• COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI 2019 - 2020
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Teresina registra 448 novos casos de HIV/Aids

Dados foram divulgados pela FMS. Pacientes da Capital têm acesso a consultas, exames e medicamentos gratuitamentepessoa

10/12/2019 08:21h

Teresina registrou 448 novos casos de HIV/Aids, entre janeiro e novembro de 2019, segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação Compulsória do Ministério da Saúde. Para dar assistência às pessoas acometidas por esse agravo, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) mantém o Serviço de Atendimento Especializado (SAE), que oferta consultas, exames e medicamentos gratuitamente.


Leia também: Em pouco mais de 10 anos, Piauí registra 1.898 casos de HIV 


O médico infectologista Walfrido Salmito relembra que a Aids é causada pelo vírus HIV, que é transmitido, geralmente, por contato sexual desprotegido com a pessoa contaminada. “Essa doença compromete a imunidade da pessoa. O ideal é que o diagnóstico ocorra antes de surgir doenças oportunistas, que aparecem quando o sistema está imunologicamente enfraquecido”.

Ter o vírus HIV não significa ter a doença Aids. “Se a pessoa tiver o vírus e fizer o tratamento, o seu caso não evolui para a doença. Outro detalhe importante é que o tratamento permanente deixa indetectável a carga viral (taxa de vírus circulando no sangue), de modo que a pessoa infectada diminui a possibilidade de transmissão do vírus através do ato sexual”, ressalta a enfermeira Roseane Nadler.


Foto: 

O presidente da FMS, Charles Silveira, reforça que a AIDS não tem cura, mas tem tratamento eficaz no SAE. “O nosso serviço tem equipe multiprofissional, oferta medicamentos que só são disponibilizados gratuitamente na nossa rede e não estão nas prateleiras das farmácias para compra, e, ainda realiza exames para monitorar a taxa de carga viral e a imunidade da pessoa”.

O SAE fica no Centro de Saúde Lineu Araújo, Centro Sul. Para ter acesso, o usuário que tiver diagnóstico positivo de HIV/Aids e se for residente em Teresina, basta se dirigir ao local. “É um serviço completo, que tem dado uma resposta satisfatória ao povo da capital e melhorado a qualidade de vida de centenas de pessoas”, finaliza o presidente.

Distribuição de preservativos 

A FMS realiza a distribuição gratuita de preservativos e gel lubrificantes à população. Para ter acesso, basta se dirigir aos estabelecimentos de saúde de Teresina (Unidades Básicas de Saúde e Hospitais). “O uso da camisinha é o meio mais eficaz de proteção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis e também contra uma gravidez indesejada”, afirma o diretor de Atenção Básica Francisco Pádua.

Outras formas de prevenção são a Profilaxia Pós- Exposição (PEP), uma medida de urgência que protege apenas contra o vírus HIV e que pode ser usada em até 72 horas após uma relação sexual desprotegida ou em qualquer outra situação de risco. E a Profilaxia Pré-Exposição (PREP), medicação para uso diário pela população-chave, como profissionais do sexo e casais sorodiferentes. “Ambas estão disponíveis no CTA e no Natan Portela”, conta Alana Niege.

Pessoas que têm vida sexual ativa devem realizar o teste rápido de HIV

Todas as pessoas que têm vida sexual ativa devem realizar o teste rápido de HIV. “Esse teste é fundamental para que o cidadão descubra se tem ou não o HIV. Havendo resultado positivo, o tratamento regular vai garantir melhor qualidade de vida”, alerta a chefe de núcleo de IST da FMS, Alana Niege.

Em Teresina, os testes rápidos para diagnóstico de Infecções Sexualmente Transmissíveis podem ser feito no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), localizado na Rua 24 de Janeiro, nº 124, no centro. “Estamos expandindo esse serviço para as nossas Unidades Básicas de Saúde espalhadas pela cidade”, finaliza Alana.

Fonte: Jornal O Dia

Deixe seu comentário