Teste pode identificar calazar em 20 minutos

Equipes do Centro de Zoonoses devem visitar bairros mais afetados. Procedimento é gratuito

03/04/2013 08:44h

Compartilhar no

A leishmaniose visceral canina, mais conhecida como calazar, pode ser identificada por meio de um novo teste, que é gratuito. Com ele, o diagnóstico é realizado de forma mais rápida e prática. Segundo um dos coordenadores da Gerência de Zoonoses de Teresina, João Pereira, a doença ainda não possui tratamento e que os animais picados pelo mosquito transmissor, chamado de "mosquito de palha", devem ser sacrificados.

De acordo com João Pereira, coordenador do núcleo de leishmaniose visceral canina, raiva e outras zoonoses, é preciso apenas uma pequena amostra de sangue do animal para realizar o exame, uma gota do líquido para apresentar resultado positivo ou negativo para a doença. "O tempo entre a coleta e a confirmação do teste é de aproximadamente 20 minutos", afirma.

Caso o resultado do teste rápido seja positivo, os agentes de Zoonoses deverão coletar mais sangue do animal para enviar ao laboratório em busca de uma segunda comprovação do exame. "Com o resultado positivo no segundo exame, o proprietário do animal será comunicado e receberá os procedimentos necessários para encaminhar o cachorro à sede da Zoonoses", orienta.

Questionado pela reportagem de O DIA sobre a média de animais sacrificados por conta do calazar ou da quantidade de casos registrados no município nos últimos meses, João Pereira disse não poder fornecer os dados.

Equipes visitam bairros

João Pereira alerta que, inicialmente, apenas os bairros com intensa presença do mosquito transmissor serão visitados pela equipe, como Angelim, na zona Sul; região da Santa Maria da Codipi, zona Norte, e Dirceu Arcoverde, na zona Sudeste. O coordenador esclarece que os moradores de outras localidades, caso tenham interesse em realizar testes em seus animais, deverão levá-los até ao Centro de Zoonoses.

Falta de saneamento e a proliferação do mosquito

Para o coordenador do núcleo de leishmaniose visceral canina, raiva e outras zoonoses, a transmissão do calazar ocorre mais facilmente nos lugares que tem cobertura deficiente de esgotamento sanitário ou sem saneamento básico, que apresentem lixo e material orgânico espalhados no solo. Os mosquitos costumam ficar alojados em locais úmidos, escuros e com muitas plantas. Somente as fêmeas transmitem a doença.

Compartilhar no
Edição: Thiago Bastos
Por: Carlienne Carpaso - Jornal O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário