Teresina aposta em vinda de indústrias para Polo Empresarial

Incentivos têm a finalidade de atrair empresários não só de fora, mas também locais

25/05/2013 08:52h

Compartilhar no

Teresina tem uma política voltada para a atração de investimento regulamentada na Lei 2.528/97, que prevê incentivos fiscais e benefícios nas áreas de indústria, comércio e hotelaria.

Esses incentivos incluem concessão de áreas em polos empresariais, isenção de impostos e taxas, como IPTU, ITBI e taxa pública referente a localização. De acordo com o secretário de desenvolvimento econômico de Teresina, Fábio Nery, todos esses incentivos têm a finalidade de atrair empresários não só de fora, mas também locais.

“As indústrias locais visam o abastecimento de áreas próximas do Meio Norte do Brasil, não se preocupando tanto com a exportação, o foco é a comercialização de amplitude regional, por conta da capacidade de produção de porte médio”, afirma o secretário. Dados da Semdec demonstram que os três setores com maior força em Teresina são alimentos e bebidas, confecção e construção civil. Para Fábio Nery, “a demanda maior é de empresas locais, porque a característica de Teresina é de abastecer os estados do Piauí, Maranhão e Ceará. Além disso, Teresina é vista pelos empresários a partir da questão logística, uma vez que está localizada no centro da região Meio Norte do país, o que facilita a distribuição para os estados do nordeste e consequente diminuição no custo final dos produtos”.

Atualmente 12 empresas estão instaladas no Polo empresarial Sul de Teresina, que é voltado para as denominadas indústrias secas, como metalúrgica e confecções, nas quais o grau de risco para o meio ambiente é menor, pois ocorre a produção de poucos efluentes. Já o Polo Empresarial Norte é destinado à instalação das indústrias molhadas, que precisam estar nas proximidades aos locais de abastecimento de água e já se encontra em fase de construção e de loteamento da Eco Empreendimentos, que atua na produção de mudas de eucaliptos.

Também será instalada a Crown Embalagens, indústria que pretende investir R$ 200 milhões no Piauí. A unidade da Crown deve entrar em operação até janeiro de 2014, com previsão de geração de 400 empregos diretos e indiretos, movimentando a economia da capital.

O Laboratório Sobral é outra indústria que está com processo para se instalar no Polo Empresarial Sul, devendo ocupar uma área de 43,500 m² e gerar 500 empregos diretos.

Compartilhar no
Por: Ceres Passos

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário