge Machado

Deixe seu comentário