• Canta
  • SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

THE é a capital que mais atende às condições de concessão Bolsa Família

Dados são do sistema e-Gestor Atenção Básica e mostram 7 em cada 10 famílias teresinenses estão em dia com as exigências do programa.

29/08/2019 10:57h - Atualizado em 29/08/2019 11:01h

Dados do e-Gestor Atenção Básica, sistema de informação da Atenção Básica em saúde do país, indicam que Teresina está em primeiro lugar entras as capitais do Nordeste com maior cobertura no cumprimento das condicionalidades do Programa Bolsa Família na vigência 2019/1 com o percentual de cobertura de 69,4%.

“Sabemos a dificuldade que é chegar até essas famílias beneficiárias em uma capital, por conta das dimensões territoriais e o fluxo migratório dessas pessoas. Elas mudam muito de local. Então para nós, estar com essa cobertura de 69,4% , ou seja, praticamente 7 dentre 10 famílias sendo acompanhadas pelas condicionalidades em saúde é muito bom e nós da prefeitura ficamos muito felizes e parabenizamos todos das Equipes de Saúde da Família e da gestão”, explica Theonas Gomes, técnica da Gerência de Ações Estratégicas da Fundação Municipal de Saúde.

O Programa Bolsa Família foi instituído em 2004 e desde então vem sendo aperfeiçoado. “Nós da área da saúde temos que cumprir algumas condicionalidades, ou seja, no momento que o beneficiário do Bolsa Família assina que vai receber o benefício ele sabe que terá o compromisso de cuidar de sua saúde. E nós como política pública temos a obrigação de cuidar dessa família já que ela está em situação mais vulnerável. Esse cuidado significa o que?! Duas vezes ao ano ter um olhar especial para mulheres de 14 a 44 anos, crianças de 0 a 7 anos, que são parte do público alvo”, diz Theonas Gomes.


Foto: Jailson Soares/O Dia

Ela fala ainda que essas pessoas são convocadas pelos Agentes Comunitários de Saúde para ir até a Unidade Básica de Saúde e lá serem feitos os atendimentos em saúde. Averiguando as condições como: “Uma mulher, ver se fez citologia, se estiver gestante ver como está o pré-natal, a vacinação, pesa, mede, se tem doença crônica, avaliação quanto a obesidade, alimentação, todo um cuidado. Na criança a mesma coisa. Se é uma criança que faz as consultas, se for bebê se está amamentando bem, como está a vacinação. Ou seja, fazemos uma busca ativa junto a essas famílias”. 

Se o agente comunitário de saúde não encontra essa família, mas ela, família, é ciente de que precisa cumprir as condicionalidades em saúde e procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Os serviços estão disponíveis a elas. 

“Nós utilizamos algumas estratégias de mobilização junto a essas famílias beneficiárias do Bolsa Família. Foi implantado um cartão, onde a família que consulta no primeiro semestre já fica com agendamento de consulta para o próximo semestre, garantindo o retorno dessas pessoas à unidade de saúde. Outra estratégia utilizada que também deu muito certo foi o prontuário eletrônico nas Unidades Básicas de Saúde, pois agora as próprias Equipes Estratégia Saúde da Família colocam as informações pertinentes dos pacientes no sistema”, fala Theonas Gomes. 

Antes as informações eram preenchidas de forma impressa e mandadas ao nível central e lá as informações eram digitadas. A partir do segundo semestre de 2018 isso mudou e as informações já vão direto para sistema no momento que são coletadas, com o novo sistema do Bolsa Família. Então cada Equipe Estratégia Saúde da Família tem a gestão sobre as pessoas que moram nas comunidades assistidas.

Fonte: Da Redação

Deixe seu comentário